search
Título

Quais as diferenças entre transtorno do pânico e agorafobia?

Depressão

Por

O transtorno do pânico é um distúrbio de ansiedade que acomete de 2% a 4% da população mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A doença tem sintomas que afetam a qualidade de vida do indivíduo e, quando não tratada, pode evoluir para patologias como depressão e até a própria agorafobia. “O transtorno do pânico e agorafobia são condições muito próximas e, dificilmente, se diagnostica a agorafobia sem a coexistência do pânico, explica o psiquiatra Carlos Henrique Oliva.

Transtorno do pânico: quais os principais sintomas?

O transtorno do pânico é uma doença psiquiátrica em que ocorrem crises de pânico recorrentes. Esse episódios de intensa ansiedade costumam durar segundos a poucos minutos. “Os sintomas são pensamentos rápidos, sensação de perda de controle sobre si, associado a fenômenos autonômicos, como palpitação, tremor, sudorese, mãos frias e úmidas”, descreve o médico, explicando que a associação da ansiedade afetiva com as alterações orgânicas citadas geram, muitas vezes, a busca por auxílio de médico de urgência, devido à expectativa dos sintomas serem decorrente de infarto, acidente vascular cerebral, entre outras.

Conheça principais sintomas da agorafobia

Agorafobia é o medo de não conseguir sair, escapar de algum lugar ou ter dificuldade de conseguir ajuda. “Os lugares associados a agorafobia incluem, aviões, shows, elevador, entre outros. Diferente da fobia social – medo de exposição social – e de outras fobias simples, como medo de altura ou medo de avião, a agorafobia esta intimamente ligada ao transtorno do pânico”, afirma Oliva. “Em outras palavras, a agorafobia é melhor compreendido como um especificador do transtorno do pânico. Nos casos do transtorno do pânico com agorafobia, compreendemos uma pessoa que teme tanto a imprevisibilidade destas crises ansiosas que evita lugares onde, se houver pânico, terá dificuldade em alcançar socorro”, completa.

Transtorno do pânico e agorafobia têm tratamento

Como a agorafobia está associada ao transtorno do pânico, o primeiro passo é começar o tratamento das crises de acordo com o diagnóstico do psiquiatra. “O transtorno do pânico é tratado de maneira eficiente com antidepressivos e benzodiazepínicos. Vale lembrar que psicoterapias são eficazes, em particular a Terapia Cognitivo Comportamental (TCC). No caso da agorafobia, como é um comportamento evitativo aprendido, o TCC é particularmente bem indicado. É uma terapia centrada em demover mecanismos cognitivos e comportamentais inadequados para o bom funcionamento geral do paciente”, finaliza o psiquiatra.

 

Newsletter
Compartilhamento

Posts relacionados

Converse com um dos nossos atendentes