DPOC: Como funciona o exame de espirometria?


  • +A
  • -A
Imagem do post DPOC: Como funciona o exame de espirometria?

A espirometria, também chamada de prova de função pulmonar, é um exame extremamente importante para o pneumologista por ser capaz de medir a capacidade pulmonar de um paciente. Segundo o Dr. Rodrigo Athanazio, “trata-se de um exame no qual o paciente realiza um sopro forçado por meio de um bocal acoplado em um aparelho que consegue medir o fluxo de ar produzido pela pessoa”.

Quem deve fazer a espirometria?


O médico afirma que todo paciente com tosse crônica ou falta de ar deve realizar o exame de espirometria. Além disso, mesmo aqueles que não apresentam sintomas, mas que pertencem a um grupo de risco para doenças respiratórias como os tabagistas, devem realizar o exame de forma regular para rastreamento de um possível caso de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). O monitoramento preventivo facilita o diagnóstico e o controle dos sintomas da doença.   

O exame é essencial para o diagnóstico, o acompanhamento da evolução de uma doença e da resposta terapêutica. “A espirometria ajuda a identificar se o problema da falta de ar ou tosse do paciente é decorrente de problemas nos brônquios ou no tecido de sustentação pulmonar”, explica o pneumologista. Diversas doenças, como asma, enfisema pulmonar, fibrose pulmonar e bronquite crônica podem ser detectadas.

Como se preparar para o exame de espirometria?


Antes de realizar a espirometria, existem alguns cuidados que o paciente deve tomar. Ele não deve praticar nenhuma atividade física cansativa antes do exame. A alimentação também é importante para que o resultado esteja correto: não fazer refeições volumosas até uma hora antes, não beber café, chá ou refrigerantes com cola até seis horas antes, nem consumir chocolates e bebidas alcoólicas ao longo do dia.

Athanazio alerta que pacientes gripados, com febre e tosse devem remarcar a realização da espirometria. E mais, alguns medicamentos precisam ser suspensos para melhorar o rendimento do resultado, mas o médico deve ser sempre consultado antes, já que cada remédio tem um tempo específico de suspensão prévia.

Dr. Rodrigo Abensur Athanazio é formado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e doutorado em Pneumologia pela Universidade de São Paulo (USP). CRM-SP: 122658

Foto: Shutterstock

TAGS
dpoc
respiracao
tosse

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

5 comentários para "DPOC: Como funciona o exame de espirometria?"

Túlio

Gostei das dicas min ajudou bastante embora eu esteja com medo de fazer mas vai dar tudo certo fé em Deus.

Denoildo A. de Oliveira

há um ano atrás sentí falta de ar, mesmo quando estava sem fazer esforço físico, fiz uma dieta por conta própria emagrecí alguns significantes quilos, e percebí que melhorei muito, então dei uma relaxada e a falta ar de voltou a ativa novamente, só que notei outro detalhe, a minha casa é muito fechada e bastante fria, chega a acumular fungos, então pergunto! essa situação pode ter alguma coisa a ver com fungos ou não? e qual o tipo de médico especialista que devo procurar, pneumologista ou cardiologista, ou outro?

Cuidados Pela Vida

Oi Denoildo, realize uma consulta com o pneumologista, ele poderá te orientar adequadamente. Abraços.

maria madalena dos santos

to com dpoc mas penso que ou seja bronquite cronica ou se for enfisema ainda tem controle porque ainda sinto fome meus dedos nao fica azul

Cuidados Pela Vida

Oi Maria Madalena, é complicado diagnosticá-la apenas com essas informações. É necessário realizar avaliação com o médico especialista para que ele possa realizar o diagnóstico e, caso seja necessário, prescrever um tratamento. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.