AchèAchè
    search
    Título

    Cirurgia para varizes: em que casos esta forma de tratamento é indicada?

    Uncategorized

    Por

    O quadro de varizes exige do paciente iniciar o quanto antes com o tratamento adequado, o qual pode consistir em diferentes medidas, dependendo do caso. No geral, é necessário usar medicamento específico para melhorar a circulação e adotar hábitos diários que amenizem os sintomas. Em alguns casos, é necessário, além disso, realizar o tratamento cirúrgico

    “O tratamento cirúrgico das varizes dos membros inferiores é indicado para os pacientes que apresentam varizes de grosso calibre, com diâmetro superior a 2-3 mm. A indicação do tratamento cirúrgico das varizes independe da presença de sintomas ou de complicações. Isto porque alguns pacientes apresentam varizes calibrosas e em estágios avançados, sem nenhum sintoma ou complicação”, explica o angiologista Rodrigo Fukushima.

    Técnicas de tratamento cirúrgico contra varizes


    Segundo o especialista, existe uma variedade enorme de técnicas para realização da
    cirurgia contra varizes. A indicação da melhor técnica dependerá da apresentação e do estágio evolutivo da doença. “As técnicas cirúrgicas tradicionais são a safenectomia, ressecção de varizes (flebectomia de tributárias) e a ligadura de perfurantes”, informa o médico. 

    Vale destacar também as técnicas cirúrgicas minimamente invasivas (termoablação com laser endovenoso e termoablação com radiofrequência). De acordo com Fukushima, essas técnicas proporcionam menor dor e desconforto no pós-operatório, assim como recuperação mais rápida, com retorno precoce às atividades.

    Benefícios da cirurgia para varizes


    “Independente da técnica realizada, o objetivo do
    tratamento cirúrgico das varizes é eliminar as fontes de refluxo e as veias varicosas, proporcionando tanto a melhora estética quanto funcional. Isso implica em redução de dor, inchaço, sensação de peso, desconforto e também de complicações, como trombose, sangramento (varicorragia), manchas escuras (dermatite de estase) e ulceração”, conclui o angiologista. 

    Compartilhe

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes