A fobia social pode causar muitos transtornos na vida dos pacientes. Entenda!


  • +A
  • -A

É normal se sentir ansioso e tímido em algumas situações, como ao entrar em um ambiente novo ou ao conhecer pessoas. Faz parte do medo do desconhecido. Aos poucos, a insegurança vai sumindo, conforme crescem a familiaridade e a intimidade com o espaço e com as pessoas. Mas, isso não acontece com todo mundo.

O que é a fobia social

Alguns indivíduos sofrem com a chamada fobia social, também conhecida como transtorno de ansiedade social. Trata-se de um distúrbio psiquiátrico que torna o desconforto e a ansiedade muito intensos. “A fobia social é um medo excessivo da avaliação dos outros, da desaprovação e da rejeição, medo que os outros percebam comportamentos que possam ser considerados inadequados”, explica a psicóloga Caciane Alice Umbelino Reinhardt.

Vários fatores podem contribuir para o desenvolvimento da fobia social, a começar pela influência genética, já que o transtorno é hereditário. O ambiente também é um fator de risco, seja pelo modelo de aprendizagem comportamental ou por maus tratos durante a infância.

Segundo Caciane, o temperamento também pode predispor um indivíduo à inibição do comportamento e ao medo de uma avaliação negativa, que podem levar à fobia social. No entanto, é preciso destacar que a timidez não significa necessariamente ter o transtorno de ansiedade social.

Isolamento social é a principal consequência

As consequências provocadas pela fobia social podem trazer prejuízos à qualidade de vida. “O medo do desempenho tende a fazer com que o fóbico social evite falar em público ou ao telefone, iniciar uma conversa e expor sua opinião, provocando isolamento”, alerta a psicóloga.

A melhor maneira de tratar o distúrbio é a terapia cognitivo-comportamental, que envolve, entre outros aspectos, o treinamento de habilidades sociais e a exposição gradativa. De acordo com Caciane, “enfrentar as situações temidas é a melhor atitude para a melhora do quadro”. Em alguns casos, pode ser necessário também o uso de medicamentos para reduzir a ansiedade.

Caciane Alice Umbelino Reinhardt é psicóloga, formada em Terapia do Esquema e especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental. CRP 12/09061

TAGS
ansiedade
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

3 comentários para "A fobia social pode causar muitos transtornos na vida dos pacientes. Entenda!"

Hélio Prates Batista

Acredito que tenho este transtorno “fobia social”. Sou muito inseguro e ao frequentar qualquer ambiente, tenho a impressão de que todos estão olhando para mim e então começo a ficar inquieto e inicia um processo de transpiração excessiva que molha toda a roupa e escorre muito suor na parte da cabeça também. Tento me controlar mas é impossível. Tenho 48 anos e em toda minha vida fui assim, tanto que evito o quanto posso de frequentar ambientes diferentes como igrejas, festas, reuniões, falar em público. Às vezes até no ambiente de trabalho sinto alguma dificuldade, principalmente quando vou atender alguém pela primeira vez. Queria muito, muito mesmo encontrar uma maneira de me livrar dessa situação e começar a viver uma vida normal.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Hélio, lendo seu relato entendemos que você acredita possuir um transtorno, mas ainda não tem certeza que trata-se de “fobia social”. O ideal é você procurar um especialista médico, que pode ser inicialmente um clinico geral para orientá-lo ou, se preferir, um psicólogo que também pode orientá-lo e dar continuidade ao tratamento se assim for necessário. Desejamos melhoras e muito sucesso. Abraços

Lia Soares

Me trato há 6 anos para fobia social. Não é nada fácil, é uma luta contra nós mesmo… Aconselho que a pessoa que se identifica com os sintas procure um médico, faca terapia…..

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.