Qual é a relação entre ansiedade, depressão e o herpes?

  • +A
  • -A

Alguns fatores podem desencadear a infecção e manifestação dos sintomas do vírus do herpes, o que inclui transtornos mentais, como depressão e ansiedade. Todo quadro que compromete a imunidade do organismo será perigoso para a ocorrência do herpes, tendo em vista que todo vírus se beneficia quando encontra um organismo com as defesas vulneráveis. 

Herpes, depressão, ansiedade e imunidade


“Ansiedade e depressão podem enfraquecer o sistema imunológico, o que ajuda a ativar o vírus e favorecer o surgimento de lesões. Alguns estudos demonstram que, não somente a depressão, mas também momentos estressantes no geral podem diminuir a função dos linfócitos e aumentar o número de leucócitos circulantes”, informa a dermatologista Juliana Fonte. 

Segundo a especialista, isso ocorre, provavelmente, pela ativação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal e do sistema nervoso simpático, o que resultaria em níveis aumentados de catecolaminas e cortisol no sangue. Vale ressaltar que a grande maioria das pessoas já foi infectada pelo vírus, mas apenas uma minoria manifesta os sintomas. Portanto, uma baixa na imunidade pode ser suficiente para ativar o vírus em estado adormecido no organismo.  

“Depois do primeiro episódio, o mais comum é que o vírus se torne inativo, ou seja, fique dormente nos gânglios nervosos. Dessa forma, não provoca mais infecção nem prejuízo. Porém, ele costuma ser reativado de tempos em tempos, fazendo com que os sinais e sintomas da doença reapareçam”, explica a dermatologista.

Tratamento medicamentoso contra o vírus


O tratamento contra o herpes é, essencialmente, medicamentoso, pois apenas assim é possível controlar e amenizar os sintomas e as crises (momento em que as lesões se intensificam). Os remédios com lisina em sua composição são opções interessantes, pois este aminoácido é um diferencial na redução das infecções de repetição
causadas pelo herpes simples.

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Juliana Fonte

Dra. Juliana Fonte

Dermatologia

CRM: 32136 / RS

TAGS
herpes
herpes-genital
pele
problemas-de-pele

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Qual é a relação entre ansiedade, depressão e o herpes?"

Marcelo Santos Silva

Tenho herpes a mais de 17 anos neste tempo só tive três crises .Tenho um relacionamento complicado extressante vivo com medo das bolhas que são poucas .aí fico tempo todo olhando tenho medo de falar que tenho a doença. Qundo foi agora eu 2019 fim do ano tô tendo crises quase todo mês tô com medo pois não estar aliviando tem a Ver com estresse.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Marcelo. O vírus do herpes possui um estado de latência, ou seja, o vírus fica “adormecido” em nervos periféricos, podendo ser reativado e podendo causar novamente lesões. Diversos fatores são frequentemente associados à reativação do herpes simples, como trauma local, exposição solar, febre, infecções do trato respiratório superior, procedimentos dermatológicos e estresse psicológico. O estresse psicológico pode afetar nossa saúde de diversas maneiras, e uma delas é enfraquecendo o sistema imunológico, deixando o organismo mais suscetível a novas infecções e favorecendo também a reativação do vírus herpes. Para evitar a reativação do vírus é necessário buscar ajuda médica e iniciar um tratamento medicamentoso. Outra opção é manter uma dieta rica em lisina (aminoácido que consegue inibir a multiplicação do vírus herpes). As fontes de lisina são o leite, iogurte, ovos, abacate, ervilhas, lentilhas, carne, fígado, frango e peixe. Estimamos melhoras. Abraços!

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.