Depressão: quais situações podem desencadear recaídas?


  • +A
  • -A

Por mais que um paciente com depressão esteja realizando tratamento, isso não garante a ele isenção dos riscos de sofrer uma recaída. Esta possibilidade vai sempre existir, mas normalmente quem segue as orientações médicas à risca diminui bastante as chances. Por outro lado, não seguir o tratamento da maneira adequada é o que mais dá margem para as recaídas.

Importância do tratamento para evitar recaídas


“Garantir a adesão aos tratamentos e à psicoeducação (trabalhar o conhecimento do paciente sobre a doença) é fundamental no processo de evitar a recaída. 
Existem casos que não há indicação de tratamento farmacológico, apenas psicoterapia, então tudo depende do caso. Entretanto, quando é exigida a associação de antidepressivo, certamente a boa aderência, com reavaliações periódicas do psiquiatra e ajuste da medicação, faz toda a diferença no tratamento”, afirma o psiquiatra Miguel Ângelo Boarati.

Outra forma essencial para evitar recaídas é contar com um profissional que esteja constantemente acompanhando e avaliando o desempenho do paciente no tratamento. “É importante avaliar como o quadro está evoluindo, se houve redução e posterior remissão dos sintomas depressivos, se o paciente retornou ao seu funcionamento basal e se ele apresenta uma boa qualidade de vida”.

Recaídas podem tornar tratamento contra depressão mais difícil


Conforme explica o médico, evitar as recaídas é importante também pelo fato delas tornarem os quadros mais difíceis de tratar, com maiores chances de desenvolver a refratariedade. “Hoje o que se busca não é apenas a melhora clínica, mas a remissão dos sintomas de forma total, com retomada de um funcionamento geral pré-crise. Isso garante uma menor chance de recaídas e um quadro menos grave”.

Dr. Miguel Angelo Boarati é psiquiatra formado pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP e atende em São Paulo. CRM-SP: 85105

Foto: Shutterstock

TAGS
depressao
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

24 comentários para "Depressão: quais situações podem desencadear recaídas?"

Luiz Gonzaga nascimento

Orientação em boa hora, valiosas.

Maria do Carmo

Falou, falou e não disse nada. Afinal, quais os fatores???

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Maria do Carmo, Débora e Paulo, a adesão aos tratamentos e à psicoeducação (trabalhar o conhecimento do paciente sobre a doença) é fundamental no processo de evitar a recaída. Existem casos que não há indicação de tratamento farmacológico, apenas psicoterapia, então tudo depende do caso. Entretanto, quando é exigida a associação de antidepressivo, certamente a boa aderência, com reavaliações periódicas do psiquiatra e ajuste da medicação, faz toda a diferença no sucesso do tratamento.

Hrloiss

Não sei se estou com depressão, mas sinto às vezes uma moleza, cansaço, sono, vontade de nem sei o quê.Nao tenho fome de almoço e enjôo com facilidade do que faço.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Hrloiss, você pode realizar avaliação com o médico especialista para que ele possa realizar o diagnóstico e, caso seja necessário, prescrever um tratamento. Abraços.

Débora

Falou,falou mas não disse os principais fatores???????

Paulo

E????Quais as situações que podem desencadear recaída?????

Vera Lourenço

Eu estou com recaída e já fui consultar o psiquiatra. Fiz cirurgia balística há 4 meses e a medicação que eu tomava deixou de ser absorvida como era normalmente. O médico mudou a medicação e tenho esperança de melhoras em breve. Obrigada pela informação

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Vera, desejamos sucesso em seu tratamento e recuperação. Abraços.

Sônia Cristina Nascimento

Eu engordei de mais e por estou depreda e penso em fazer tratamento amanhã mesmo pretendo marcar consulta

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Sônia, isso mesmo, procure auxílio do médico para que você tenha uma melhora na sua qualidade de vida. Estamos na torcida por sua recuperação. Abraços.

