search
    Título

    Qual é o pH ideal da pele? Por que é importante mantê-lo?

    Uncategorized

    Por

    O pH é uma escala numérica usada para classificar substâncias como ácidas, neutras ou básicas. A pele tem, naturalmente, um pH um pouco abaixo do neutro, ou seja, é levemente ácida. Manter essa característica é importante para a proteção da pele, contribuindo na função de barreira protetora entre o corpo e o mundo externo.

    Entendendo o pH ideal da pele

    “O pH é um índice que mostra o grau de acidez/alcalinidade de uma solução. Ele varia de 0 a 14. O pH de 7 é considerado neutro; acima disso é básico/alcalino, abaixo disso é ácido. A nossa pele possui uma camada chamada de manto hidrolipídico, que é levemente ácida –  geralmente tem o pH entre 4,7 e 5,75”, informa a dermatologista Daniela Aidar.
    É normal haver variações leves desses números, dependendo do gênero, da localização da pele e do estágio da vida, mas, no geral, essas são as medidas ideais do pH da pele. “É muito importante manter o pH da pele, pois esse meio levemente ácido a torna menos propensa a proliferação de bactérias, fungos e a agressões externas. Além disso, a flora natural está em equilíbrio com esse pH”, afirma Daniela.

    O que se deve fazer para manter o pH ideal da pele?

    Para manter o pH da pele, é preciso, primeiramente, usar dermocosméticos adequados para o seu tipo específico de pele. Não respeitar isso pode trazer consequências negativas. “Alguns pacientes utilizam diversos tônicos, adstringentes, cremes e protetores com intuito de melhorar a pele, mas acabam piorando por não estarem usando produtos adequados. Limpeza, tonificação, hidratação, proteção com produtos adequados e ter uma rotina saudável são medidas cruciais para manter o pH ideal da pele”, alerta Daniela.
    Lavar o rosto com muita frequência também pode alterar o pH, assim como poluição, mudanças de temperatura, produtos alcalinos, banhos muito quentes e alguns medicamentos. “Alterando o pH, fica mais fácil desenvolver irritações, infecções, crises de dermatites (como dermatite atópica e seborreica), sensibilidade, piora da rosácea, piora da acne, etc.”, completa a dermatologista.

     

    Foto: Shutterstock

    Newsletter
    Compartilhamento

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes