AchèAchè
    search
    Título

    Quais são as doenças mais perigosas para quem está com a imunidade baixa?

    Uncategorized

    Por

    Segundo o Ministério da Saúde, o sistema imunológico é uma barreira composta por diversas células com diferentes funções, responsáveis por proteger o organismo do ataque de bactérias, vírus e outros micróbios causadores de doenças. Entretanto, nos casos de imunidade baixa, essa proteção não funciona da maneira ideal e o corpo fica mais vulnerável a problemas capazes de ameaçar a saúde. Confira os mais perigosos. 

    Pneumonia e otite são comuns em pacientes com imunidade baixa


    A imunologista Anete Grumach explica que a defesa do corpo é formada por vários setores e que a suscetibilidade de ter um tipo ou outro de doença depende da área do sistema imunológico que pode estar comprometida. “
    Pacientes que não produzem anticorpos podem apresentar infecções por bactérias que afetam o trato respiratório ou digestivo, por exemplo”, cita a especialista.

    Os quadros infecciosos mais comuns são gripe, resfriado, pneumonia, otite, amigdalite e meningite. Os casos de herpes também atingem com mais frequência pessoas com a imunidade prejudicada. Isso acontece porque, na maioria dos casos, o vírus do herpes já está alojado no corpo, mas na forma inativa, até que uma brecha na defesa imunológica provoque a manifestação das feridas.

    Dieta saudável e atividade física regular ajudam a imunidade do corpo


    De acordo com a médica, uma dieta carente de nutrientes essenciais e o sedentarismo comprometem a saúde e a resposta imune do corpo. “
    Ter uma dieta adequada, praticar esportes e manter uma rotina saudável são atitudes que podem auxiliar o equilíbrio do organismo e, dessa forma, reduzir complicações como infecções e doenças autoimunes. O estresse mental e físico também está relacionado a mudanças que podem afetar nossa imunidade”, informa Dra. Anete.

    O ideal é que a baixa imunidade seja detectada o quanto antes e alguns exames, como o hemograma, ajudam a orientar o tratamento. Além das mudanças de hábitos alimentares e a incorporação de exercícios na rotina, manter a vacinação em dia e ter um acompanhamento médico são medidas preventivas que contribuem para manter um organismo saudável, forte e bem protegido. 


    Dados do Ministério da Saúde:
    http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/o-que-e-hiv/o-que-e-sistema-imunologico

    Foto: Shutterstock

    Compartilhe

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes