Herpes genital: Como evitar a transmissão da doença para meu parceiro(a)?


  • +A
  • -A

A principal forma de transmissão do vírus do herpes é pelo contato direto com as lesões ativas, ou seja, o uso de preservativo é a forma mais eficiente de evitar a transmissão, já que evita o contato direto com as feridas. No entanto, por ser um vírus altamente contagioso, é possível, ainda que menos provável, que o contágio aconteça mesmo sem a presença de lesões visíveis, reiterando a importância do uso do preservativo em todas as relações sexuais com um portador da doença.

“O único jeito de evitar a transmissão do vírus do herpes é usar preservativos”, afirma o dermatologista Murilo Drummond. “Durante os períodos de crise o risco é maior (além do desconforto), mas o herpes genital é sempre transmissível, mesmo quando o portador não está em crise”, completa o médico.

 

Em momentos de crise pode ser melhor evitar o contato sexual


Por mais que o preservativo evite o contato direto entre as regiões genitais dos parceiros, é preciso que você tenha atenção com a extensão das lesões, pois é possível que elas estejam também em locais que não são contemplados pelo preservativo, aumentando exponencialmente as chances de contágio. Por isso, é recomendável evitar relações sexuais nesse período.

A recomendação, inclusive, vale tanto para o ato sexual em si (penetração), quanto para o contato oro-genital (sexo oral). Além disso, não precisa nem haver herpes genital envolvida. Se você ou seu parceiro tiverem herpes labial, podem transmitir o vírus para o outro na região genital, dado que o vírus envolvido nas duas infecções é o mesmo.

 

Tratamento medicamentoso diminui risco de transmissão do herpes genital para o parceiro


Para evitar que as
lesões se manifestem e isso ponha seu parceiro em maior risco – caso você já tenha o vírus do herpes – é fundamental estar se tratando com uso de medicamentos específicos. Os remédios feitos com o aminoácido lisina merecem destaque, pois estudos já demonstraram que a substância é capaz de reduzir as infecções de repetição causadas pelo vírus.   

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Murilo Drummond

Dr. Murilo Drummond

Dermatologia

CRM: 52337051 / RJ

TAGS
herpes-genital
pele

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

2 comentários para "Herpes genital: Como evitar a transmissão da doença para meu parceiro(a)?"

Maria araujo

Que artigos confusos,uma hora o texto fala categoricamente que só há transmissão c lesões presentes,outro parágrafo diz que mesmo sem é contagioso,expliquem melhor!

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Maria. Agradecemos o seu contato e observações sobre o texto. Um dos objetivos do Cuidados pela Vida é compartilhar conteúdos com respaldo médico e esclarecer dúvidas sobre saúde. Ajustamos os parágrafos para que a informação fique mais clara para todos os leitores, ou seja, a transmissão do herpes é muito mais provável com lesões ativas, mas ainda é possível acontecer a transmissão fora desses períodos, devido ao alto fator de contágio do vírus. Por isso, é fundamental o uso do preservativo em todas as relações sexuais com pacientes com herpes. Abraços

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.