TOC tem cura? Entenda sobre as diferentes fases do transtorno


  • +A
  • -A
Imagem do post TOC tem cura? Entenda sobre as diferentes fases do transtorno

Pessoas que sofrem de Transtorno Obsessivo Compulsivo podem até duvidar da eficácia do tratamento, já que a doença gera uma sensação de descontrole mental e atrapalha a rotina dos pacientes.

 

O diagnóstico do TOC deve ser feito por um médico psiquiatra e o tratamento pode realizado por meio de medicamentos, psicoterapia ou cirurgia, este último sendo indicado para pacientes mais graves.

 

O que é, de fato, o Transtorno Obsessivo Compulsivo?

 

A principal característica do TOC é a presença de obsessões e compulsões. De acordo com a psiquiatra Monica Melo, as obsessões são pensamentos, ideias, impulsos ou imagens recorrentes e persistentes que invadem a consciência de forma intrusiva e indesejada, causando muita ansiedade e desconforto. “Já as compulsões são atos físicos e mentais repetitivos que um indivíduo se sente obrigado a executar em resposta às obsessões ou de acordo com regras rígidas. Ele realiza tais atos na intenção de reduzir a ansiedade gerada pelas obsessões”, esclarece a psiquiatra.

O que causa o TOC?

 

O Transtorno Obsessivo Compulsivo não tem uma causa única e, sim, diversos fatores de risco. “Predisposição genética, alterações funcionais e da neuroquímica cerebral, abuso físico e sexual na infância e outros eventos estressantes podem contribuir para o seu aparecimento”, afirma a Dra. Mônica.

 

Para diferenciar o TOC de uma simples mania é preciso ficar atento o quanto as obsessões e compulsões consomem o tempo do indivíduo. “O transtorno é apontado quando se torna algo recorrente, gerando sofrimento na pessoa e em seus familiares, além de comprometer sua vida social, ocupacional, acadêmica e funcionamento de forma geral”, acrescenta.

Como é o tratamento? A doença tem cura?

Como o transtorno tem muitas causas, é difícil garantir que todos os gatilhos da doença podem ser curados. No entanto, com tratamento e ajuda da família, os principais sintomas podem ser controlados. “O TOC tem controle, mas, infelizmente, tem possibilidade de recaída, especialmente se não for devidamente tratado”, explica a especialista.

O tratamento tem duas frentes principais: medicamentos e terapia para que o paciente possa resolver a ansiedade que gera a compulsão. A cirurgia é uma terceira via, mas só é necessária em alguns casos. “Só são necessárias cirurgias, como neurocirurgia funcional e estimulação cerebral profunda em casos de pacientes mais graves”, completa Mônica.

Mônica Melo é psiquiatra e terapeuta cognitiva-comportamental. CRM-DF: 16685

 

TAGS
psicologico
toc

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

17 comentários para "TOC tem cura? Entenda sobre as diferentes fases do transtorno"

Luiz Fernando Aguiar de Souza

Tive toc grave me tratei durante 1ano e 6meses achei que estava curado e parei hoje estou começando me a me sentir mau denovo quanto tempo dura o tratamento do toc

Cuidados Pela Vida

Oi Luiz Fernando, não é indicado que você interrompa o tratamento sem autorização do médico. O ideal é que você o retome e faça acompanhamento periódico com o médico que o prescreveu. Abraços.

Manoel Joaquim de Lima Junior

Estou em tratamento passei por um período complicado tenho toc desde pequeno, não tinha conhecimento que era um problema.Além do toc tive depressão,ansiedade e síndrome do pânico, Estou em tratamento há um ano, pois alguns medicamentos não deram certos. Estou tomando menelat 45mg e paroxítona 20 mg estou bem mais engordei 17 kilos, se possível gostaria de receber orientação. Obrigado

Cuidados Pela Vida

Oi Manoel, ao realizar a consulta com o médico que o acompanha e prescreveu o tratamento, você pode verificar com ele qual conduta em seu dia-a-dia pode ter ocasionado esse aumento de peso. Abraços.

Larissa

Vai completar 4 anos q tomo medicação pra depressao e toc,tenho 20 anos.Qual o motivo de a depressão ter sido curada e o toc ainda ter sintomas? Os sintomas do toc nao deveriam desaparece tambem,ja q o remedio tem efeito nas duas doencas?Isso significa que o toc nao tem cura? Tomo sertralina 150,mas ja tomei 200mg

Cuidados Pela Vida

Oi Larissa, como o transtorno tem muitas causas, é difícil garantir que todos os gatilhos da doença podem ser curados. Continue com o acompanhamento e tratamento prescritos pelo seu médico. Abraços.

CARLOS

SOU PACIENTE COM “TOC”. FAÇO TRATAMENTO HÁ 26 ANOS – INICIEI, JÁ TARDE, COM 30 ANOS – PORÉM, SABIA QUE TINHA, ENTRETANTO, RELUTEI, POIS, VIA MEUS PARENTES, EM PRIMEIRO GRAU COM DOENÇAS NEUROLÓGICAS DIVERSAS E NÃO QUERIA OUVIR DE UM TERAPEUTA, QUE EU SERIA MAIS UM. FAÇO TERAPIA COGNITIVA-COMPORTAMENTAL, TENHO MELHORAS PERIÓDICAS….MAS, NÃO SENDO PESSIMISTA, EU NÃO ACREDITO EM CURA ( TRATAMENTO É O QUE NÓS PORTADORES E SOFREDORES FAZEMOS, NA ÂNSIA DE ESTABILIZAR….ESTABILIDADE RELATIVA). SOU DA ÁREA DE TECNOLOGIA ( NÃO DE SAÚDE ), MAS, AS PATOLOGIAS NEURONIAIS SÃO HEREDITÁRIAS E A CURA VIRÁ ( ACREDITO EU ), QUANDO A MEDICINA ESTIVER MANIPULANDO COM MAESTRIA O GENOMA HUMANO – SEI QUE NÃO TENHO MAIS IDADE, PARA ALCANÇAR ESSE FEITO CIENTÍFICO, MAS, TORÇO PARA QUE SEJA RÁPIDO….POIS, QUEM SOFRE DESTA DOENÇA SOFRE CONSCIENTE, NÃO SURTA E VIVE O VERDADEIRO INFERNO ASTRAL E, AINDA, EXISTEM PESSOAS QUE DUVIDAM DO QUE A GENTE TEM ( E SÃO PESSOAS TIDAS “COMO ACIMA DO SENSO COMUM”). EU NÃO SEI, SINCERAMENTE, O QUE, AINDA, FAÇO NESTE MEIO…….!

CARLOS

GOSTARIA DE UM PARECER DOS EXPERTS DE CUIDADOS PELA VIDA. FAÇO USO DA SEGUINTE MEDICAÇÃO: VENLAFAXINA 150mg – 2 a/d V.O.; EQUILID 50mg – 1 a/d V.O.; LORAX 2 mg, 2a/d.OBRIGADO !

Cuidados Pela Vida

Oi Carlos, qual seria sua dúvida?

CARLOS

SOU O PACIENTE, PELA ORDEM, 7, 8 E, AGORA, APÓS A MODERAÇÃO, 10. GOSTARIA DA OPINIÃO DE “CUIDADOS PELA VIDA” DO QUE RELATEI EM 7 E 8, RESPECTIVAMENTE. MUITO OBRIGADO, PELA ATENÇÃO.

Cuidados Pela Vida

Oi Carlos, aconselhamos que você siga corretamente o tratamento prescrito pelo seu médico, pois somente ele conhece o seu caso clínico e assim está apto para prescrever o melhor tratamento para o seu caso. Abraços.

Gaby

Sempre tive sintomas de toc, mas não eram tão absurdos como hoje em dia. Fui diagnosticada com TOC faz pouco tempo, em um grau um pouco alterado. Particularmente, não acredito na cura, por ter diversos fatores que contribuem como o aparecimento. Acredito mais no controle da doença. Meu psiquiatria passou clomipramina de 25mg para o TOC, Citalopram 20mg (aumentou a mg) para a depressão e Alprazolam 0,5mg para a TAG, além do tratamento por meio de Terapia Cognitiva Comportamental. Meu maior medo é que ainda estou na adolescência e faz tempo que tenho depressão e não consegui controlar, agora com o TOC… Além de alguns sintomas (um pouco grave) de borderline. Isso tudo me assusta muito e me faz perder a vontade de continuar todo o tratamento. Outra coisa que tenho medo é toda essa mistura de remédios, principalmente porque meu psiquiatra falou que pode ser muito forte mas como já tinha tomado remédios mais fortes para a ansiedade e não fez efeito, era melhor aumentar tudo. Enfim, espero que essas doenças tenham uma cura certa.

Cuidados Pela Vida

Oi Gaby, continue com o tratamento prescrito pelo seu médico, e não se esqueça de fazer um acompanhamento periódico com ele. Estamos na torcida para que você alcance uma boa qualidade de vida. Abraços.

Nicole

PRECISO DE AJUDANão tenho o diagnóstico de T.O.C mas venho desconfiando á dois anos.Meus números são 4 e 5 ( números que eu uso para quantas vezes fazer determinada ação) e a uma ordem: esquerda e direita duas vezes ( número 4) e esquerda e direita x2 mais no centro do objeto ou corpo, como se fosse uma batida de música ( número 5) E quando eu encosto partes do meu corpo em mim mesma ou em algo, ou até me machuco eu tenho que fazer isso com o outro membro à direção (como braço ou perna, e isso ocorre mais) e quando me machuco (como em algumas semanas, em um dedo do pé) aperto bem forte com outro membro oposto ao que machuquei, pra sentir uma pressão e sentir que sinto a mesma coisa nos dois.(Foi uma coisa que desenvolvi para não fazer algo que fiz um dia: bati meu pé direito no pé da mesa e me machuquei tive que bater o pé esquerdo no mesmo local (a mesa) até sentir o mesmo.Obs: Não tenho nenhum trauma forte para me impulsionar a desenvolver TOC.(Já houve um que foi uma perseguição, me senti com o coração acelerado por horas e posso ter segurado minhas mãos fortemente e puxado cada um dos meus dedos, o que faço até hoje.)Me ajudem,sou menor de idade e ainda uma “criança” e já comentei com minha mãe mas ela levou na brincadeira e não quero ir ao médico sem ter uma opinião firme como a de vocês e ter que ouvir as pessoas falarem que não é nada, e continuar sentindo a mesma coisa.

Edson Cavalcante

Olá. Sempre tive problemas com ansiedade mas em 2016 entrei em desespero por conta de uma mancha. Depois disso passei a ter Extrassístoles, e por aí foram surgindo muitas e muitas coisas que me causavam ansiedade. Tudo que eu via ou sentia no corpo acionava um alerta. E em Outubro de 2017, Passei a ter pensamentos ruins sobre a idéia de ter que morrer. Já não conseguia ver, nem ouvir coisas sobre pessoas que morreram que me assustava. E isso só aumentou. E agora em 2018 estou com muitos pensamentos respetivos na qual não me livro. Eles são principalmente ligados à morte, medo de quem já se foi, de perder alguém, de ter que morrer. Isso tudo está estragando minha vida, me isolei e saio pouco até porque eles estão em todos os lugares. E ultimamente tenho tido dúvidas sem fim sobre a vida sobre a morte, em relação a religião, sobre metafísica, origem do universo. Eu fico mal por que sou evangélico e estou questionado a Deus a toda hora. E isso acaba trazendo sentimetos de medo, angústia. Não sei o que fazer..

Cuidados Pela Vida

Oi Nicole, é complicado diagnosticá-la apenas com essas informações. É necessário que você realize uma avaliação com o médico especialista para que ele possa realizar o diagnóstico correto e assim possa te auxiliar. Tente conversar com sua mãe, mostre para ela algumas matérias sobre o assunto e, peça para que ela te leve para a consulta. Melhoras.

Cuidados Pela Vida

Oi Edson, é importante que você procure o auxílio de um médico especialista, assim ele poderá prescrever um tratamento que te ajude com esses sintomas. Melhoras.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.