Esquizofrenia: qual é a diferença da doença em homens e mulheres?


  • +A
  • -A
Imagem do post Esquizofrenia: qual é a diferença da doença em homens e mulheres?

A esquizofrenia é um transtorno psiquiátrico que provoca delírios e alucinações, tanto em homens quanto em mulheres. Mas, a doença apresenta algumas diferenças entre os dois gêneros, segundo o psiquiatra Edoardo Vattimo. Observando o número de casos como um todo, a esquizofrenia chega a afetar 40% mais homens que mulheres.

Na adolescência, esquizofrenia é mais frequente em homens


Acredita-se que a diferença no número de casos seja causada por fatores da neurobiologia, que diferem entre homens e mulheres, mas também pela
exposição a fatores de risco, que também variam de um gênero para outro. Existem, no entanto, algumas particularidades. “Há diferenças de acordo com a idade. Por exemplo, nos casos diagnosticados em pessoas com idade mais avançada, há mais casos em mulheres”, explica o médico.

As mulheres costumam ser diagnosticadas com esquizofrenia já na idade adulta, entre os 25 e 35 anos, mas há também um segundo pico durante a menopausa, época em que o corpo feminino passa por uma série de transformações. Já durante a adolescência e até os 25 anos de idade, são os homens que lideram o número de diagnósticos.

Sintomas negativos da esquizofrenia podem ser mais intensos nos homens


Os sintomas também podem se manifestar de maneira diferente dependendo do gênero do paciente. “Alguns estudos indicam pior prognóstico entre homens, que tendem a apresentar
sintomas negativos mais intensos, que envolvem apatia, falta de iniciativa e afetividade comprometida, além de sintomas depressivos”, afirma Vattimo. Estes sintomas acabam impactando a funcionalidade da pessoa esquizofrênica.

A resposta ao tratamento farmacológico também encontra algumas particularidades entre homens e mulheres, mas o especialista diz que não há nenhum protocolo que indique tratamentos específicos, com exceção do período da gravidez e da amamentação nas mulheres. “No entanto, o enfoque nas diferenças de gênero nos tratamentos psicossociais e de reabilitação, como psicoterapias e terapia ocupacional, adaptando a intervenção às necessidades do paciente, tem o potencial de melhorar os resultados”, destaca o psiquiatra.

Dr. Edoardo Filippo de Queiroz Vattimo é psiquiatra graduado pela Universidade de São Paulo e atua no Hospital das Clínicas. CRM-SP: 162410

Foto: Shutterstock

TAGS
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

2 comentários para "Esquizofrenia: qual é a diferença da doença em homens e mulheres?"

Monica

Soy casada há 15 anos.Oito anos para cá meu marido começou a afirmar que traio ele com outros homens, e até mulheres.O irmão dele era esquizofrênico de não sair de casa e não tomava medicação.E o meu marido acredita que tenho amantes onde vou.Pedi sempre para procurar um médico, mas ele acha que não tem problema e tudo que acontece , até a falta de dinheiro a culpa é minha.Sexualmente ele quer fantasiar outros na cama e não faz questão da penetração, prefere se masturbar e fantasiar.O problema é que ele acha normal.Eu não sei o que fazer.Quando achei pessoas que poderíam ajudar ele se tratar, na igreja evangélica,.tratar em psiquiatra e psicologo, rle fugiu, dizendo que eles não prestam.Tenho 3 filhos, 14,12 e 10.Sou dona de casa, sempre cuidei da casa, deles, nunca saí, e nem olho para ninguém, sou honesta, não acho certo trair, é muito difícil porquê ele não aceita ajuda.Ele é ex dependente químico, agora não sai mai do Narcóticos Anônimos, vou raramente com ele nas reuniões abertas e percebo que não se abre, acha que precisa falar as coisas para os outros ouvirem e serem ajudafos por ele..

Cuidados Pela Vida

Olá Monica, você pode ajudá-lo de outras formas, até que consiga levá-lo para uma consulta com o especialista. Como afirma a psiquiatra Dra. Érika Mendonça de Morais, ter uma alimentação adequada, atividade física e sono são importantes para o sistema nervoso central, assim como para o restante do corpo. Quando praticados com regularidade, os exercícios físicos também influenciam o sucesso do controle de um transtorno mental. Uma de suas ações é diminuir o nível de ansiedade e estresse. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.