search
    Título

    Queda de cabelo em excesso pode ser sinal de estresse?

    Uncategorized

    Por

    O estresse é capaz de prejudicar a imunidade do nosso corpo e provocar diversos prejuízos à saúde. De acordo com a dermatologista Kaliandra Cainelli, uma de suas principais formas de manifestação é a queda de cabelo, que pode ocorrer por três mecanismos principais. O primeiro deles é o aumento da síntese de cortisol sob estresse intenso, que interfere na entrada de nutrientes para o folículo capilar e faz com que a fase de crescimento dos fios termine prematuramente.

    Estresse pode causar caspa e queda de cabelo em excesso


    Um outro mecanismo é a redução da circulação do sangue na fibra capilar quando o organismo enfrenta um estado de estresse agudo, afetando o desenvolvimento e provocando a queda de cabelo. “Além disso, o estresse pode precipitar o aparecimento de dermatite seborreica, a famosa caspa, que também estimula a queda capilar”, alerta a profissional.

    O primeiro passo para tratar a queda de cabelo causada pelo estresse é procurar um dermatologista. O médico deverá solicitar alguns exames para descartar a presença de doenças. “Depois, será iniciado o uso de medicações compostas por vitaminas do complexo B, biotina, zinco e outras substâncias que atuam sob o estresse, além de fortalecer a fibra capilar”, acrescenta Kaliandra.

    Exercícios físicos ajudam a diminuir o estresse e a queda de cabelo


    É importante associar as medicações ao uso de loções para estimular o crescimento de novos fios. Entre elas, a especialista destaca o minoxidil, um vasodilatador que aumenta o fluxo de sangue para os cabelos. Além disso, é fundamental atacar a causa do problema. O estresse deve ser combatido com exercícios físicos, pilates, meditação, acupuntura e até mesmo tratamento com um psiquiatra ou psicólogo.

    O estresse, no entanto, não é o único fator que provoca queda de cabelo em excesso. “Outras causas envolvem cirurgias, medicações, amamentação, doenças da tireoide, doenças infecciosas e autoimunes, como o lúpus“, aponat a dermatologista. Existem ainda causas genéticas e a influência da alimentação: a fibra capilar não consegue crescer diante da deficiência de zinco, ferro, proteínas e das vitaminas A, B e D.
    Dra. Kaliandra Cainelli é dermatologista graduada pela UNIRIO, é membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia e atende no Rio de Janeiro. CRM-RJ: 80153-4 – www.kaliandra.com.br

    Foto: Shutterstock

    Newsletter
    Compartilhamento

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes