Obesidade mórbida: como saber se você está nesse estágio? Quais são os riscos?


  • +A
  • -A
Imagem do post Obesidade mórbida: como saber se você está nesse estágio? Quais são os riscos?

A obesidade é uma doença crônica que afeta cerca de 400 milhões de pessoas no mundo todo, sendo considerada uma epidemia e um grave problema de saúde pública. Segundo dados do Ministério da Saúde, quase metade da população brasileira encontra-se acima do peso.  “É um acúmulo anormal de gordura corporal, podendo acarretar várias implicações à saúde em médio ou longo prazo, sendo considerada, atualmente, a maior desordem nutricional dos países desenvolvidos e em desenvolvimento”, diz a nutricionista Sheila Basso, especializada obesidade, emagrecimento e saúde.

Os riscos da obesidade mórbida

A Organização Mundial da Saúde divide a obesidade em três níveis, sendo grau I com IMC entre 30 e 34,9kg/m2 , grau II entre 35 e 39,9kg/m2 e grau III ou obesidade mórbida com IMC acima de 40kg/m2. Quem encontra-se nesse último estágio deve ter atenção redobrada, já que os riscos aumentam. “A obesidade grau mórbida está relacionada com mortalidade aumentada e a ocorrência de diversas comorbidades como: hipertensão arterial, diabetes, dislipidemias, apneia do sono, doenças cardiovasculares, artropatias, câncer”, esclarece.

Os principais fatores que levam à obesidade

O peso corporal é uma função do balanço de energia e de nutrientes ao longo de um período de tempo. O balanço energético é determinado pela ingestão de macronutrientes (carboidratos, proteínas, lipídios), pelo gasto energético e pela termogênese dos alimentos. Assim, o balanço energético positivo por meses resultará em ganho de peso corporal na forma de gordura, enquanto o balanço energético negativo resultará no efeito oposto. Vários fatores atuam e interagem na regulação da ingestão de alimentos e de armazenamento de energia, contribuindo para o surgimento e a manutenção da obesidade. Entre eles, fatores neuronais, fatores endócrinos e adipocitários e fatores intestinais.

O tratamento clínico da obesidade

De acordo com Sheila, o  manuseio clínico da obesidade é difícil, pois não somente o emagrecimento, mas principalmente a manutenção da perda de peso, não é possível para a maioria dos grandes obesos. Os resultados dos tratamentos farmacológicos e não farmacológicos  são avaliados à luz dos novos objetivos do tratamento da obesidade em atingir um peso saudável e não, necessariamente, um peso ideal. “Na maioria das vezes, o tratamento clínico da obesidade mórbida, torna-se frustrante, sendo a cirurgia bariátrica, atualmente, considerada a mais bem-sucedida medida terapêutica, neste caso”, explica.

– Sheila Basso é graduada em nutrição com especialização em obesidade, emagrecimento e saúde e nutrição clínica. CRN3: 21557

TAGS
emagrecer
obesidade

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Obesidade mórbida: como saber se você está nesse estágio? Quais são os riscos?"

Ana Paula valory Dias

Quero saber se tenho obesidade mórbida

Cuidados Pela Vida

Olá Ana Paula, o Índice de Massa Corporal (IMC) é um índice em que pode verificar se seus níveis de gordura e peso estão dentro do recomendado pela Organização Mundial de Saúde. O IMC é calculado por meio do peso (em quilos) dividido pela altura (em metros) ao quadrado. IMCs acima de 40 são considerados obesidade mórbida. Você pode esclarecer essa dúvida lendo outra matéria relacionada a peso. Segue o link para leitura: https://cuidadospelavida.com.br/cuidados-e-bem-estar/alimentacao/sobrepeso-obesidade-e-obesidade-morbida-entenda-diferenca

Rodrigo de Sousa

Olá, eu gostaria de saber, pois no meu caso, eu tenho 1, 71 de altura e 105 kgs, porém eu graças à deus não tenho ainda problemas de saude relacionados ao peso, mais me sinto psicologicamente muito abatido quanto à esse problema já tendo buscado soluções por outras vias normais como modalidades de esportes mais fico muito abalado quando à essas condições do meu corpo, apesar de não aparentar que tenho todo esse peso, enfim, eu poderia fazer a cirurgia bariátrica ?Grato.Att. Rodrigo.

Cuidados Pela Vida

Oi Rodrigo, é complicado afirmar isso apenas com essas informações. É necessário realizar uma avaliação com o médico especialista para que ele possa verificar a melhor conduta para o seu caso. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.