Quais são os tipos de esquizofrenia que existem?


  • +A
  • -A

Dentre os principais transtornos psiquiátricos existentes, a esquizofrenia talvez seja o mais complexo, pois se caracteriza por alterações cerebrais no paciente que podem ser brutais a ponto do tratamento pouco ajudar a controlar o quadro. Existem quatro tipos da doença, cada qual com suas particularidades e intensidades distintas.

Esquizofrenia paranoide é a mais comum


De acordo com o psiquiatra Miguel Boarati, os quatro tipos de esquizofrenia são: paranoide, hebefrênica, catatônica e indiferenciada. “A mais comum é a paranoide, que se caracteriza por predominância de delírios persecutórios e bizarros, além de alucinações, enquanto a mais grave e com o tratamento mais difícil é a hebefrênica, marcada por isolamento social, embotamento afetivo e deterioração global”.

“Na catatônica, o paciente fica parado, com olhar perdido e flexibilidade cérea, sendo esta também bastante grave. Já a indiferenciada agrupa características presentes em todos os outros tipos”, continua o médico. Ele frisa ainda que, apesar da esquizofrenia paranoide ser considerada menos grave, ela não é mais branda. “A diferença é que conta com um padrão de resposta ao tratamento bastante satisfatório”.    

Todos os tipos de esquizofrenia precisam de medicação


Por outro lado, a hebefrênica possui uma resposta muitas vezes insuficiente ao tratamento medicamentoso e de reabilitação, “além de evoluir mais frequentemente para um processo de deterioração cognitiva”. Miguel afirma ainda ser possível que o paciente desenvolva outras doenças em função da esquizofrenia. “Após um surto psicótico podem surgir quadros depressivos, manifestação de dependência química e ansiedade”.

Em relação ao tratamento do distúrbio, a orientação é que haja uma associação entre utilização de remédio controlado e terapia psicossocial. “Mas em nenhum caso o paciente com esquizofrenia poderá ficar sem o tratamento medicamentoso, pois do contrário ele terá novos surtos psicóticos e a doença irá progredir. O tratamento medicamentoso não é o único a ser realizado, mas ele é essencial”, conclui.

Dr. Miguel Angelo Boarati é psiquiatra formado pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP e atende em São Paulo. CRM-SP: 85105

Foto: Shutterstock

TAGS
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

25 comentários para "Quais são os tipos de esquizofrenia que existem?"

Valdir

O meu cunhado começou com epilepsia, daí começou a crise de surto… pois fica alterado, Fala em matar as pessoas.. será que isso é esquizofrenia ou não? Gostaria de ajuda… meu número de telefone 92993130655. Pois não temos dinheiro para pagar uma consulta com um psiquiatra ou muito menos internar ele…

CUIDADOS PELA VIDA

Valdir, é uma situação bastante delicada. É preciso estudar mais detalhadamente o caso do seu cunhado, mas existem serviços do governo específicos para pessoas com problemas psiquiátricos. Acho válido procurar o serviço de saúde da sua cidade.
Abraços

Marques

Oi a uns 5 anos tomo respiridona tive melhora..mas mesmo assim tenho medo de sair de casa.. vivo fechado no quarto. .as vezes ouço vozes pra agredir..tenho muita ansiedade o que seria melhor? ?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Marques, fora o medicamento você faz algum outro tipo de acompanhamento? Tem feito algum tratamento auxiliar?

felipe

Esquizofrenico pode ter dificuldade nos estudos ou não

Odety Mary freire Araújo

Boa Noite tenho um filho com 16 anos ele tem esquizofrenia paranoia me mudei para Curitiba e não estou conseguindo tratamento para ele u que devo fazer? Ele toma carbamazepina 200mg três vezes por dia depakote ER500mg três vezes por dia cloridrato de biperideno2mg duas vezes por dia aripripasol 20mg uma vez por dia olanzapina 10mg duas vez por dia clobazan 10mg uma vez por dia o neurologista dele e o psiquiatra dele são de Maringá onde eu morava já tentaram diminuir o medicamentos dele mas ele sem medicamentos fica agressivo e não dorme anda o tempo todo e conversa o tempo todo sozinho, até com a televisão ele conversa ele fica agressivo de mais, como me mudei para Curitiba, o tratamento dele ainda não consegui queria saber se possível me orientar em o que devo fazer agradeço desde já pela sua atenção muito obrigado. Sou uma mãe que pedi por orientação para seu filho Ryan obrigada

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Odety, é uma situação bastante delicada. O ideal é que você procure uma unidade de saúde próxima de sua residência para que o seu filho possa ser encaminhado para o especialista que atenda a sua região. Abraços.

Luzia

Oi cuidados pela vida,Boa noite,eu tenho um filho com 21 anos que passou a se escolar da família,dos amigos,passa o tempo todo no quarto,ouvia vozes,troca o dia pela noite e sempre levanta pra almoça as 16 horas e ñ janta, Ñ sei mais o que fazer,levei ao psiquiátrico e ele diagnosticou como exsofrenia, e medicou com olazapina,bipirideno e hadol,Estou tão arrasada.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Luzia, há doenças que acabam afetando toda a família, pois não gostamos de ver quem amamos sofrer. A adesão ao tratamento é imprescindível, pois muitas doenças não impedem o convívio social, bem como a realização das atividades cotidianas. Temos, por exemplo, em nosso site o depoimento de um paciente que convive com a esquizofrenia http://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/mineiro-enfrenta-esquizofrenia
Estimamos melhoras ao seu filho.

Márcia Martins Vitório Neitzel

Boa tarde,eu estou a alguns meses tomando remédio para depressão não gosto de saí mais de casa prefiro ficar no meu quarto sem ninguém é tenho uns sentimentos ruins quando alguém da minha família sai de carro fico desesperada enguanto não chegam vem imagens de acidente na minha mente acho que estou ficando doida.o q tenho que fazer

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Márcia, o primeiro passo você já deu, que é buscar um tratamento com a ajuda de um profissional. Além do tratamento base, outros métodos podem te ajudar bastante na luta contra a depressão, como por exemplo a prática de atividades físicas, que colabora para uma maior liberação de endorfinas e ação em neurotransmissores. Converse com o seu médico e busque com ele outras formas com as quais você pode melhorar sua qualidade de vida. Desejamos sucesso eu seu tratamento. Abraços.

Wellington

Desde pequeno sempre tive atraso e dificuldades para aprender as coisas inclusive na escola, sempre me senti perdido com a mente sem sentido, tentei suícidio aos 14 anos de idade aos 22 tive várias crises cheguer ver coisas que não via , fiquei com a cabeça bagunçada, entrei no alcool e na quimica , mesmo assim só piorou, tem dias que esqueço quem sou , me sinto sem personalidade, perdido, desesperado, aflito não consigo me concentrar , esqueço as coisas e perco com facilidade também , sinto minha cabeça cansada. Comecei tratamento para depressao , o Dr:Me passou um remédio chamado Quetipin 25 mg mas parei de tomá-lo sinto forte dor de cabeça. Como poderia ser orientado.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Wellington, é difícil aceitar que estamos doente, no entanto essa aceitação é imprescindível para o sucesso do tratamento. A esquizofrenia não impede o convívio social, bem como a realização das atividades cotidianas. Temos em nosso site o depoimento de um paciente que convive com a doença http://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/mineiro-enfrenta-esquizofrenia
A adesão ao tratamento e acompanhamento médico é imprescindível. Abraços.

Girlane

Olá, tenho uma irmã de 18 anos, ela inventa histórias tem crise não dorme de noite diz que as pessoas quer mata_la, até então ela foi encaminhada para a psiquiátrica com depressão.. Mas até então não sabemos o que ela tem, tem horas que parece ser esquisofenuca, mas a única coisa que não parece ser escrizofeica é que ele não é agressiva, tem momentos que ela parece ser bipolar.. Ai a família fica sem saber mais o que fazer.. Vou para a psiquiátrica semana que vem.. E falar com ela toda a situação e quero que ela mim der um diagnóstico… O que pode ser a doença dela!? Desde de ja agradeço a atenção.. Obrigada

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Girlane, somente após a avaliação do especialista é que poderá ser estabelecido um diagnóstico. Acompanhe sua irmã na consulta e tire todas as suas dúvidas com a médica. Abraços.

