search
    Título

    Existem medidas que podem auxiliar o tratamento de pacientes com dor crônica?

    Depressão
    Sintomas

    Por

    Sentir dor, apesar de incômodo, é importante para o corpo humano. É um sinal de alerta, que serve para mostrar que algo está errado. No entanto, há pessoas que sentem dor crônica, ou seja, por mais de três meses. Isso não é normal e muito menos saudável. Nesses casos, é preciso procurar um médico para descobrir a causa e iniciar o tratamento adequado para o problema.

     

    Reduzir o estresse da rotina pode ajudar no tratamento da dor crônica

     

    “No tratamento das dores crônicas, o que podemos fazer é utilizar medicamentos específicos, focar em uma melhora da qualidade de vida, inserindo a atividade física na rotina diária e visando o fortalecimento da musculatura do corpo como um todo, além de tentar reduzir a carga de estresse no dia a dia, por exemplo”, afirma a psiquiatra Luciana Staut.

    A fibromialgia é uma das doenças que provoca dor crônica. O paciente sente um forte cansaço, dor de cabeça e dores em todo o corpo, especialmente nos músculos, tendões e articulações. Os pesquisadores ainda buscam respostas para as causas da doença, mas indicam psicoterapia, fisioterapia, exercícios físicos, diminuição do estresse e uso de medicações como medidas importantes para o tratamento.

     

    Dor crônica pode ser sintoma de depressão e ansiedade

     

    Alguns transtornos psiquiátricos também podem causar dor crônica. Os principais, segundo a profissional, são a depressão e a ansiedade. O surgimento desse sintoma tão incômodo nesses casos ocorre porque são doenças mentais que surgem de alterações em neurotransmissores ligados à sensação de bem-estar e à percepção da dor, como serotonina, dopamina e noradrenalina.

    Quando existe a associação entre depressão, ansiedade e dor crônica, é importante conversar com um psiquiatra. O tratamento do transtorno mental é fundamental para a melhora da qualidade de vida do paciente e pode ser feito com o uso de medicamentos antidepressivos e mudanças na rotina em prol de uma vida mais saudável.

     

    Dra. Luciana Cristina Gulelmo Staut é psiquiatra, formada pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e membro da Associação Brasileira de Psiquiatria. CRM-MT: 6734

    Foto: Shutterstock

    Newsletter
    Compartilhamento

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes