Alzheimer: médico explica como são as fases da doença


  • +A
  • -A

O Alzheimer é uma doença que avança gradativamente, com deterioração cada vez maior da memória e da cognição do paciente conforme passa o tempo. Essa evolução do quadro permite que o mesmo seja dividido em fases, desde a mais branda até a mais severa, mesmo que a mudança seja, em geral, imperceptível para quem acompanha o paciente.

Paciente com Alzheimer mantém independência nos estágios iniciais


“Pode-se dizer que o primeiro estágio do Alzheimer é o chamado demência questionável, marcado por esquecimentos pequenos frequentes e lembrança parcial dos acontecimentos. Nessa fase, o paciente ainda é totalmente capaz e independente, mas já demonstra pequena dificuldade em áreas como interação social e capacidade de julgamento e discernimento”, informa o geriatra José Eduardo Martinelli.

Logo depois vem a fase de demência média, na qual a perda de memória é, em geral, moderada, mas significativa para acontecimentos recentes. “Neste momento, o paciente já apresenta dificuldades reais para realizar atividades domésticas e precisa ser constantemente incentivado e instruído em relação aos seus cuidados pessoais”, explica.

Na fase severa do Alzheimer, pacientes não reconhecem nem mesmo pessoas íntimas


Já a demência moderada marca o momento em que o paciente consegue apenas se lembrar bem de momentos marcantes vivenciados há anos,
esquecendo rapidamente de todas as informações novas. “Também marca essa fase uma severa dificuldade relacionada com o tempo (desorientação com tempo e espaço) e falta de interesse em manter atividades fora de casa, mesmo aparentando estar bem para sair”, conta o médico.

Quando o Alzheimer chega ao estágio final, denominado demência severa, apenas fragmentos da memória permanecem. O paciente já não reconhece mais as pessoas próximas, é incapaz de resolver problemas e realizar atividades domésticas. “Nesta etapa, é necessária muita ajuda com os cuidados pessoais do paciente. Frequentemente ele apresenta incontinência urinária”, destaca José Eduardo.

Dr. José Eduardo Martinelli é pneumologista e geriatra, sócio fundador e responsável técnico pelo Instituto Martinelli de Geriatria e Gerontologia em Jundiaí (SP). CRM-SP: 27875 – clinicamartinelli.com.br

Foto: Shutterstock

TAGS
alzheimer
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Alzheimer: médico explica como são as fases da doença"

Kiko

Gostaria de saber se existe algo que faça com que o paciente tenha uma sobrevida maior e com mais qualidade. Meu pai tem 71 anos e não estou suportando vê-lo nessa situação. Me respondam se há tratamentos experimentais ou mesmo medicamentos. Obrigado.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Kiko, segue o link de acesso a alguns vídeos com informações para você: https://cuidadospelavida.com.br/especiais/saude-mental
Abraços.

Rosinha

Minha mãe tem 94 anos de idade e é uma idosa que não tem diabetes,não tem colesterol alto,come de tudo e há 2anos comecei notar comportamento diferente nela. Ela começou implicar com várias coisas, até com a porta do quarto. Depois começou falar que ouvia uma música e reclamava que esse povo não tem o que fazer fica só escutando a mesma música e que já estava enjoada disso. Toda mudança eu comecei observar e anotar. Liguei para uma amiga psicóloga perguntei o que poderia ser? Ela verificou com outra amigo neuro psiquiatra,e me disse que poderia ser alzheimer. Fiquei preocupada. Contei ao nosso médico geriatra o que se passava. Ele pediu alguns exames e receitou um remédio. Esse fez muito mal para minha mãe. Levei ao médico novamente e expliquei o que aconteceu. Receitou outro remédio. Graças à Deus ela se deu bem com novo medicamento. Mudei totalmente minha vida só para cuidar da minha mãe. E comecei pesquisar sobre a doença e com tantas informações que obtenho,estou conseguindo cuidar muito bem da minha mãe. Confesso que não é fácil,mas,devido as dicas consigo cuidar melhor dela. Coloquei apoio no banheiro,assento do vaso sanitário elevado,e tudo que posso fazer para dar uma vida melhor para ela eu faço. Eu tive que me adaptar ao sistema da minha mãe. Brinco com ela,assisto desenho,videos,mostro fotos,jogo dominó,lemos revistas,fazemos tudo junto. Tem quê ter muita paciência e dar o máximo de carinho e atenção. Brinco com ela e faço com que partice de quase tudo. Vamos à igreja,passeios e ela se sente muito bem. O amor e dedicação é um fator fundamental para uma vida melhor. Continuo lendo todos os dias informações sobre a doença para prevenir e saber como lhe dar com a situação. Obrigada pelas suas informações.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Rosinha, obrigado por compartilhar sua história conosco, é motivador saber de superações como essa. O Cuidados pela Vida é um programa de benefícios que faz parte do compromisso Aché Laboratórios em assegurar bem-estar e acesso a soluções inovadoras para uma vida com mais saúde para todos, inclusive você e sua mãe. Temos outras matérias sobre este assunto em https://cuidadospelavida.com.br/busca/alzheimer. Parabéns pela busca de qualidade de vida da sua mãe. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.