Eliana

Sofro de depressão, ansiedade e tenho fibromialgia tomo Rivotril ,amitriptilina e sertralina, mesmo assim me sinto mal não tenho vontade de sair de casa,já abandonei três emprego pois não consigo trabalhar sobre pressão já tive surtos de quebrar quase tudo dentro de casa .Minha vontade é dormir e não acordar mais, prefiro ficar em casa com meus gatos e cachorros.Tenho um zumbido no ouvido que é um inferno tenho que ficar com a TV ou rádio ligado pra tira o foco do zumbido.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Eliana, não desanime, continue com o acompanhamento médico e o tratamento prescrito. Tente praticar hobbies e atividades que te façam sentir bem. Abraços.

lais

Ola, eu gostaria de saber quais são as mais graves com lista completa.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Lais, temos em nosso site uma matéria que pode esclarecer sua dúvida, segue o link: https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/qual-esquizofrenia-mais-grave
Abraços.

Jaciara vital Francisco

Olá meu nome é jaciara tenho uma filha de sete anos e últimamente quase toda vez q ela acorda, ela acorda assustada com as duas mãos no ouvido e muito assustada e eu pergunto o q está acontecendo e ela não me responde quando eu pergunto ela só fala espera com um Expressão muito assustada, depois conversei com ela e ela me disse q ouve uma voz de homem muito alta to muito preocupada

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Jaciara, tente marcar uma consulta com o especialista para que ele possa conversar com sua filha e avaliar esses episódios, assim ele poderá te orientar adequadamente. Abraços.

karine

oi, minha mae sofre de algum problema que nao sei qual é ela fala sozinha, e as vzs surta começa a falar do passado dela onde devo procurar ? um neurologista vai ajudar nao acho que seja um grau de enterna-la mas sim de tratamentos nao sei explicar como é exatamente nas queria saber ja pra procurar tratamentos e saber se isso tem cura ou não sofro muito por ela e as vzs as pessoas nao entendem isso por favor me ajude

Maria

Meu filho teve um episódio aos 16 anos. Disse que estavam o seguindo na rua, comentava coisas da TV que não estavam acontecendo, sentia medo de sair de casa e não conseguia dormir. Fomos ao psiquiatra, fez medicação ( risperidona e imipramina). Se recuperou e levou a vida normalmente. Em 2015 aos 18 anos, novamente já com outros aspectos, sorrisoa inapropriados, catatônico, choros e falta de sono. Novamente fez a medicação em conjunto com sessões na psicóloga, ficou bem e teve alta. Agora aos 21 anos após ter cursado Educação Fisica, passou pra Fisioterapia e senti ele depressivo, sem vontade de sair, nem jogar bola que é o que mais gosta. Enfim, o psiquitra nas duas primeiras vezes me disse que era um surto psicótico, esse surto está diretamente ligado à esquizofrenia?Isso quer dizer que meu filho é um esquizofrênico?

Fabricio

Ola tive um surto psicotico aos 20 anos depois que fui em uma festa rave depois disso dizia a minha familia que pessoas estavam me seguindo e queriam me matar, eu via pessoas olhando pra mim meu coração disparava, fui ao psiquiatra e ela me diagnosticou com isso .. hoje meu caso ficou mais grave e me levou a esquizofrenia paranoide mais mesmo depois desse tempo todo nao consigo sair de casa me afastei dos meus amigos e agora so fico com minha familia … o que eu queria saber é se esse medo ficara pra sempre ou vou ter uma melhora ?

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Fabricio, assim como algumas doenças, infelizmente a esquizofrenia não tem cura, porém é possível minimizar os sintomas. O tratamento deve ser realizado pelo resto da vida do paciente, sem interrupções. No entanto, a esquizofrenia não impede o convívio social, bem como a realização das atividades cotidianas. Temos em nosso site o depoimento de um paciente que convive com a doença http://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/mineiro-enfrenta-esquizofrenia
Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.