Herpes: Como se prevenir? Como é o tratamento? Saiba tudo sobre a doença


  • +A
  • -A
Imagem do post Herpes: Como se prevenir? Como é o tratamento? Saiba tudo sobre a doença

Herpes simples é uma infecção causada por dois tipos de vírus: o HSV-1 e o HSV-2. É importante conhecer as principais formas de transmissão, de prevenção e de tratamento, já que o problema é bastante comum. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, mais de 3 bilhões de pessoas já entraram em contato com o HSV-1 e mais de 400 milhões com o HSV-2.

Contato direto com as lesões transmite o vírus do herpes


O vírus é transmitido pelo contato direto ou indireto com lesões ativas
, como durante um beijo, por via sexual mesmo sem lesões ativas e também de mãe para filho durante a gestação. Apesar de ser menos frequente, o herpes também pode ser transmitido pelo contato indireto por meio do compartilhamento de objetos de uso comum, como garrafas e outros utensílios de cozinhas não lavados, já que o vírus consegue sobreviver por algumas horas fora do corpo.

O vírus HSV-1 é adquirido mais frequentemente e de forma mais precoce que o HSV-2. O tipo 2 é adquirido por meio de relações sexuais desprotegidas, principalmente durante a puberdade, quando a vida sexual se inicia. É o principal responsável pelo aparecimento de sintomas nos órgãos sexuais, casos conhecidos como herpes genital.

Bolhas e feridas são os principais sintomas do herpes


O primeiro contato com o vírus é chamado de infecção primária. Nela, os sintomas podem ser mais intensos e o paciente pode apresentar quadro febril. A partir do momento em que o contágio acontece, os sintomas costumam demorar até duas semanas para aparecer. Em um primeiro momento, é possível sentir coceiras, ardência e dores nos lábios e na região genital. Posteriormente, surgem bolhas e feridas.

Ao notar os sintomas, o paciente deve procurar auxílio médico para tratar a infecção do herpes. Em boa parte dos casos, o profissional prescreve o uso de medicações antivirais para atacar diretamente o vírus do herpes, além de outros medicamentos que visam amenizar os sintomas e cicatrizar as feridas com mais velocidade.

Estresse provocar uma nova crise de herpes


Mesmo depois de tratar a infecção, os sintomas do herpes podem retornar. “Essas recidivas podem ser induzidas por vários estímulos, tais como trauma, radiação ultravioleta, extremos de temperatura, estresse ou imunossupressão”, explica a infectologista Naihma Salum Fontana. É importante, portanto, seguir algumas recomendações médicas para impedir novas crises.

A infectologista Keilla Mara de Freitas cita medidas que podem ajudam a evitar a volta dos sintomas: “Controlar as doenças e fatores que diminuem a imunidade, como diabetes, depressão, insônia e estresse, e em último caso, utilizar os mesmos remédios do tratamento em doses menores, por um período mais prolongado, de seis meses a um ano”.

Lisina pode diminuir o número de crises de herpes


É difícil evitar o contato com o vírus do herpes, mas uma das formas de prevenção é não compartilhar alguns tipos de objetos. “Talheres e copos devem ser adequadamente higienizados e separados durante episódios de atividade das lesões e objetos de uso pessoal não devem ser compartilhados. Além disso, as mãos devem ser higienizadas com frequência”, afirma o infectologista Taylor Olivo.

Diversos estudos mostram que a lisina pode ser utilizada para dificultar novas crises. Esse aminoácido é encontrado em ovos, peixes, carnes, leites e derivados, mas também pode ser suplementado, seja como parte do tratamento ou como uma medida profilática, indicada para quem tem mais de três manifestações da doença por ano. Já o chocolate, o coco, o trigo, o milho e castanhas podem piorar o quadro e devem ser evitados, pois contém uma substância chamada arginina, que auxilia a replicação viral.

 Dra. Keilla Mara de Freitas é formada pela Escola Latino-Americana de Medicina, com residência médica em Infectologia pela UFMG e atua em São Paulo. CRM-SP 161392 – www.drakeillafreitas.com.br

Dra. Naihma Salum Fontana é infectologista formada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), pós-graduanda pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e atende em Sorocaba (SP). CRM-SP: 139391 – www.dranaihmasalumfontana.com

Dr. Taylor Endrigo Toscano Olivo é infectologista formado pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e atua em Bauru (SP). CRM-SP: 115765

Foto: Shutterstock

TAGS
herpes
herpes-genital
pele

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Herpes: Como se prevenir? Como é o tratamento? Saiba tudo sobre a doença"

zilah

olha a minha filha sofre com coceira no corpo inteiro dela comeca quando vem a mestruacao e quando termina a mestruacao ela quase morre com a coceira tadinha ja fiz de tudo para ajudar ela.ela trabalha e faz faculdade tem a vida muito corrida sabe.vendo tanto o sofrimento dela levei ela numas mulheres benzedeiras e falaram que ela tem todas as herpes e o mais incrivel que nao sai pra fora disseram que ficam por dentro.Nao sei mais o que fazer por favor me ajudem ajudem minha filha ela sofre muitooo com coceiras ardencias etc…tenho muitooo muitooo medo que aconteca o pior deus me livre.Por favor algum infectologista me ajude a salvar minha filha ela nao merece sofrer tanto😩😩😢

André

Há o risco de transmissão do vírus mesmo fazendo uso de preservativo?

Cuidados Pela Vida

Oi André, como afirma o dermatologista Dr. Murilo Drummond: “O portador da infecção de herpes é sempre transmissor da doença, independentemente de estar em crise ou não, e o portador consciente usa preservativo em todas as suas relações”. Abraços.

Tânia Paiva

Boas informações. Obrigada.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.