search
    Título

    Não reconhecer pessoas é um sinal avançado da doença de Alzheimer. Saiba como lidar!

    Uncategorized

    Por

    A doença de Alzheimer tem como principal sintoma a perda progressiva da memória, especialmente a memória recente. No entanto, quando o idoso chega ao estágio mais avançado da doença, a memória começa a afetar até mesmo a capacidade de reconhecer pessoas próximas, como amigos e familiares. Essas situações requerem uma atenção maior dos cuidadores.

    Paciente com doença de Alzheimer não tem controle sobre a perda de memória


    A dificuldade de ser reconhecido pelo paciente com a
    doença de Alzheimer pode ser muito frustrante e irritante para algumas pessoas, especialmente quando não entendem como é a evolução do transtorno. É preciso lembrar que o idoso não tem controle sobre a perda da memória e os outros sintomas da doença e, por isso, não deve ser culpado.
    Segundo a geriatra Thaísa Segura da Motta Rosa, é preciso tratar o paciente com delicadeza. “Devemos ter em mente que o paciente, apesar de não se recordar fisicamente dos seus entes queridos, permanece com seus sentimentos. Nesse momento, todo amor e carinho dedicados são benéficos ao idoso e fortalecem ainda mais o vínculo entre eles”, diz a médica.

    Família e cuidadores devem ter paciência com idosos que têm a doença de Alzheimer


    Ao se deparar com esse tipo de situação, 
    os cuidadores e as pessoas que estiverem por perto devem agir com paciência. “Deve-se evitar cobrança ou pressionar o idoso com doença de Alzheimer para que se recorde. É importante sempre tentar contornar a situação, falar com tranquilidade e transmitir segurança ao paciente”, aconselha a profissional.
    Além de problemas graves de memória, o idoso na fase avançada da doença de Alzheimer também pode apresentar dificuldade para se comunicar, o que envolve tanto a capacidade de falar com outras pessoas quanto de entender o que acontece ao seu redor. Ainda assim, amigos e familiares devem continuar próximos e manter a comunicação.
    Dra. Thaísa Segura da Motta Rosa é geriatra, formada pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e membro da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. CRM-SP: 133363
    Foto: Shutterstock

    Newsletter
    Compartilhamento

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes