AchèAchè
    search
    Título

    O tratamento da puberdade precoce muda de acordo com o sexo?

    Uncategorized

    Por

    A puberdade é uma fase de transição da infância para a adolescência e ocorre a partir dos 8 anos nas meninas e a partir dos 9 anos nos meninos. Se com essa idade as mudanças corporais promovidas pelos hormônios já são complexas, imagine quando elas surgem alguns anos antes do ideal. Esse fenômeno recebe o nome de puberdade precoce e acontece quando o amadurecimento sexual do corpo atinge as meninas com menos de 8 anos e os meninos antes dos 9 anos. Essa condição deve ser tratada para evitar prejuízos à saúde. Mas, será que o sexo interfere no tratamento? Confira! 

    Causas de puberdade precoce mais comuns em meninos e meninas


    As causas mais comuns de puberdade precoce são diferentes para cada gênero, como esclarece a endocrinologista e pediatra Fernanda André. Segundo a médica, os casos em meninas têm mais causas idiopáticas, ou seja, de razão desconhecida: “Na puberdade precoce central, há ativação de um eixo chamado hipotálamo-hipófise-gonadal. Ela pode ser orgânica, de causa genética ou idiopática. Em meninas, a puberdade precoce central é, na maioria das vezes, idiopática, mas nos meninos há lesão orgânica em cerca de 50% dos casos”.

    O tratamento não costuma variar de acordo com o sexo da criança afetada, mas sim com a causa por trás do desenvolvimento da puberdade precoce. “Na puberdade precoce central, o tratamento consiste em injeções de um hormônio que regride a puberdade e que é aplicado por via intramuscular a cada 28 dias ou por aplicação trimestral”, informa a especialista. 

    Já se a condição for fruto de uma lesão, o tratamento é um pouco mais complexo. “O tratamento cirúrgico dos tumores de sistema nervoso central, quando estes são a causa da puberdade precoce, deve ser particularizado e o seguimento deve ser com endocrinopediatra em conjunto com o neurocirurgião”, explica Dra. Fernanda. 

    O tratamento da puberdade precoce é sempre necessário?


    No entanto, a necessidade de fazer ou não o tratamento é influenciada pelo sexo. “Especialistas informam que a decisão de começar o tratamento em meninas que iniciaram a puberdade após os 6 anos deve ser individualizada. Por outro lado, o consenso orienta o tratamento para todos os meninos com puberdade precoce progressiva iniciada antes dos 9 anos de idade que apresentem comprometimento no potencial de crescimento”, afirma a endocrinologista e pediatra. 


    Foto: Shutterstock

    Compartilhe

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes