Por que um infarto pode deixar o músculo cardíaco com sequelas?


  • +A
  • -A

O infarto pode deixar sequelas, especialmente se o atendimento for feito de forma inadequada e com atraso. A qualidade e a velocidade do atendimento são fatores cruciais para o futuro do paciente que sobrevive ao evento. Sem sequelas, o paciente tem muito mais facilidade para cuidar de sua saúde cardiovascular, fortalecendo-a e prevenindo possíveis novos episódios do tipo. Afinal, por que um infarto pode deixar sequelas no coração?

 

Partes do músculo cardíaco podem morrer em decorrência de um infarto

 

“O infarto do miocárdio instala-se a partir da ruptura da placa aterosclerótica intracoronariana, promovendo trombose com formação de coágulos. Estes obstruem parcialmente ou totalmente a circulação do sangue para o músculo cardíaco, promovendo, assim, sua morte. Dependendo da extensão dos danos, poderá haver maior ou menor prejuízo ou sequela à função do coração”, informa o cardiologista Rubens Mattar Júnior.

Segundo o especialista, pode ocorrer, por exemplo, desenvolvimento de choque cardiogênico, insuficiência cardíaca congestiva e aumento de potencial para ocorrência de arritmias cardíacas. “Quanto mais precoce o tratamento, melhores e menores as chances de prejuízo para a função do coração ou de sequelas”.

 

Tipos de tratamento do infarto

 

O tratamento do infarto deve buscar a recanalização da artéria obstruída o mais rápido possível e os melhores resultados estão nas primeiras seis horas do atendimento. Para isso, são indicados dois tipos de tratamento: a reperfusão mecânica e a química. A reperfusão mecânica está ligada à colocação de peças metálicas (stents) no interior dos vasos coronarianos. “Este é o método principal na indicação atual do tratamento do infarto agudo: a angioplastia primária”, afirma Mattar Jr.

Quando a angioplastia está dificultada no atendimento do infarto agudo, busca-se a desobstrução do vaso pela reperfusão química, que é a indicação de medicamentos com poder anticoagulante capazes de agir no trombo e promover a dissolução do coágulo. “Chamamos isto de trombólise química e as drogas usadas de trombolíticos. Quando esses dois procedimentos são precocemente indicados, as chances de perda de função miocárdica e demais sequelas são menores”, completa o cardiologista.

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Rubens Mattar Júnior

Dr. Rubens Mattar Júnior

Cardiologia

CRM: 30054 / SP

TAGS
cardiovascular
coracao
infarto

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

6 comentários para "Por que um infarto pode deixar o músculo cardíaco com sequelas?"

Paulo

Prezados, boa noite.Em 27 de novembro de 2017, sofri um infarto do miocárdio, às 11h. no meio da rua, no Recreio dos Bandeirantes – RJ. Felizmente não fui socorrido pela ambulância do SAMU (não tinham disponibilidade). Minha esposa foi chamada e me levou para um Hospital Particular, na Barra da Tijuca – RJ, por volta das 11h 30. Por causa de problemas burocráticos (FINANCEIROS) o plano de “saúde” não autorizou o procedimento urgente naquele hospital. Por isso, fui transferido por volta das 18h., para outro (mais barato) credenciado em Jacarepaguá – RJ. Nesse, fui submetido à implantação de 1 STENT em uma das ramificações que estava com 98% de obstrução. Só na tarde do dia seguinte foi implantado novo STENT em outra ramificação da artéria que estava com 75% de obstrução. Voltei para o CTI/UTI e desmaiei, pois o torniquete que deveria estar comprimindo o meu pulso, estava frouxo e perdi muito sangue.Fui para casa 3 dias depois com a prescrição de 8 medicamentos (R$ 1.200,00 por mês). Em dezembro 2017 já estava caminhando na praia. De repente a minha Frequência Cardíaca foi para 180 ( ou mais) sem esforço.Fui internado novamente, agora com forte arritmia ( 140 a 190 bpm). Seria necessário fazer uma desfibrilação. De repente, talvez por causa de medicamentos a minha FC voltou ao normal e , até hoje tenho P.A 12/7 e FC 70/80.Um exame posterios de acompanhamento do miocardio revelou uma sequela na musculatura esterna na base do coração, que, segundo informam, não é vital para o seu funcionamento.Sou Diabético, dependo de Insulina. Continuo com a medicação ( R$ 650,00 por mês) , fato que restringe um tratamento dentário e extração de um molar. (Risco Cirúrgico I I).Obrigado pelo espaço.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Paulo. Agradecemos por compartilhar seu relato conosco. A cardioogista Dra. Ana Catarina de Medeiros Periotto afirma que logo após um infarto é recomendado que o paciente fique um tempo de repouso para não sobrecarregar o músculo que foi recentemente acometido. A duração desse repouso varia de acordo com o caso: quando o infarto gera problemas mais sérios, a tendência é que o tempo de repouso seja maior do que nos casos em que as repercussões foram menores. Desejamos sucesso na sua recuperação. Abraços.

Roberto Lima Cruz

Tive um imfarto foi colocado um stent 7 dias depois hoje tomo varias medicações já faço exercícios físicos . Quais exames devo fazer para saber minha real situação.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Roberto. Você deve consultar um cardiologista para que ele possa solicitar os exames necessários para identificar o seu quadro clínico atual. Temos uma matéria que aborda mais algumas informações sobre esse tema. Clique no link abaixo e confira. Até logo.

https://cuidadospelavida.com.br/meu-corpo/coracao/controlar-o-estresse-infarto

Evandro Nazaré

Boa noite, tive um infarto do miocárdio em 6/12/2018 tive um atendimento hiper rápido no hospital Vitória do Tatuapé e fui transferido para o hospital totalcor Alameda Santos foi colocado um stent em quatro dias estava em casa e hoje estou sendo atendido pelas equipes de recuperação com ergométrico agendado para em seguida completar os exercícios físicos, espero viver muito tempo 69 anos em abril 70.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Evandro. Obrigado por compartilhar seu comentário. De acordo com o cardiologista Dr. Benjamin Farbiarz Segal, depois de um infarto do miocárdio, parte da musculatura do coração perde sua vitalidade. A partir daí, o organismo tem que se readaptar para tentar manter o funcionamento cardíaco o mais próximo da normalidade. No entanto, o próprio paciente e a equipe médica devem auxiliar na recuperação e na prevenção de um segundo infarto. Continue nos acompanhando para receber mais informações e dicas como essa. Até a próxima.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.