O que são a serotonina e a dopamina? Qual a função delas no cérebro?

  • +A
  • -A

A serotonina e a dopamina são neurotransmissores que têm diversas funções no corpo, colaborando para que todo o organismo funcione adequadamente. Seu papel no cérebro é atuar na transmissão de dados entre os neurônios.

Níveis baixos de serotonina podem estar relacionados a sintomas da depressão


“A serotonina é um dos neurotransmissores mais importantes para nosso cérebro e regula não só nosso humor, sua função mais conhecida e estudada, como também regula o ciclo do sono, apetite, desejo sexual e memória, direta ou indiretamente”, afirma a psiquiatra Cláudia Chaves. A falta de serotonina no cérebro é um dos fatores relacionados a sintomas de ansiedade e depressão,
junto com a falta de balanço de outros neurotransmissores e outras alterações.

Por outro lado, o excesso de serotonina no cérebro pode ocorrer de forma artificial, por exemplo, em decorrência do uso de algumas substâncias, como anfetaminas e cocaína. Alguns medicamentos utilizados para o tratamento da depressão e de transtornos de ansiedade melhoram a ação do neurotransmissor e podem ajudar a reduzir os sintomas desses transtornos.

Já a dopamina é produzida em áreas específicas do cérebro. “Está presente no local que controla emoções, como o sistema de recompensa cerebral (quando sentimos prazer por fazer algo que gostamos, nos dá sensação de bem-estar), e em centros que controlam nossos movimentos musculares, memória e capacidade de aprendizagem, além de algum efeito sobre o nosso humor”, explica a profissional.

Excesso de dopamina está ligado à esquizofrenia


Assim como no caso da serotonina, alterações na quantidade de dopamina também podem alterar o funcionamento do cérebro. “Dentre as possíveis causas da esquizofrenia, umas das mais aceitas
atualmente é a teoria dopaminérgica, em que há excesso de dopamina numa área cerebral, o que leva às alucinações, delírios e desorganização, além de um declínio na dopamina na via responsável pela lentificação dos pensamentos presente na doença”, diz Cláudia.

Além disso, a falta de dopamina, segundo estudos, está relacionada a dificuldades de concentração, alterações no sono, alteração de libido e de humor. Com a exceção do uso de medicações, ainda não existem formas ativas cientificamente comprovadas de mudar esses neurotransmissores.

Quando pensar em depressão?

 

Tristeza não é sinônimo de depressão. O episódio depressivo se caracteriza pela presença, por pelo menos 2 semanas consecutivas, de 5 das 9 manifestações a seguir, ocorrendo na maior parte do dia, quase todos os dias; obrigatoriamente uma das manifestações deve ser humor deprimido ou perda do prazer em atividades:

– Humor deprimido: sentir-se triste, sem esperança; isso pode ser percebido por outras pessoas;

– Diminuição ou perda do prazer em atividades: menor interesse em passatempos ou em atividades que anteriormente o indivíduo considerava prazerosas; o individuo muitas vezes fica mais retraído socialmente;

– Inquietação ou estar mais lento que seu habitual, e isso é percebido por outras pessoas;

– Alteração de apetite e/ou de peso: pode ser para mais ou para menos, ou seja, pode ocorrer (de forma não intencional) aumento de apetite, aumento de peso, redução de peso, redução de apetite (exemplo: o indivíduo precisa se esforçar para se alimentar);

– Alteração do sono: excesso de sono ou insônia;

– Fadiga ou falta de energia: cansaço mesmo sem esforço físico pode ser relatado pelo indivíduo, bem como dificuldade em realizar tarefas;

– Sentimentos de inutilidade ou de culpa excessiva ou inapropriada: o indivíduo pode, por exemplo, ficar ruminando pequenos fracassos do passado;

– Dificuldade de se concentrar ou de pensar: os indivíduos podem se queixar de dificuldades de memória;

– Pensamentos de morte ou planejamento para cometer suicídio.

Tais alterações representam mudança em relação ao funcionamento anterior do indivíduo, e causam sofrimento e/ou prejuízos no funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.

Lembre-se: depressão não é só no setembro amarelo! Se você sentir que está diferente do seu habitual ou notar diferença em alguém com quem convive, procure ou oriente a procura de ajuda médica e psicológica!

Este material tem caráter meramente informativo e não tem a intenção de substituir avaliação ou conduta médica. Siga sempre as orientações de seu médico assistente.

Dra. Claudia Chaves Dallelucci é médica psiquiatra, formada em Medicina pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) e mestranda em Psiquiatria pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). CRM-SP: 151077

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Claudia Chaves

Dra. Claudia Chaves

Psiquiatria

CRM: 151077 / SP

Dra. Stephanie Toscano Kasabkojian

Dra. Stephanie Toscano Kasabkojian

Psiquiatria

CRM: 175618 / SP

TAGS
ansiedade
depressao
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

37 comentários para "O que são a serotonina e a dopamina? Qual a função delas no cérebro?"

Cláudia

Isso tudo e verdade acontece tudo comigo obrigada por ajudar a entrnder o que si passa comigo

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Cláudia, ficamos felizes que tenha gostado. Continue por aqui para ter acesso a essas e outras informações. Abraços.

Lúcia F. Schroeder

Olá boa noite, Por favor, como voces médicos descobrem se há falta de dopamina no cérebro? Existe algum RX ou exame específico?Obrigada

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Lúcia, o médico avalia os sintomas de uma pessoa, fatores de estilo de vida e histórico médico para determinar se eles têm uma condição relacionada a baixos níveis de dopamina. Abraços.

Carlos Alberto Coelho Gouveia

Parabéns! por passar para as pessoas informações tão importantes sobre uma doença que afeta um número tão grande de pessoas. Um médico capacitado na minha opinião é muito mais importante do que qualquer jogador de futebol,porque o médico salva vidas e transmite informações preciosas para que as pessoas se curem e até nem adoeçam.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Carlos Alberto, nossa intenção é que todos tenham acesso a informação e possam assim cuidar da saúde. Continue por aqui para ter acesso a essas e outras informações. Abraços.

Rosilda

Olá Dra faço tratamento psiquiátrico desde 2015 já fiquei afastada pelo INSS e há algum tempo venho tentando mim manter nós serviços que arrumo porém não consigo porque não consigo tem bom convívio com as pessoas e não tenho disposição para trabalhar na verdade percebo que não consigo mais ter um convívio social e todos os meus trabalhos sou despedida por não conseguir trabalhar e atestados mim ajude o quê eu faço se eu recorre ao INSS será consigo um auxílio doença mesmo já tendo sido despedida da empresa2015

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Rosilda, você pode verificar com o médico do trabalho ou com um perito do INSS se o seu quadro pode ser indicativo para aposentadoria. Abraços.

Bárbara

Não possuo problemas psiquiátricos mas devido a uma doença autoimune rara e grave que me causa muitas dores, meu anestesista indicou a serotonina sintética e venho percebendo uma diminuição de libido ( o que vem me incomodando bastante, pois se antes não conseguia passar um dia sem, agora passo dias e nem sinto falta) e meu esposo percebe que não tenho mais orgasmos como antes e se sente triste, o que faço pra mudar isso, pois a medicação me ajudou bastante com a doença e diminuiu as dores? Mas anda me incomodando muito, pois sou muito quente e ando fria.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Barbara, agradecemos por compartilhar seu comentário conosco. Conforme informado na matéria a serotonina é um dos neurotransmissores mais importantes para nosso cérebro e regula não só nosso humor, sua função mais conhecida e estudada, como também regula o ciclo do sono, apetite, desejo sexual e memória, direta ou indiretamente. Converse com seu médico para que seja identificado a causa dos sintomas relatados, e se necessário realizar a troca do medicamento por conta dos efeitos colaterais. Desejamos boa sorte no seu tratamento. Abraços.

Ana

Tomo Exodus a um ano e meio. Tenho sintomas de dores físicas, humor deprimido, agressividade e toc. Estou sem medicação a 3 semanas por não conseguir consulta médica. Passei bem no início, mas agora, não estou mais aguentando. As dores, a irritação, o nervosismo. Está muito difícil😥

Alex Mesquita

Sou bipolar. Estou numa fase depressiva. Não tenho forças para nada. Espero a fluoxetina fazer efeito, mas ela atrapalha meu libido. Tem como cortar este efeito?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Alex. Enviamos um e-mail para obtermos mais informações sobre o seu relato. Até breve.

SUELY HELENA DA SILVA

Tomo velafaqsina 150 E 75 juntas Tem mt vontade de tomar serotonina pra me ajudar a ficar melhor ,não tenho energia pra fazer nada mt triste tbem.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Suely. Enviamos um e-mail para ter mais informações sobre seu relato. Até breve!

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.