AchèAchè
    search
    Título

    Qual a relação entre glaucoma e olho seco

    Uncategorized

    Por

    O glaucoma é uma doença dos olhos que cursa com lesão do nervo óptico e redução da acuidade visual tendo como principal causa o aumento da pressão ocular. O diagnóstico é realizado pelo médico oftalmologista através de exames oculares específicos. É uma doença silenciosa que não apresenta sintomas em seus estágios iniciais e afeta principalmente pessoas com mais de 40 anos.

    Com o envelhecimento da população e maior expectativa de vida, a incidência de glaucoma está aumentando, estimativas recentes sugerem que 111,8 milhões de pessoas serão afetadas até 2040. Por ser uma neuropatia óptica crônica, suas características clínicas e prognóstico requerem que o paciente tenha comprometimento com o tratamento, o qual tende a ser prolongado.

    O diagnóstico precoce do glaucoma é de extrema importância para o tratamento da doença e prevenção da cegueira e são os colírios os medicamentos mais usados para diminuir a pressão intraocular. É importante ressaltar que estudos recentes relatam que o uso de colírios a longo prazo gera alta prevalência de sinais e sintomas de olho seco devido seus componentes ativos e conservantes, que podem afetar a superfície ocular.

    O olho seco, é uma doença multifatorial e crônica, que afeta a superfície ocular e o filme lacrimal. Nele, há presença de uma baixa qualidade e pouca quantidade de fluido lacrimal, o que gera desconforto ocular, redução da acuidade visual, dor, sensação de queimação e de corpo estranho e fotofobia.

    Diagnóstico e Tratamento do Olho Seco

     

    O diagnóstico da Síndrome do Olho Seco é feito por meio de exame oftalmológico completo e o tratamento vai depender de sua causa. O tratamento pode não ser capaz de resolver completamente o olho seco, tendo como principais objetivos aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente. A maioria dos tratamentos usam lágrimas artificiais, géis e pomadas. Esses medicamentos repõem o filme lacrimal, além de reduzir fatores de risco ambientais, como exposição excessiva a telas de computadores e celulares. Para

    melhores resultados do tratamento, deve-se também interromper o uso de medicamentos que tragam como risco essa condição.

    Sintomas do Olho Seco:

     

    O olho seco pode ser classificado em dois tipos: olho seco com produção lacrimal reduzida (deficiência aquosa) e olho seco com evaporação aumentada do filme lacrimal ou em alguns casos como uma combinação dos dois.

    Os dois tipos causam os mesmos sintomas, que geralmente afetam ambos os olhos. Os sintomas são:

    • Ardência;
    • Hipersensibilidade à luz;
    • Vermelhidão;
    • Sensação de corpo estranho;
    • Dificuldade em usar lentes de contato;
    • Dificuldade para conduzir um veículo à noite;
    • Visão turva;
    • Fadiga ocular;
    • Lacrimejamento.

    Causas do Olho Seco

     

    O Olho seco se dá devido a inúmeros fatores de risco como a idade, o sexo, diferentes medicamentos, comorbilidades, além de determinados comportamentos adotados pelos indivíduos no seu dia-a-dia5.

    Seguem abaixo alguns dos elementos ambientais que podem influenciar no aumento da taxa de evaporação do filme lacrimal, que é um precursor importante da secura ocular:

    • Altitude elevada;
    • Temperatura;
    • Fumaça;
    • Ventos fortes;
    • Poluição ambiental;
    • Baixa umidade;
    • Luz solar e radiação;

      Seguem abaixo, alguns fatores intrínsecos mais comuns relacionados à incidência do olho seco:

    • Envelhecimento;
    • Mudanças hormonais;
    • Doenças sistêmicas.

    Prevenção do olho seco e cuidados com os olhos

    Ômega 3 ajuda na lubrificação e auxilia no combate à síndrome do olho seco;

    Alho cru reduz a pressão ocular por ter efeito vasodilatador;

    As vitaminas A, E e C são antioxidantes e combatem os radicais livres e o envelhecimento dos olhos.

    Evite jatos de ar diretamente nos olhos: Não aponte secadores de cabelo, condicionadores de ar ou ventiladores diretamente para os olhos.

    Evite o consumo de bebidas alcóolicas: Apesar das bebidas alcoólicas serem metabolizadas pelo fígado, elas produzem resíduos tóxicos, o que favorece o envelhecimento precoce das células oculares. Além disso, o álcool causa desidratação, afetando também os olhos.

    Não se descuide durante o tempo seco: A baixa umidade do ar causa irritação, ardência e vermelhidão ocular, por agravar a evaporação da lágrima. Ventiladores e ar condicionados devem ser evitados, pois ressecam ainda mais os olhos.

    Faça pausas em tarefas longas e cansativas: Se estiver lendo ou realizando outras tarefas que exijam concentração visual, faça pausas regulares. Feche

    os olhos por alguns minutos ou pisque repetidamente por alguns segundos para que as lágrimas possam se espalhar uniformemente sobre os olhos.

    Óculos com proteção UV: Use óculos escuros para proteger os olhos contra o sol, vento e impurezas do ar;

    Evite fumar: Se você fuma, converse com seu médico sobre o desenvolvimento de uma estratégia para parar de fumar. Se você não fuma, fique longe de pessoas que fumam.

    Beba muita água: É fácil ficar desidratado, especialmente no verão, quando está muito quente ao ar livre. A desidratação prejudica a capacidade natural do corpo de produzir lágrimas. A hidratação adequada promove a produção normal de lágrimas e evita os olhos secos.

    Compartilhe

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes