Transtorno bipolar: transição entre mania e depressão pode ser rápida


  • +A
  • -A
Imagem do post Transtorno bipolar: transição entre mania e depressão pode ser rápida

O transtorno bipolar se caracteriza pela alternância de dois períodos distintos de humor, que são a mania e a depressão. A primeira é caracterizada por elevada euforia e positividade, enquanto a segunda consiste em abatimento e tristeza. Além dessas duas fases, o paciente pode também experimentar uma terceira, chamada de eutimia, na qual não há oscilação patológica do humor.  

Casos de transição rápida entre mania e depressão são incomuns


Este período de “normalidade” costuma acontecer entre a mania e a depressão, funcionando como uma espécie de agente equilibrador da transição de uma para a outra. Ou seja, comumente a variação desses dois estados de humor quase antagônicos não se dá de maneira rápida. Contudo, há também alguns casos de transtorno bipolar com mudança brusca.

“A transição abrupta entre as fases não é comum no transtorno bipolar e quando ocorre é importante avaliar se o paciente não apresenta o diagnóstico de ciclotimia, um transtorno do humor caracterizado por oscilações entre mania e depressão, porém mais abruptas e com períodos curtos de eutimia (por volta de dois meses ou menos)”, conta a psiquiatra Érika Mendonça.

Alternância e duração das fases do transtorno bipolar variam


É importante ter em mente que a alternância e duração desses momentos do transtorno não tem um padrão, ou seja, variam de acordo com cada caso. “As fases do transtorno bipolar se alternam de forma diferente entre pessoas e também em uma mesma pessoa. Há pessoas que têm, por exemplo, muitos episódios depressivos e um episódio maníaco, outras têm mais episódios maníacos”.

“As pessoas portadoras de transtorno bipolar passam por períodos de eutimia, nos quais o humor é estável. A duração destes períodos também varia de pessoa para pessoa. O tratamento do transtorno tem como objetivo prolongar os períodos eutímicos do paciente”, completa a médica.

Dra. Érika Mendonça de Morais é psiquiatra formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e atua em São Paulo. CRM-SP: 124933

Foto: Shutterstock

TAGS
psicologico
transtorno-bipolar

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

8 comentários para "Transtorno bipolar: transição entre mania e depressão pode ser rápida"

Eva mastella

Eu sou bipolar mas essa não tem cura luto a anos .sem sucesso nenhum.

Cuidados Pela Vida

Olá Eva, o transtorno bipolar ainda não tem cura, mas os tratamentos vem se mostrando cada dia mais eficazes para o controle dos sintomas. Abraços

Márcia Miranda Sanchez

Sou bipolar, diagnosticada há 20 anos, no começo foi difícil, mas hoje em dia levo uma vida totalmente normal, e viver um dia de cada vez e tomar a medicação e fazer terapia, e acima de tudo querer viver, pois remédio não faz milagre, eu desafiei a medicina e a ciência e não.aceitei a palavra viver instável, eu gosto de rotina estabilidade, lutei e luto dia a dia e não aceito perder e lutarei até o fim.

Cuidados Pela Vida

Parabéns Márcia. Vejo que você tem força de vontade e possuí muita garra! Abraços

Patrícia

Oii muito bom essas explicação…A mais de 30 anos meu pai sempre foi tratado como deprecivo tomou muita medição para isso quando estava bem era bem de mais, a gente achava que tinha saido da depressão e estava querendo viver tudo de uma vez o que não viveu no período depressivo… a um ano atraz, mais as iadas e vindas de altos e baixo sempre saia de um quadro para outro eram mais fortes até que a um ano atraz nos trouxe preocupação de mais pelo seu comportamento foi então onde a médica dele diagnosticou a bipolaridade foi internado passou por uma terapia intensiva e agora esta quase a normalidade… sofremos muito mais descobrir a verdadeira doença e tratar aliviou a todos até a ele…. sempre é bom ler sobre isso.

tania

Olá,Tenho um filho com transtorno bipolar e não sei como lidar quando ele está em mania,não sei se confronto ou fico quieta…

Cuidados Pela Vida

Oi Tania, é importante buscar ajuda profissional e evitar submeter o paciente a situações potencialmente estressantes. Além disso, hábitos saudáveis como se exercitar regularmente, comer e dormir bem e manter relacionamentos positivos também são importantes, pois ajudam a estabilizar o humor. Desejamos sucesso no tratamento do seu filho. Abraços.

Jéssica

Olá! Tenho 22 anos,fui diagnosticada com transtorno bipolar a pouco mais de 1 ano.Minha mãe não entende muito bem que eu não consigo controlar meu humor,eu fico por dias bem agitada,sem necessidade de dormirE tem um período que eu fico semanas sem sair de casa,não consigo nem ir na varanda quando tem mt movimento na rua,sinto medo,insonia ,irritabilidade Nesses dias procuro dormir o dia inteiro pra não ver ninguém.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.