Peeling: Como funciona este procedimento estético?


  • +A
  • -A
Imagem do post Peeling: Como funciona este procedimento estético?

Cuidar da pele nunca é demais e, por isso, os dermatologistas investem em novas técnicas e procedimentos que ajudam a manter o maior órgão do corpo humano bem tratado e saudável. O peeling é um desses tratamentos, que consiste na aplicação de agentes que destroem as camadas mais superficiais da pele, promovendo sua regeneração, uma aceleração do processo natural de renovação da mesma.

Qual a diferença entre peeling químico e físico?


Existem dois tipos de peelings. Os químicos são feitos com o uso de ácidos que produzem reações químicas na pele, enquanto os físicos se baseiam no lixamento da pele, como é o caso dos tratamentos feitos com cristais. Apesar de ser realizado principalmente no rosto, o procedimento também é indicado para as mãos, pescoço e para a área do colo.

De acordo com a dermatologista Patrícia Mafra, os peelings químicos apresentam uma grande variedade de indicações dermatológicas. “O procedimento pode auxiliar o tratamento de acne, manchas, rugas, rejuvenescimento, cicatrizes e até de algumas doenças  pré-malignas de pele, como as ceratoses actínicas”, afirma a médica.

Várias pessoas podem se beneficiar do processo, desde adolescentes até pacientes mais velhos. Entretanto, todos devem passar por uma consulta para que o especialista possa avaliar a queixa do paciente e a intensidade do problema e, assim, possa fazer a indicação correta do tipo de peeling a ser usado.

Grávidas não devem fazer peeling


Há algumas contraindicações para o procedimento. “Todos os tipos de peeling, desde os superficiais até os mais profundos, são contra indicados para gestantes, pessoas com feridas no local de aplicação e pessoas bronzeadas ou que vão se expor ao sol no período pós-peeling”, explica Patrícia. Quem está sob estresse físico ou mental também não deve realizar o tratamento.

Como o processo consiste em provocar uma descamação da pele, que pode ser superficial, média ou profunda, a dermatologista acredita que o inverno é a estação ideal para este tipo de tratamento. Os raios solares agridem a pele em menor intensidade, o que torna os peelings mais seguros e confortáveis.

Dra. Patrícia Nascimento Mafra é dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e atua em Belo Horizonte. CRM-MG: 37955

Foto: Shutterstock

TAGS
peeling
pele

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Peeling: Como funciona este procedimento estético?"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.