Cuidador iniciante: dicas te ajudam no convívio com pacientes com Alzheimer


  • +A
  • -A

O mal de Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que tende a afetar as regiões do cérebro responsáveis pela formação de novas lembranças. Com o desenvolvimento do problema, a linguagem, a memória, o humor e a capacidade de localização, planejamento e de execução de ações motoras ficam prejudicados, fazendo com que os idosos precisem da ajuda quase constante de um cuidador.

Organização ajuda o cuidador a não se confundir com remédios de Alzheimer


O cuidador, que na maioria dos casos é um parente próximo, muitas vezes não sabe como lidar com o familiar com Alzheimer. Nesta situação, sua melhor opção é se informar, como aconselha a geriatra Paula Zanatta: “Acredito que
buscar informação sobre a doença é o melhor caminho: como são os sintomas, a evolução e o tratamento. Conversar com pessoas na mesma situação também ajuda muito”.

Além do Alzheimer, é possível que o idoso tenha ainda outras doenças, como diabetes, obesidade e hipertensão, que devem continuar sendo tratadas adequadamente. O problema é que, com tantos remédios, você pode se confundir e dar uma dose errada em um momento errado ao paciente. Para evitar que isso aconteça, anote tudo em um papel. Existem até mesmo caixas de medicação encontradas em “lojas de R$ 1,99” que te ajudam a se organizar melhor.

Barras de apoio no banheiro podem evitar quedas de idoso


Como
a mobilidade é prejudicada pela doença de Alzheimer, uma das principais medidas que o cuidador deve tomar é tornar a própria casa mais segura para o idoso. A instalação de pisos antiderrapantes e barras de apoio em escadas, no banheiro e no quarto é importante, assim como melhorias na iluminação, uso de protetores de quina de móveis e eliminação de degraus nos locais em que for possível.

“A doença evolui com os anos, causando uma maior dependência desse paciente, que passa a necessitar de ajuda para se alimentar, além da presença das incontinências urinária e fecal, com necessidade de fraldas”, afirma Dra. Paula. Para que o cuidador não se sobrecarregue e não seja levado à exaustão, uma dica importante é se consultar com médicos e psicólogos e também pedir auxílio a outros membros da família para cuidar do idoso.

Dra. Paula Maria Pereira Zanatta Santiago é geriatra, formada em Medicina pela Universidade do Oeste Paulista, pós-graduada em Cuidados Paliativos e atende em São Paulo. CRM-SP: 116427

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
TAGS
alzheimer

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

24 comentários para "Cuidador iniciante: dicas te ajudam no convívio com pacientes com Alzheimer"

Elaine Cristina Alves

Esse site está sendo de grande ajuda p mim,minha mãe tem 80 anos e foi diagnosticada com Alzheimer tem 2 meses,obgd ❤

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Elaine, que bom que está gostando das matérias, você também pode ver todas as matérias relacionadas a esse tema em https://cuidadospelavida.com.br/busca/Alzheimer. Abraços para você e para sua mãe.

Maria Luíza

Muito útil essa matéria, tem me ajudado bastante a lidar com a doença, tenho uma mãe com Alzheimer há 4 anos e as cuidadoras tem dificuldade para lidar com as mudanças de humor.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Maria Luíza, existem alguns fatores que podem ajudar a lidar com as frequentes mudanças de humor do paciente com Alzheimer, como entender o que é a doença e seus sintomas, e ter orientação para cuidar bem do paciente. Isso pode vir do médico ou de outros profissionais, como psicólogos, terapeutas ocupacionais e enfermeiros.
Agradecemos o seu comentário, Maria. Continue por aqui para ter acesso a mais informações. Abraços!

Simone Mendes

Boa tarde!Meu sogro tem 82 anos já tem 5 anos que ele tem Alzheimer toma os remédios,memantina,quetiapina,donila. Mas agora de agosto pra cá piorou ñ tem firmeza nas pernas ficar mas deitado que sentado tá difícil para comer usa fraldas eu q do banho mas não estou aguento mas meus braços tá inchando. Eu só irei ao médico para buscar a receita dele para comprar os remédios. A minha dúvida é eu continuo com os remédios???

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Simone, sugerimos que o tratamento prescrito pelo médico nunca seja interrompido sem que o mesmo faça uma avaliação prévia para diagnóstico completo do caso do paciente. A boa notícia é que os pacientes cadastrados no Programa, que utilizem o medicamento Donila possuem um benefício a mais, o Saudável Saber, que é um acompanhamento de farmacêuticos e enfermeiros 24h por dia, via telefone para esclarecimento de dúvidas sobre saúde, doenças e tratamento. Você pode contatá-los através do número 0300 118 1006 para verificar informações a respeito do tratamento com o medicamento Donila. Abraços!

Carlos Prado

Parabéns pelo site. Minha mãe tem 81 anos e tem a doença. Sou filho único e realmente é bastante desgastante o acompanhamento. Por favor vocês sabem de grupos, associações ou entidades aqui em São Paulo capital, onde possam ter encontros para trocar informações e também indicar cuidadores. Muito obrigado. Grande Abraço. Carlos Prado. SP

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Carlos, verifique no posto de saúde mais próximo da sua residência, eles podem te orientar em relação a todas as dúvidas. Parabéns pela melhoria de qualidade de vida. Abraços para você e para sua mãe.

Miguel Pauline Clemente

Estou gostando das dicas dadas por vocês, as dúvidas que temos são bem parecidas.Minha mãe está com 82 anos a 5 anos em tratamentos.Ela sofre muito com infecção urinária.Pôde ser pelo uso continuo das fraldas?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Miguel, ficamos felizes que tenha apreciado nosso conteúdo. A incontinência urinária e fecal é comum em pacientes com Alzheimer, o que leva a necessidade de uso constante de fraldas. Problemas relacionados a infecção podem acontecer por meio do uso de fraldas, por isso é importante dobrar a atenção e troca-las sempre que for necessário. A consulta médica é importante para avaliação e solução do caso. Abraços.

Sidney castro

OláMinha mãe desenvolveu esta doença aos 65 anos e eu estou cuidando dela sozinho. É muito cansativo e emocionalmente desgastante ! Hoje ela usa clozapina pois teve intolerância a todos os outros medicamentos como Donila e quetiapina. O site tem me ajudado muito e minha dúvida seria quanto à farmácia popular , o que podemos buscar nela já que as medicações nunca são baratas?

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Sidney, o ideal é que você esclareça essa dúvida com o médico que prescreveu o medicamento ou com o posto de saúde mais próximo da sua residência. Outra informação para você é que os pacientes cadastrados no programa Cuidados Pela Vida possuem um benefício a mais, o Saudável Saber, um acompanhamento de farmacêuticos e enfermeiros 24h, via telefone para esclarecimento de dúvidas sobre saúde, doenças e tratamento. Você pode contatá-los através do número 0300 118 1006 para verificar informações a respeito do tratamento. Continue conosco para mais matérias como essa. Abraços para você e para sua mãe.

Soraia de lima

Oi muito bom ler essa matéria,tenho minha mãe que foi diagnóstica com essa doença a dois anos venho cuidando com amor carinho dedicao porque essa doençaA cada dia ela vai regredindo com essa doença e muito doido para nos família ou seja filhos (a) ver a sua mãe aos poucos regredindo com essa doença alzelmer Mas graças a deus ainda ela anda mas depende de nós para tudo,quem a não sabe sobre essa doença procura saber porque ela é degenerativa 😏

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Soraia, a doença de Alzheimer é bastante conhecida por causar problemas na memória, especialmente na memória recente, mas, com a progressão do quadro, também prejudica a comunicação e o humor dos idosos. O tratamento da doença de Alzheimer que existe hoje não é capaz de reverter os danos já feitos, ou seja, não consegue recuperar a memória perdida. Contudo, ele possibilita que o processo degenerativo da memória seja retardado ou até mesmo estabilizado, o que permite que o paciente consiga, a partir daí, evoluir com melhor qualidade de vida. Abraços.

Ivanilda

Minha tia tem Alzheimer ,ela toma :Cloridrato de sertralinaProlopaQuetiapinaDonilaClonazepam 2,5Ela está trocando o dia pela noite não sei o que fazer

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Ivanilda, conforme informado na matéria buscar informações sobre a doença é o melhor caminho: como são os sintomas, a evolução e o tratamento. Conversar com pessoas na mesma situação também ajuda muito. E é também de suma importância não abandonar o tratamento indicado pelo médico pois somente seguindo o tratamento é possível amenizar os sintomas da doença melhorando a qualidade de vida do paciente e também do cuidador/familiar. Abraços.

Lucia Brazao

Meu marido com 81 anos tem alzahimer a 4anos e ja toma a muito Donila doo,quetiapina mas nao consegue mais dormir e agora esta complementando com Alprazomam 2mg,mas esta muito agrecivo bate muito em mim,nas filhas e em nosso filho que da o banho,e uma luta diaria ja entrego todos os dias pra Jesus e so peco que ele fique mais calmo mas e cada dia mais dificil.A psiquiatra dele tem a mae dela doente a 17 anos ,acamada a 13 anos,por ironia do destido ela trata da mae mas com muito sofrimento.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Lucia, ao descobrir que um idoso na família foi diagnosticado com a doença de Alzheimer, filhos, sobrinhos e outras pessoas próximas geralmente assumem o papel de cuidadores. No entanto, o dia a dia com a doença não é nada fácil. É importante prestar atenção ao horário dos remédios e às refeições e evitar ao máximo brigas com o paciente com o transtorno, para não prejudicar seu tratamento. Confira mais uma matéria com dicas sobre a doença e o tratamento no link abaixo. Abraços.

https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/alzheimer/doenca-de-alzheimer-tratamento

Sandra Silva

Amei estas informações. Minha mãe diagnosticada com essa doença tinha vários surtos. Hoje com a mudança de medicação está bem mais tranquila. É muito bom um site que nos auxilia na convivência com os portadores de Alzheimer, porque realmente é muito desgastante. Hoje ela toma Donazepila, Olanzapina e sertralina, por enquanto está sendo ótimo.Obrigada!!!

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Sandra, Conhecida por causar a perda progressiva da memória, a doença de Alzheimer não afeta apenas o paciente, mas também causa dificuldades para toda sua família. Por causa do transtorno, toda a dinâmica familiar acaba se alterando e, muitas vezes, com as mudanças provocadas pela doença, o idoso não reconhece mais o parente, o que gera sofrimento e angústia. O mais importante é continuar seguindo o tratamento indicado para que se possa melhorar a qualidade de vida do paciente e também do cuidador/familiar. Até breve.

Luciane

Minha mãe tem 76 anos e as 4meses descobrimos que está com alzaimer,e acho que veio mto agressivo grita que está c MTA dor na perna chama mto a mãe dela que já falecida,e agressiva.medicamentos em teste pq ela não dorme.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Luciane, de acordo com a Dra. Aline Ferreira Bandeira de Melo o tratamento atual da doença de Alzheimer não é curativo, ou seja, não muda o curso da doença a longo prazo. Entretanto, os avanços da ciência têm permitido que os pacientes tenham maior sobrevida e melhor qualidade de vida, inclusive na fase grave. Os objetivos da terapêutica são aliviar os sintomas existentes, de modo a estabilizar ou lentificar a progressão da perda da memória, conseguindo independência nas atividades da vida diária por mais tempo. Seguir o tratamento possibilita a amenização dos sintomas e a melhora na qualidade de vida e do paciente e cuidador/familiar. Até logo.

MARIA JOSE BISPO PACHECO

gostaria de saber se já tem algum remedio para agente que começou a esquecer as coisas?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Maria, a doença de Alzheimer é progressiva e cronica ou seja não tem cura, porém com o tratamento adequado pode-se melhorar a qualidade de vida tanto do paciente quanto do cuidador. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.