Qual é a melhor forma de ajudar uma pessoa que sofre com TOC?

  • +A
  • -A

O transtorno obsessivo-compulsivo, conhecido pela sigla TOC, é um distúrbio mental que provoca pensamentos que não saem da cabeça e a criação de rituais e comportamentos repetitivos. Para controlar o problema e seus sintomas é preciso fazer o tratamento corretamente. A ajuda da família e de amigos próximos pode ser fundamental ao longo desse processo.

Família deve incentivar paciente com TOC a fazer o tratamento


“O apoio da família é muito importante, mas deve ser orientado pelo médico psiquiatra e pelo psicólogo para a condução de cada caso em particular. O tratamento em saúde mental é sempre único e baseado
 no estudo de cada paciente. Não existe a doença e sim o doente”, afirma a psiquiatra e psicoterapeuta Célia Mendes.

A principal forma de ajudar um familiar com TOC é incentivá-lo a tomar as medicações prescritas pelo médico de forma correta e participar das terapias indicadas. Não incentivar as compulsões como forma de aliviar as obsessões é outra atitude importante e que merece atenção. Caso contrário, os parentes precisarão da psicoterapia familiar para descobrir como lidar de uma maneira melhor com os sintomas do transtorno, sem prejudicar o tratamento.

Rituais e obsessões podem afastar paciente com TOC da família


É comum os pacientes evitarem encontros com a família e atividades profissionais por causa de suas compulsões. O TOC faz com que o portador repita determinados rituais e comportamentos diversas vezes e, em alguns casos, por várias horas. Checar se a porta está trancada, lavar as mãos e
organizar objetos são alguns exemplos e podem atrapalhar as relações sociais.

Apesar de ser um trabalho árduo, a família não deve desistir de prestar auxílio ao paciente. “Portadores do TOC costumam depender muito da ajuda dos seus familiares. Há uma exigência de cuidados e atenção muito grande da parte deles por causa de seus sintomas obsessivo-compulsivos. Muitos familiares modificam suas rotinas pessoais e da casa em função do TOC, para atender as demandas do portador”, afirma a psicóloga Lilian Boarati.  

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Lilian Boarati

Lilian Boarati

Psicologia

CRM: 64435 / SP

Dra. Célia Mendes

Dra. Célia Mendes

Psiquiatria

CRM: 14814 / SC

TAGS
psicologico
toc

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

13 comentários para "Qual é a melhor forma de ajudar uma pessoa que sofre com TOC?"

João Victor Teixeira Nunes

O que fazer quando sua família não ajuda um familiar com TOC ?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, João. É de suma importância apoio dos familiares e amigos próximos ao longo desse processo, sob orientação do médico psiquiatra e psicólogo para a condução de cada caso em particular. Aconselhamos tentar um diálogo entre os integrantes da família, para chegarem a uma conclusão e de forma positiva ajudar o paciente no tratamento. Desejamos sucesso no seu tratamento. Abraços!

Rogeria Ap. De Oliveira Rampinelli

Boa noite, meu nome é Rogeria, moro em Juiz de Fora. Estou muito triste, pois fui diagnosticada pelo meu psiquiatra que tenho com TOC e depressão. E eu que me achava uma pessoa normal. Lu alguns artigos, o que me fez pior…….

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Rogeria. Com o diagnóstico, é fundamental que você siga à risca o tratamento prescrito, afim de zelar por sua saúde e obter melhor qualidade de vida. Segundo Erika, as terapias costumam ser bastante eficazes no tratamento para o transtorno obsessivo compulsivo: “O tipo de psicoterapia com maior evidência de eficácia é a terapia cognitivo-comportamental, que pode ser individual ou em grupo. Ela funciona com a exposição do paciente, prevenção de respostas e técnicas cognitivas.” Recomendamos essa leitura: https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/toc/toc-terapia-ajuda-efeitos-nocivos-vida-pacientes Desejamos forças!

gedi

bom dia, eu tenho um filho de 21 anos que tem toc , mania de limpeza, organização, mas ele não concorda em ir ao médico ou psicologo. como posso ajuda-lo. a convivencia em casa ja está se tornando dificilpois tenho outro filho e eles acabam brigando..

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Gedi. Entendemos que é uma situação delicada, mas o apoio da família é de suma importância, é imprescindível que o seu filho tenha acompanhamento de um médico especialista, apenas ele poderá prescrever a melhor abordagem de tratamento para controle do TOC. Abraços.

Maria de Lourdes Andrade.

Eu faço tratamento psiquiátrico para depressão e bipolaridade.Tenho alguns sintomas de TOC.Meu marido tem muitos sintomas de TOC, a muitos anos, que tem interferido na nossa vida familiar.Agora que estou me dando conta da gravidade deste transtorno de meu marido.Nos brincava-mos com os rituais de limpeza, checar as portas, os aparelhos elétricos, torneiras.Manias de contaminação, lava as mãos seguidamente, por muito minutos.Acumula papéis, livros , jornais e outros objetos.Fica furioso quando contestamos ou mechemos em suas bagunças. Não aceita de forma nenhuma que seja portador do TOC.Agora com a pandemia, agravou muito os sintomas, ficou intolerante.Tem sido muito difícil a convivência .O que podemos fazer para ajudar?.Maria de Lourdes AndradeFlorianópolis

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Maria. O paciente que tem o TOC, deve procurar um tratamento médico para facilitar a convivência com outras pessoas na mesma casa, no mesmo ambiente, etc. Ás vezes o paciente não aceita que tem o Toc, por falta informação e isso acaba impedindo de procurar ajuda. Recomendamos a leitura da matéria abaixo, pois nela tem algumas dicas que poderá lhe ajudar em relação ao seu marido.
tps://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/toc/separamos-algumas-dicas-para-facilitar-convivencia-e-ajudar-no-tratamento-toc. Abraços!

Luiza

Meu irmão foi diagnóstico com Tok, ele tem 16 anos lava a mão toda hora não abraçar para não colocar a mão em nós e tem vários pensamentos ruins, está tratando com psquiatra e psicólogo a 1 mês está medicado mas não está melhorando.Tem alguma sugestão?

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.