search
Título

Por que a depressão causa alterações no apetite dos pacientes?

Depressão
Sintomas

Por Dra. Érika Mendonça de Morais e Dra. Stephanie Toscano Kasabkojian

1 de março de 2018

A depressão é uma doença psiquiátrica que atinge mais de 264 milhões de pessoas ao redor do mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde. Além dos sintomas psíquicos, a doença também pode causar mudanças no ritmo biológico, com alterações no sono e até mesmo no apetite.

Mudanças no apetite e variações de peso podem ser sintomas da depressão

“O aumento ou a diminuição do apetite durante a maior parte dos dias é um dos critérios diagnósticos da depressão, sendo entendido como parte do quadro, assim como humor deprimido, perda de prazer nas atividades e falta de energia, que também são alguns dos critérios”, afirma a psiquiatra Érika Mendonça de Morais.
No entanto, segundo a especialista, o motivo da alteração do apetite nos quadros depressivos ainda não foi totalmente esclarecido. Mas, se esta mudança permanece por mais de 14 dias, cresce a suspeita de depressão em um paciente que ainda está sendo avaliado por um profissional da área da saúde.

Auxílio de nutricionista pode minimizar ganho ou perda de peso

Caso a perda ou o ganho de peso sejam muito acentuados, o acompanhamento de um nutricionista, além do psiquiatra, pode ser necessário. “Outra situação em que este profissional também é indicado é em casos de depressão infantil, nos quais a criança deixa de ganhar peso como deveria”, explica a médica.
De acordo com Érika, as alterações de apetite dos quadros depressivos podem ser tratadas da mesma forma que os outros sintomas, ou seja, com o uso de medicamentos e psicoterapia. Os efeitos das medicações começam a ser sentidos em até 15 dias e são potencializados com a prática de atividades físicas, bons hábitos ligados ao sono e interrupção do consumo de bebidas alcoólicas, cigarros e outras drogas.

Quando pensar em depressão?

Tristeza não é sinônimo de depressão. O episódio depressivo se caracteriza pela presença, por pelo menos 2 semanas consecutivas, de 5 das 9 manifestações a seguir, ocorrendo na maior parte do dia, quase todos os dias; obrigatoriamente uma das manifestações deve ser humor deprimido ou perda do prazer em atividades:

– Humor deprimido: sentir-se triste, sem esperança; isso pode ser percebido por outras pessoas;

– Diminuição ou perda do prazer em atividades: menor interesse em passatempos ou em atividades que anteriormente o indivíduo considerava prazerosas; o individuo muitas vezes fica mais retraído socialmente;

– Inquietação ou estar mais lento que seu habitual, e isso é percebido por outras pessoas;

– Alteração de apetite e/ou de peso: pode ser para mais ou para menos, ou seja, pode ocorrer (de forma não intencional) aumento de apetite, aumento de peso, redução de peso, redução de apetite (exemplo: o indivíduo precisa se esforçar para se alimentar);

– Alteração do sono: excesso de sono ou insônia;

– Fadiga ou falta de energia: cansaço mesmo sem esforço físico pode ser relatado pelo indivíduo, bem como dificuldade em realizar tarefas;

– Sentimentos de inutilidade ou de culpa excessiva ou inapropriada: o indivíduo pode, por exemplo, ficar ruminando pequenos fracassos do passado;

– Dificuldade de se concentrar ou de pensar: os indivíduos podem se queixar de dificuldades de memória;

– Pensamentos de morte ou planejamento para cometer suicídio.

Tais alterações representam mudança em relação ao funcionamento anterior do indivíduo, e causam sofrimento e/ou prejuízos no funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.

Lembre-se: depressão não é só no setembro amarelo! Se você sentir que está diferente do seu habitual ou notar diferença em alguém com quem convive, procure ou oriente a procura de ajuda médica e psicológica!

Este material tem caráter meramente informativo e não tem a intenção de substituir avaliação ou conduta médica. Siga sempre as orientações de seu médico assistente.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS): https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/depression 
Foto: Shutterstock

Newsletter
Tags
alimentação
apetite
depressão
psicologico
Compartilhamento

Posts relacionados

Converse com um dos nossos atendentes