search
    Título

    Um paciente em tratamento para o mal de Alzheimer consegue manter sua qualidade de vida?

    Uncategorized

    Por

    O mal de Alzheimer é uma doença que provoca, progressivamente, a perda da memória, e de outras capacidades cognitivas e funcionais. Com o avanço do problema, os pacientes acabam ficando dependentes dos familiares e/ou cuidadores para realizar tarefas diárias, como tomar banho e comer. No entanto, o tratamento e alguns cuidados especiais podem ajudar a retardar a piora do quadro e manter a qualidade de vida do idoso.

     

    Rotina reduz agitação de paciente de Alzheimer

     


    De acordo com a geriatra Daniela Gomez, cuidar de um paciente com
    mal de Alzheimer não é fácil, mas criar uma rotina facilita tanto a vida do idoso quanto a do cuidador. “É importante manter uma rotina para o paciente e tentar preencher o dia com atividades, como jogos para estímulo cognitivo, passeios ao ar livre e atividades físicas, pois além de dar qualidade de vida e promover o convívio social, diminui a chance de insônia e de agitação”, afirma.

    Outra atitude importante é manter os ambientes iluminados durante o dia para deixar que o paciente perceba a chegada da noite de forma sutil. Este hábito é essencial para evitar o fenômeno chamado de sundowning, no qual o idoso fica mais agitado, desconfiado e confuso no fim da tarde ou no início da noite, quando a luz natural do dia começa a ir embora.

     

    Idoso com Alzheimer deve tentar se manter independente

     


    Como a independência é um ponto crucial no desenvolvimento do Alzheimer, estimular a autonomia do paciente também ajuda a manter a qualidade de vida. “Encoraje a pessoa a se vestir e a se alimentar sozinha. É importante para a manutenção da funcionalidade e para manter a independência que a pessoa realize o que conseguir, reservando para o cuidador apenas a orientação e a supervisão das tarefas”, diz a médica.

    Parte dos pacientes apresenta perda de mobilidade com o avanço da doença. Por isso, a geriatra Thaísa Segura da Motta Rosa, recomenda mudar a posição em que o idoso se encontra a cada duas horas, manter uma hidratação adequada da pele e proteger proeminências ósseas para evitar úlceras por pressão. “Durante as refeições, é importante o posicionamento correto do paciente para evitar engasgos e a adequada higiene oral. Acima de tudo, tratar o paciente com respeito e carinho”, aconselha a especialista.

     

    Foto: Shutterstock

    Newsletter
    Compartilhamento

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes