search
    Título

    Dor de cabeça constante pode ser sinal de estresse?

    Cabeça e Pescoço

    Por

    Se sentir dor de cabeça esporadicamente já é motivo de incômodo, imagine senti-la frequentemente. Nesses casos, o sintoma pode prejudicar até a qualidade de vida e atrapalhar o trabalho e os estudos. A causa para o problema deve ser investigada por um médico. No entanto, em algumas pessoas, sentir dor de cabeça constantemente pode ser o resultado de uma rotina muito estressante.

    Estresse pode piorar dor de cabeça


    “O estresse é um dos fatores desencadeantes da dor de cabeça, associado à privação de sono, alimentação e fatores hormonais”, afirma o neurologista André Carvalho Felício. O estresse é uma reação do organismo a
    pressões externas. São mudanças físicas e emocionais que não só podem provocar dor de cabeça, como também piorá-la, especialmente em quem já sofre frequentemente com o sintoma.
    De acordo com o especialista, o estilo de vida acaba influenciando o surgimento da dor de cabeça. “Provavelmente sim, em particular, em grandes centros urbanos, onde longas horas de trabalho, trânsito, poucas horas de sono, sedentarismo e estresse coexistem em uma espiral negativa, levando o indivíduo mais suscetível a sentir dor de cabeça frequentemente”.

    É possível diminuir a frequência da dor de cabeça?


    Para quem vive estressado, é importante reduzir o estresse e a ansiedade do dia a dia. Para isso, Felício recomenda fazer exercícios físicos. “Em longo prazo, a atividade física regular é a melhor estratégia não-farmacológica para minimizar a dor. Fazendo exercícios, liberamos peptídeos opioides endógenos, que são potentes analgésicos que nosso próprio corpo produz”, aconselha o médico.

    É importante também procurar a ajuda de um neurologista para avaliar a causa e a melhor forma de tratamento para a dor de cabeça constante, mas algumas medidas simples podem aliviar o problema. Não ficar muito tempo sem comer, ter uma alimentação saudável, ter uma boa noite de sono e não exagerar no consumo de medicações analgésicas são alguns exemplos.

     

    Foto: Shutterstock

    Newsletter
    Compartilhamento

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes