AchèAchè
search
Título

Síndrome do pânico: As crises têm hora para acontecer?

Ansiedade

Por

19 de outubro de 2023

A síndrome do pânico é um transtorno psiquiátrico caracterizado por crises recorrentes de ansiedade e medo. Uma das principais diferenças entre a ansiedade considerada normal e o transtorno do pânico é a intensidade dessa sensação, que provoca desconforto e muito sofrimento no paciente, atrapalhando até mesmo o desempenho no trabalho e nos estudos.

Crises de síndrome do pânico são inesperadas


De acordo com o psiquiatra Alexandre Proença, na maioria dos casos, as crises de síndrome do pânico não têm hora para acontecer: “Os ataques de pânico geralmente são inesperados e acontecem de forma abrupta. Ou seja, o ataque parece vir do nada”. As crises podem se repetir aleatoriamente e, com o tempo, o paciente pode passar a sofrer apenas com o medo de ter uma nova crise.

Durante um ataque de pânico, é comum o paciente sentir que está prestes a morrer, já que os sintomas atingem o pico em poucos minutos. “Palpitações, coração acelerado, sudorese, tremores, falta de ar, dor ou desconforto no peito e náuseas são sintomas característicos”, exemplifica o especialista. Calafrio, tontura, formigamentos, medo de enlouquecer e desconforto abdominal também podem aparecer durante uma crise de síndrome do pânico.

Como agir durante uma crise de pânico


O ideal, segundo Dr. Proença, é que o paciente tente se acalmar durante o ataque, já que os sintomas tendem a desaparecer em alguns minutos. Nessas horas, técnicas de relaxamento e de respiração, como o yoga, podem ajudar a superar a crise. O apoio de familiares e amigos no momento do ataque também é importante para transmitir calma ao paciente.

Procurar atendimento especializado é fundamental para impedir novas crises e controlar os sintomas. Casos leves podem ser tratados por meio da psicoterapia, mas os mais graves devem receber medicação antidepressiva e calmante prescritas por um médico. Praticar atividades físicas regularmente e evitar situações e lugares capazes de desencadear uma nova crise são atitudes primordiais para vencer a síndrome do pânico.

Dr. Alexandre Proença é psiquiatra, membro da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) atende em Niterói e São Gonçalo (RJ). CRM-RJ: 52905674 – www.alexandreproenca.com.br

Foto: Shutterstock

Newsletter
Compartilhamento

Posts relacionados

Artigos
Ansiedade leve pode evoluir para quadros mais sérios se não for tratada?

A ansiedade, em boa parte dos casos, é uma sensação considerada normal e até boa, já que ajuda o indivíduo a estar mais atento e a se proteger em situações de perigo e de mudanças. No entanto, há pessoas que experimentam níveis muito altos de ansiedade, considerados patológicos e divididos em leve, moderado ou grave. […]

Artigos
Irritabilidade pode ser um sintoma de ansiedade?

A irritabilidade, classificada como uma baixa tolerância a incômodos e em reações exageradas a estímulos, pode ser um dos sintomas da ansiedade. Um quadro de ansiedade é classificado de diferentes formas, dependendo dos sintomas envolvidos e da intensidade dos mesmos. Em alguns casos, a ansiedade surge como uma resposta normal do organismo a algum estímulo, mas […]

Artigos
Qual a diferença entre transtorno de ansiedade generalizada e ansiedade social?

Os transtornos de ansiedade compreendem um grupo de distúrbios psiquiátricos ligados a uma exacerbação da sensação de ansiedade. É o caso do transtorno de ansiedade generalizada e da ansiedade social. Apesar de ambos serem transtornos crônicos e disfuncionais, com grandes riscos à qualidade de vida dos pacientes se não forem tratados, existem diferenças significativas entre […]

Converse com um dos nossos atendentes