AchèAchè
    search
    Título

    Obstrução intestinal: O que é esse sintoma que pode ser causado pela endometriose?

    Uncategorized

    Por

    Quadro muito comum entre as mulheres, a endometriose provoca sintomas desconfortáveis, como a dor abdominal, que pode se manifestar em função da penetração em uma relação sexual ou como algo semelhante a uma cólica menstrual. Menos comum, mas também relevante, a obstrução intestinal é outra complicação decorrente da doença que merece atenção. 

    Sintomas que precedem a obstrução intestinal em um quadro de endometriose


    “A obstrução intestinal aguda ou subaguda é a parada do trânsito intestinal, ausência de evacuações, distensão abdominal, dor abdominal intensa, náuseas e vômitos. Trata-se de um quadro grave que se não tratado coloca em risco a vida do paciente, por ruptura intestinal e infecção grave”, informa a ginecologista Fernanda Torras.

    Segundo a especialista, a obstrução intestinal pode ser uma manifestação da endometriose profunda, aquela que acomete o intestino em toda espessura de sua parede, chegando até o lúmen intestinal, onde passa o trânsito das fezes. Como primeiro sintoma da endometriose intestinal, a obstrução intestinal é considerada rara. 

    “Nos casos de endometriose em que há obstrução intestinal, é mais comum que a paciente sinta antes deste sintoma específico outras manifestações, como dor ao evacuar, principalmente no período menstrual, e sangramento nas fezes”, afirma a médica. Vale destacar também que a endometriose intestinal pode ser assintomática, ou seja, cursar sem sintomas evidentes

    Tratamento cirúrgico é o indicado


    Ao notar os sintomas mencionados, a paciente deve buscar, primeiro, um especialista para investigar e, caso seja feito o diagnóstico, iniciar o quanto antes o tratamento para controle dos sintomas e do quadro como um todo. “Quando ocorre a obstrução intestinal por endometriose,
    o tratamento é cirúrgico, geralmente com resseção da porção intestinal comprometida, seguido de tratamento para controlar novos focos e evitar recidivas”, conclui a profissional.

     

    Foto: Shutterstock

    Compartilhe

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes