AchèAchè
search
Título

Como funciona a terapia para pacientes com TOC?

Uncategorized

Por

19 de outubro de 2023

O transtorno obsessivo compulsivo, conhecido pela sigla TOC, é uma doença psiquiátrica que se manifesta por meio de pensamentos repetitivos e exagerados, que dificilmente saem da cabeça, e de comportamentos irracionais e com características de rituais.

A doença requer acompanhamento psiquiátrico. “O tratamento para o TOC é baseado no uso de medicamentos antidepressivos, psicoterapias e outras formas complementares que incluem o incentivo a atividades físicas, meditação e acupuntura”, afirma o psiquiatra Eduardo de Castro Humes. A terapia que tem demonstrado maior eficácia para o transtorno é a cognitivo-comportamental, que deve ser complementar ao consumo de remédios.

Expor para tratar

Inicialmente, a terapia cognitivo-comportamental ajuda o portador a entender sua doença e a reconhecer suas obsessões e compulsões. Ela aborda atividades que visam expor o paciente a situações do dia a dia, com o objetivo de corrigir seus pensamentos e a se prevenir contra os rituais.

Os exercícios são sempre acompanhados por um profissional, que pode recomendar sua realização junto às tarefas de casa. A terapia pode ser feita individualmente ou em grupos, em uma clínica ou hospital, variando entre 10 e 20 sessões, de acordo com a gravidade do caso e a presença ou ausência de outras doenças associadas.

Quanto mais precoce, mais eficaz o tratamento

O tratamento deve ser iniciado o quanto antes; “Pacientes portadores de TOC apresentam maior chance de não voltar a apresentar sintomas após a interrupção do tratamento quando buscam o tratamento precocemente”, explica Humes.

A resposta ao tratamento irá variar de acordo com o tempo que o portador da doença dedicou ao tratamento e com as doses aplicadas de remédios. Alguns pacientes, no entanto, necessitam de tratamento por toda a vida, já que os sintomas voltam a aparecer com o fim da terapia e do uso de medicamentos.

Dr. Eduardo de Castro Humes é psiquiatra e psicoterapeuta formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. CRM-SP: 108239

Newsletter
Compartilhamento

Posts relacionados

Artigos
O pré-diabetes pode ser revertido, antes da manifestação plena da doença?

Como o nome sugere, o pré-diabetes é um quadro que antecede o diabetes e que também apresenta elevação importante de açúcar no sangue, porém não o suficiente para que o diagnóstico da doença seja feito. Caso o aumento da glicose no sangue seja identificado ainda nesta fase, é possível evitar que a doença se manifeste […]

Artigos
Obesidade: Como proteger as articulações quando estamos acima do peso?

A obesidade provoca uma série de consequências ruins para a saúde e uma delas é o desgaste das articulações. O peso excessivo do corpo sobrecarrega essas estruturas, além de ossos e cartilagem. Emagrecer torna-se, então, uma medida necessária. Para isso, deve-se recorrer a um profissional que oriente o tratamento adequado.    “O passo inicial é […]

Artigos
Por que diabéticos correm riscos maiores de perder a visão?

O diabetes é uma alteração metabólica de origem múltipla e se caracteriza pela deficiência de produção e/ou de ação da insulina em exercer adequadamente suas funções, causando um aumento da glicose (açúcar) no sangue. Mas você sabia que a doença pode afetar a visão do portador? “O diabetes compromete várias estruturas do olho”, afirma o […]

Converse com um dos nossos atendentes