AchèAchè
    search
    Título

    Herpes: uma pessoa sintomática pode desencadear lesões em portadores assintomáticos do vírus?

    Uncategorized

    Por

    Portadores assintomáticos do vírus não costumam apresentar sintomas ao terem contato com outras pessoas sintomáticas. E isso independente dos pacientes estarem ou não com as lesões características do quadro. Os indivíduos que têm contato com o vírus nos primeiros anos de vida e não manifestam posteriormente os sintomas se tornam imunes à ameaça. 

    Esmagadora maioria da população é imune ao herpes simples


    “Algumas pessoas podem pegar o vírus do herpes e não manifestar a doença. Ou seja, não apresentam as lesões características do quadro. No máximo, apresentam poucas lesões que não chamam atenção. Geralmente, a pessoa descobre que teve herpes por ter sorologia positiva. O que acontece é que o sistema de defesa do indivíduo conseguiu combater o vírus”, explica a dermatologista Marcela Benez.

    De acordo com dados veiculados no portal da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), 99% da população adulta já adquiriu imunidade ao vírus do herpes simples ainda na infância ou adolescência. Diz-se que a infecção, nesses casos, é subclínica (assintomática) ou marcada por um único episódio, de forma que o paciente obtém resistência ao vírus por toda a vida.

    Tratamento medicamentoso e alimentação


    Os pacientes sintomáticos, por sua vez, precisam se submeter ao tratamento adequado para controlar os sintomas e as crises.
    O tratamento contra o herpes tem como principal medida o uso de medicamento específico. Os produtos com lisina na composição são particularmente interessantes, pois esse aminoácido é considerado um diferencial na redução das infecções de repetição causadas pelo vírus. 

    Como o corpo humano não produz lisina, vale a pena também apostar no consumo da substância por meio da alimentação. Dentre as principais fontes alimentares de lisina, podem ser citadas as seguintes opções: carne peixe, leite e derivados, ovos, frango, batata, couve, beterraba, manga, abacate, mamão e maçã. Aliar essa dieta com o tratamento medicamentoso amplia bastante as chances de controle pleno dos sintomas. 

     

     Dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD):

    https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/herpes/68/

     

    Foto: Shutterstock

    Compartilhe

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes