search
    Título

    Quais são as parasitoses intestinais mais comuns?

    Saúde Gastrointestinal

    Por

    As parasitoses intestinais englobam uma série de doenças distintas que representam infecções no intestino causadas por parasitas, como sugere o nome. De acordo com a gastroenterologista Fernanda Oliverio, os exemplos mais comuns são: amebíase, ancilostomíase (popularmente conhecido como amarelão ou doença do Jeca Tatu), ascaridíase (a famosa lombriga), tricuríase, enterobíase ou oxiuríase, esquistossomose, estrongiloidíase, giardíase e teníase (verme do porco/boi).

     

    Formas de contágio das parasitoses intestinais

     

    A parasitoses podem ser adquiridas de duas formas: através de alimentos ou água contaminada com as fezes de pessoas doentes ou fezes de animais e pelo contato direto. Neste segundo, ocorre a penetração de larvas que se encontram no ambiente, no lixo ou nas fezes de animais, diretamente na pele do indivíduo. Um exemplo é quando se anda descalço ou se manuseia o lixo de forma inadequada.
    “O parasita pode entrar pela boca ou pela pele antes de chegar ao intestino. Lá ele vai crescer, se multiplicar e ser eliminado novamente no meio ambiente, completando seu ciclo infeccioso. Pode ocorrer também a auto infecção, quando, por exemplo, o indivíduo coça a região anal ou perianal e coloca a mão na boca ou nos alimentos”, explica Fernanda.

     

    Como estas parasitoses podem ser tratadas?

     

    Cada uma dessas doenças que acomete o intestino demanda tratamentos específicos, mas em geral pode-se dizer que o combate às parasitoses intestinais se faz por meio de medicações (antiparasitários) capazes de amenizar os sintomas e combater os agentes causadores do quadro, associados a cuidados com limpeza e higiene pessoal.   
    O tratamento das parasitoses intestinais é feito de acordo com o tipo de parasitose, sempre com orientação médica e com medicamentos específicos que combatam o maior número possível de parasitas (já que, em diversos casos, pode haver dois ou mais agentes simultaneamente)”, completa a médica.
    Foto: Shutterstock

    Newsletter
    Compartilhamento

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes