Familiar com Alzheimer: saiba os primeiros passos para enfrentar a doença


  • +A
  • -A

O mal de Alzheimer é uma doença crônica que provoca perda progressiva da memória. Ela faz com que os pacientes não consigam se lembrar de amigos, de situações vividas e até do próprio nome. Os pacientes acabam se esquecendo de tomar os medicamentos que ajudam a combater o problema, mudam de humor rapidamente e têm dificuldade até para comer. Por isso, o papel da família, que frequentemente se torna cuidadora do paciente, é essencial para reduzir os impactos do Alzheimer.

Cuidar com eficiência: se informe sobre a doença de Alzheimer


Para enfrentar a doença, o geriatra Tomaz Aquino defende que os familiares
busquem informações sobre a doença, os sintomas e as possíveis dificuldades que poderão surgir no futuro. “A demência de Alzheimer é difícil para todos: profissionais de saúde, pacientes e familiares. Uma boa educação em saúde é fundamental”, explica o especialista.

Ao conversar com o médico, você poderá tirar qualquer dúvida sobre as medicações indicadas para ajudar nos sintomas típicos do Alzheimer, mas sem prejudicar o controle de outros problemas, como hipertensão e diabetes. Mesmo com a doença, seu familiar deve ter certa independência e autonomia, recebendo auxílio sempre que precisar. “É preciso conversar abertamente sobre o momento em que há maior risco de dirigir e identificar a competência em lidar com dinheiro e contas e em sair sozinho”, diz Aquino.

Cuidador deve prestar atenção à própria saúde


Mas, apesar de a saúde do familiar com mal de Alzheimer ser muito importante,
o seu bem-estar não pode ser deixado de lado. “O cuidador, por vezes, é considerado como o ‘paciente invisível’. Ele está em constante contato com médicos e hospitais, mas sua saúde muitas vezes é renegada”, destaca o profissional.

Ansiedade, depressão e até problemas físicos causados ou agravados pelo grande esforço no auxílio ao paciente são alguns dos principais problemas que você e outros familiares podem enfrentar. “Penso que um bom acompanhamento psicológico e clínico pode ajudar o cuidador a lidar melhor com essa doença tão difícil, e cada vez mais comum em nosso meio”, recomenda Aquino.

Portanto, não vacile: evite se sobrecarregar demais, dividindo tarefas e compartilhando dúvidas e angústias. Peça sempre ajuda a outros familiares e a pessoas próximas. Afinal, para conseguir cuidar de alguém, você precisa manter a própria saúde como prioridade.

 

Dr. Tomaz Aquino é geriatra, clínico médico e especialista em Atendimento Domiciliar e Cuidados Paliativos. CRM-SP: 157962 – Página Oficial

Foto: Shutterstock

TAGS
alzheimer
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

1 comentário para "Familiar com Alzheimer: saiba os primeiros passos para enfrentar a doença"

Márcia lima

Minha comadre tem essa doença, e não está sendo nada fácil ela cuidar da mãe. Tem uma cuidadora com ela mas, eu percebo que o quadro só piora ela está fazendo de tudo para não internar a mãe.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.

x

Parabéns

Em breve sua revista chegará em sua casa

Percebemos que você gostou do nosso conteúdo. Quer receber nossa revista em casa?

Preencha o formulário com seus dados que enviaremos para você!

* IMPORTANTE: Isso não é uma assinatura. Você receberá apenas esta edição da Revista CUIDADOS PELA VIDA.