AchèAchè
    search
    Título

    O ar-condicionado pode contribuir para uma baixa na imunidade? Como?

    Uncategorized

    Por

    O ar-condicionado pode contribuir para baixar a imunidade (especialmente das crianças, que tem as defesas do organismo ainda imaturas), já que facilita a infecção por diversos agentes. Isso ocorre porque o aparelho reduz a umidade local, provocando o ressecamento da mucosa das vias aéreas dos pequenos.

    Além disso, a falta de cuidado e higiene com o aparelho também pode ser um fator relevante para provocar ou aumentar quadros infecciosos. Quando o aparelho não é periodicamente limpo, acumula e libera poeira, bactérias, fungos e ácaros, elementos que tendem a piorar quadros alérgicos.

    Cuidados para evitar baixa na imunidade com uso de ar-condicionado


    “Alguns cuidados devem ser tomados
    quando usamos o ar condicionado: devemos manter os filtros sempre limpos e não deixar de realizar a manutenção preventiva periódica; precisamos também cuidar da umidade do ar, pois o ar-condicionado pode ressecar o ambiente e, muitas vezes, precisamos fazer uso associado dos umidificadores de ambiente”, explica a alergista e imunologista Cláudia Lobo Cesar.

    Como nem sempre é possível evitar completamente o ar-condicionado (principalmente no verão), o ideal é buscar formas de amenizar os efeitos negativos causados pelo aparelho. Por exemplo, lavar diariamente com soro fisiológico nariz e olhos, se hidratar com água fresca em vários momentos do dia e usar toalhas molhadas ou umidificador de ar nos cômodos em que o aparelho funciona. 

    Efeito positivo do ar-condicionado para a saúde das crianças


    “Por outro lado, é importante destacar que alguns germes se proliferam e se espalham com mais facilidade no calor. O ar condicionado pode ter uma função positiva nesse contexto, ajudando a manter o ar mais puro, tanto que nos berçários, assim como nas Unidades de Terapia Intensiva, o ar condicionado se faz presente. O ambiente climatizado colabora, portanto, para a saúde das crianças”, conclui a médica. 

     

    Dra. Cláudia Lobo Cesar

    Compartilhe

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes