AchèAchè
search
Título

Mania de perseguição é um sintoma da esquizofrenia?

Esquizofrenia

Por Dra. Ana Claudia Ducati Dabronzo

19 de outubro de 2023

Como a esquizofrenia consiste em sintomas como alucinações e delírios, é possível que um paciente venha a ter algo parecido com a mania de perseguição, acreditando que há alguém atrás dele quando, na verdade, isso não ocorre. Todavia, de acordo com a psiquiatra Ana Cláudia Ducati, a mania de perseguição por si só não se conecta com este transtorno mental.  
“Na esquizofrenia há quadros delirantes que apresentam conteúdo persecutório, mas isso não quer dizer que a mania de perseguição seja um sintoma envolvido. Os delírios basicamente são uma alteração do juízo, configurando uma crença do paciente com características irrefutáveis. Mesmo que seu conteúdo seja impossível, o paciente acredita cegamente naquilo e nada pode dissuadi-lo de tal crença”, explica.

Os sinais da esquizofrenia

Ainda segundo a médica, a esquizofrenia marcada, sobretudo, pela presença de delírios de perseguição é a do tipo paranoide. “Indivíduos com esse tipo de esquizofrenia tendem a ser tensos, desconfiados, cautelosos, reservados e, às vezes, hostis. As alucinações, que consistem na percepção clara de um estímulo que não está lá (uma voz, um barulho, uma imagem), também costumam estar presentes”.
Os pacientes com esses sintomas costumam ter uma aparência desleixada, além de comportamento social e respostas emocionais inadequados e desorganizados. “Eles podem explodir em risos sem nenhuma razão ou fazer sorrisos e caretas incongruentes. Outros traços comuns de quem tem esquizofrenia: movimentos voluntários bizarros, rigidez, negativismo (como mutismo seletivo), empobrecimento afetivo, apatia, autonegligência e diminuição da fluência verbal”.

Tratamento para esquizofrenia

O tratamento para a esquizofrenia envolve, principalmente, o uso de medicação antipsicótica. Contudo, intervenções psicossociais, incluindo psicoterapia, podem contribuir para a melhora clínica. “Em alguns casos, dependendo da gravidade, a hospitalização pode ser necessária para ajuste farmacológico e controle de sintomas psicóticos”.
Dra. Ana Claudia Ducati Dabronzo é psiquiatra geral e da infância e adolescência, formada pela Universidade de São Paulo (USP). CRM: 150.562
Foto: Shutterstock

Newsletter
Tags
esquizofrenia
psicologico
Compartilhamento

Posts relacionados

Artigos
Qual é o tipo de esquizofrenia mais grave que existe?

A esquizofrenia é classificada em quatro tipos, cada um relacionado a intensidades e características distintas. A esquizofrenia denominada hebefrênica é a mais grave de todas e acomete mais indivíduos jovens, entre 15 e 25 anos de idade. O transtorno é marcado por sintomas como perturbação dos afetos, comportamento irresponsável e imprevisível, pensamento desorganizado e discurso incoerente. […]

Artigos
Esquizofrenia: Quanto tempo costuma durar o surto de um paciente?

Um paciente com esquizofrenia possui dificuldade em distinguir o que é real do que não é e por vezes isso pode se intensificar a ponto de ocorrerem surtos. A duração destes costuma variar de acordo com diversos fatores, podendo ser de dias, semanas, meses ou até mais longos. Nos casos mais graves, o paciente acaba […]

Artigos
O paciente em crise de esquizofrenia pode perder totalmente a noção da realidade?

A esquizofrenia é um transtorno psiquiátrico que deve ser diagnosticado precocemente e tratado de forma adequada. Quando isso não acontece, o paciente fica mais sujeito às crises da doença, capazes de provocar desorganização mental, delírios e alucinações e que podem ainda fazer a pessoa afetada pelo distúrbio perder totalmente a noção da realidade. Crise de […]

Converse com um dos nossos atendentes