search
    Título

    Quais alimentos comuns na mesa do brasileiro contribuem para hipertensão?

    Hipertensão
    Sintomas

    Por

    A fartura de opções pouco saudáveis de alimentação é um grande problema em todos os cantos do mundo, gerando epidemias de doenças como diabetes, obesidade e hipertensão. No Brasil, a situação não é diferente. A dieta de muitas pessoas no país ainda contém grandes quantidades de sal, açúcar, gordura e calorias. Dentre os alimentos mais comuns na mesa dos brasileiros, quais seriam os maiores contribuidores para os índices da hipertensão?

     

    Alimentos ricos em sal podem ser consumidos, desde que em quantidades moderadas

     

    “Comidas muito salgadas como carnes e peixes processados com sal (frios, embutidos, charque, bacalhau); macarrão instantâneo; enlatados; molhos prontos de tomate ou soja (shoyu); pizzas congeladas; queijos; salgadinhos industrializados; azeitonas; alcaparras; petiscos como amendoins torrados com sal ou castanhas como amêndoas e pistache com sal, são alguns exemplos”, lista o cardiologista Dr. Rubens Mattar Júnior.

    No entanto, o médico explica que esses alimentos, ricos principalmente em sal, não precisam ser completamente descartados das refeições. “Eles podem ser consumidos com ponderação e equilíbrio, em pequenas quantidades por vez e de forma ocasional. Reduzindo a quantidade dá para continuar ingerindo sal (em menor concentração), sem privação do alimento”.

     

    Alimentos industrializados devem dar lugar aos preparados em casa

     

    É importante priorizar alimentos mais saudáveis, não industrializados e preparados em casa, pois assim fica mais fácil controlar o nível de sal, açúcar, gorduras e calorias em cada refeição. “Carnes magras, aves e peixes em pequenas quantidades (uma porção por refeição), frutas, verduras diversas e legumes são boas pedidas”, recomenda o cardiologista. “Além disso, leite e derivados desnatados, queijos brancos, alimentos ricos em fibras, como aveia, pão integral, grãos, trigo, castanhas, frutas secas e azeite de oliva”.
    A ingestão de álcool de forma contínua e prolongada também é um fator que eleva a pressão arterial. “Estudos mostram que a ingestão de três doses de bebida alcoólica de uma só vez promove aumento da pressão”, alerta Rubens. “Além disso, álcool é calórico e o aumento de calorias ingeridas promove aumento de peso que, consequentemente, eleva os níveis tensionais. Não se deve ingerir mais do que 355ml de cerveja ou uma taça de vinho por dia”.

    Foto: Shutterstock

    Newsletter
    Compartilhamento

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes