Por que a obesidade pode piorar a qualidade do sono?


  • +A
  • -A

A qualidade do sono é um fator de extrema importância para a saúde de um indivíduo. Dormir mal durante uma ou várias noites representa uma perda no bem-estar que se reflete no mau desempenho nos estudos e no trabalho e prejudica o relacionamento com as pessoas. A obesidade é uma das razões para a queda da qualidade do sono.

“A pessoa obesa poderá ter uma série de situações associadas à má qualidade do sono, tais como ronco, apneia, insônia, pesadelos e agitação noturna”, afirma a nutricionista Adriana Ávila. No dia seguinte a uma noite mal dormida, o indivíduo acorda com sonolência, olheiras e alterações no humor. Adriana diz que algumas pessoas recorrem a produtos com cafeína, como chás, café e energéticos para se manter acordada.

Bola de neve

O problema vai ainda mais além: a combinação de problemas no sono com a obesidade pode formar um ciclo vicioso. “Um menor número de horas dormidas aumenta a expressão do hormônio grelina, que nos faz ter mais fome, e reduz a expressão do hormônio leptina, que nos faz sentir menos fome”, explica Adriana.

A nutricionista alerta que, além da pessoa sentir mais fome, a escolha dos alimentos recai em doces, biscoitos e lanches com mais calorias. De acordo com a profissional, quem fica mais tempo acordado acaba comendo mais. Isso desajusta o relógio biológico do corpo, prejudicando o sono e modificando o controle da ingestão de alimentos.

A alimentação é a chave

Parte da resposta para o problema está na adoção de hábitos saudáveis em relação à alimentação. “É preciso ingerir a quantidade suficiente de calorias de acordo com a idade, sexo, peso, altura e atividade física. Realizar de cinco a seis refeições por dia, comendo um volume controlado de alimentos”, aconselha Adriana.

A nutricionista recomenda a inclusão de carnes, leites magros, verduras, legumes, frutas e produtos integrais na alimentação e a redução da quantidade ingerida de sal, gordura e açúcar. Para o período da noite, ela indica o consumo de alimentos com triptofano, como feijão, frango e peru, que ajudam no sono, além de sementes e oleaginosas. Caso a pessoa tenha o costume de comer de madrugada, ela aconselha preparar previamente um lanche leve e saudável.  

Dra. Adriana Ávila é formada pelo Centro Universitário São Camilo e atua em São Paulo. CRN-SP: 3-2816.

TAGS
insonia
obesidade
psicologico
sono

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

2 comentários para "Por que a obesidade pode piorar a qualidade do sono?"

fabio

bom dia obrigado pelas informacoes,realmente sintomuito cansaco,sono absurdo tambem tenhoapneia do sono,,,obs odeio academia,que devo fazer

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Fabio, inicialmente você pode optar por atividades físicas leves e supervisionadas. Converse com o médico, ele pode direciona-lo para a especialidade médica mais adequada. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.