Lucia decF. R. C. Camara

Fui diagnosticada com depressão maior.Começou aos 19 anos, mas so procurei ajuda e tratamento em 2008.Mudei várias vezes de medicaçao sem sucesso.Cheguei a fazer terapia por dois anos.Gostaria de fazer uma reavaliação pois acho q tenho border.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Lucia, realize uma consulta com um médico próximo de sua região para que ele possa reavaliá-la. Abraços.

Ju

Qto tempo, no mínimo, uma pessoa fica usando o antidepressivo?

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Ju, segue o link de uma de nossas matérias que poderá te auxiliar com esta dúvida:
https://cuidadospelavida.com.br/meu-corpo/cabeca-e-pescoco/mudancas-na-dosagem

Jussara Souza

Antidepressivos engordam e aniquilam com a auto-estima da pessoa. É muito difícil encontrar um que não engorde. O psiquiatra vem sempre com o papo de que não engorda. Mentira!! Engordam, sim!! Não me sinto bem fora do meu peso.

Jefferson

Queridos (as) creio que aqui seja um “fórum de ideias e experiências” para uma avaliação, tratamento e definição da necessidade de medicação, tempo adequado a ser ministrado, devemos buscar um psiquiatra competente, assim sendo, conheceremos os “fatores” que podem desencadear, “recaídas” antes mesmo de por conta própria (alterar dosagens ou interromper medicações) estarmos suscetíveis a este fenómeno.Agora ainda falando em experiência!!!Claro que muito difícil logo no início do tratamento, porém, busque, mas busque incessantemente atrelado ao tratamentos farmacológico ou psicoterapia, exercícios físicos, muito exercício físico.Principalmente os aeróbicos (pedale por uma ciclovia, caminhe por um parque, bosque, jardim, praia, coloque um fone de ouvido ouçam músicas cantem, etc) caso necessário convide um amigo, parente ou um personal trainer, e se utilize de um atributo implícito em nós seres humanos, a vontade, nada, mas nada vence a vontade, principalmente de fazermos aquilo que nos faz bem.Pensem, podemos sim e carecemos, auxílio farmacológico e/ou psicoterápico, mas o principal… SOMOS INVENCÍVEIS!

Silvana

Comecei a tomar antidepressivos na adolescência. Parei e voltei ao tratamento três vezes. Agora faz cinco anos que estou com medicação. Nesse período, engordei mais de quarenta quilos. Não é fácil. Não consigo ficar sem remédio.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Silvana, tente atrelar o tratamento para depressão com uma mudança de hábito de vida e alimentação mais saudáveis. Para isso, realize uma consulta com o gastroenterologista. Abraços.

Sonia maria da silva

Tenho depressão moderada e recente ou seja a 20 dia sofri um assalto na rua e agora to com pavor de sair de casa pode ser sindrome do panico?Por favor responda logo obrigada.

Aline

Eu faço tratamento á mto tempo e n melhoro além da depressão tbm tenho síndrome do pânico.. gostaria de saber como eu faço pra lidar com isso, pois vivo triste mas tento mostrar que estou bem!

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Aline, não desanime, muitas pessoas conseguiram se recuperar quando seguiram tratamentos e também quando encontraram atividades estimulantes e prazerosas; tente praticar hobbies e atividades que te façam sentir bem, além de realizar o devido acompanhamento médico. Abraços.

Roberta marcia de moura

Boa tarde!Eu falo em nome de minha esposa.Ela passou 4 Anos cuidando de seu pai,pois o mesmo não andava e ela o tratava muito bem,igual a uma criança..Ele faleceu Fez um ano..Ela nao tem alegrias,chora muito..Quer ficar trancada no quarto escuro..As vezes agressiva verbalmente..Nao toma banho..Nao se escova..Nao tem amizades..Enfim ela chora muito com saudades do pai..Me ajudem por favor..

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, a melhor alternativa para o seu caso é procurar um psicologo ou psiquiatra imediatamente. Esse profissional saberá conduzir a situação de sua esposa e se necessário, irá prescrever tratamentos e/ou medicações para que haja melhoras no quadro da paciente. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.