Alergias de outono: veja dicas para se proteger na mudança de estação!


  • +A
  • -A

O fim do verão é visto por algumas pessoas com alívio. É hora de dar adeus às temperaturas altas e chuvas fortes e receber o clima ameno do outono. No entanto, nem todos os aspectos da mudança de estação são positivos. A chegada do outono pode trazer alguns problemas de saúde, especialmente, alergias. Quem é mais suscetível às doenças respiratórias deve se proteger.

Permanecer em ambientes fechados favorece casos de alergias respiratórias


As alergias respiratórias são as que mais inspiram cuidados. “Elas são 
desencadeadas por alguns fatores, como partículas suspensas pela queda das folhas, maior concentração de poluentes em decorrência das inversões térmicas, variações bruscas de temperatura em um mesmo dia e maior permanência em ambientes fechados e pouco ventilados, o que facilita a proliferação de ácaros“, afirma a otorrinolaringologista Renata Curi.

Além disso, nessa época do ano, as pessoas tendem a retirar do armário roupas de frio que ficaram guardadas durante vários meses. Muitas dessas peças podem ter acumulado poeira e mofo, substâncias chamadas de alérgenos e que são capazes de desencadear alergias respiratórias, como asma e rinite alérgica. Antes de usar as roupas, é importante lavá-las.

Deixar a casa limpa evita alergias respiratórias no outono


Para evitar esses problemas, basta seguir as dicas da especialista: “Como cuidados, devemos manter o ambiente de casa sempre limpo e bem arejado,
realizar lavagem nasal com soro fisiológico e evitar o contato com pó e mofo”. Renata recomenda lavar também edredons e cobertores antes do início do frio e utilizar capas com tratamento antialérgico para colchões e travesseiros.

Cortinas, tapetes e carpetes também podem acumular alérgenos. O ideal é retirá-los de casa, mas caso não seja possível, mantenha-os sempre limpos utilizando panos úmidos e aspirador de pó no lugar da vassoura. “Além de acompanhamento médico, é importante seguir uma dieta balanceada, se hidratar adequadamente e praticar atividades físicas regulares”, complementa a médica.

Dra. Renata Souza Curi é otorrinolaringologista, formada pela Faculdade de Medicina de Taubaté (SP) e atende em consultório em São Paulo. CRM-SP: 131439. RQE: 38657 – www.otovita.com.br

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Renata Souza Curi

Dra. Renata Souza Curi

Otorrinolaringologia

CRM: 131439 / SP

TAGS
alergias-respiratorias
respiracao

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

8 comentários para "Alergias de outono: veja dicas para se proteger na mudança de estação!"

Arli

Comecei a espirrar será que pode ser o cheiro De algum produto de limpeza ou pelo do cachorro.o que fazer?

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Arli, a análise de um profissional especializado conseguirá determinar o quadro que levou à formação deste sintoma em particular. Procure um serviço de saúde próximo de sua residência e realize uma consulta. Abraços.

Rosemary Pedreira da Silva

Alimentos que ajudam quem tem bronquite alérgica. Tenho interesse

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Rosemary, segue o link de uma de nossas matérias com informações para você:
https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/asma-e-bronquite/como-conviver-com-a-bronquite
Abraços.

Therezinha

Meus pais, 87a, estão há 15 dias com um resfriado complicado. Leva no médico, voltam c uma receita e ñ saram. Q fazer?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Therezinha. É importante buscar atendimento médico para que após exames seja identificado a causa dos sintomas e assim seja indicado o tratamento mais adequado, seus pais podem buscar atendimento com um clínico geral ou até mesmo uma consulta com o geriatra. Continue nos acompanhando para receber mais informações em matérias como essa. Abraços.

Celinia

Boa noite !Meu neto tem cinco anos . Saí muita, muita sujeira do nariz ( catarro mesmo ) já foi levado ao otorrino várias vezes , já tomou medicação e não melhora . O que podemos fazer ?? Agradeço !!

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Celinia. Agradecemos por compartilhar seu comentário. Você deve conversar com o médico do seu neto e informar que o tratamento indicado não surtiu o efeito desejado e os sintomas persistem, para que ele possa readequar o tratamento atual ou indicar um novo. Dessa forma será possível amenizar os sintomas e trazer maior qualidade de vida para vocês. Até a próxima.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.