Hipertensão: pode voltar a tomar remédio após interrupção do tratamento?


  • +A
  • -A
Imagem do post Hipertensão: pode voltar a tomar remédio após interrupção do tratamento?

A hipertensão é uma doença crônica cujo tratamento é primordial para garantir uma boa qualidade de vida ao paciente. Ele deve seguir as medidas indicadas pelo médico para controlar a doença, mas se por algum motivo o tratamento da pressão alta for interrompido, o paciente pode voltar a utilizar os medicamentos, desde que respeite algumas condições.

Dosagem da medicação para pressão alta poderá ser revista


“Além de retomar o uso da medicação conforme receita prévia, é importante retornar às consultas, visto que pode ser que aquela receita com dosagem antiga não sirva mais”, afirma o cardiologista Francisco Flávio Costa Filho. O maior risco, segundo o médico, é parar de utilizar a medicação sem orientação médica. Se os medicamentos eram tolerados pelo corpo, não há risco de voltar ao tratamento.

Como a doença, na maioria dos casos, não provoca sintomas, alguns pacientes acabam optando por parar o tratamento. No entanto, esta interrupção pode custar caro. “Um paciente que vinha com a pressão controlada sob efeito de medicamentos, quando abandona o tratamento, pode ter a pressão elevada abruptamente, o que é chamado de efeito rebote”, alerta Filho.

Sem tratamento, hipertensão pode provocar cegueira, mesmo sem sintomas


Os problemas não param por aí: “Ao longo dos anos, níveis de pressão acima de 140×90 mmHg causam lesões nos órgãos. As artérias do cérebro, dos rins e da retina são especialmente afetadas pela pressão alta, podendo levar a derrame cerebral, insuficiência renal e cegueira”, explica a cardiologista Ana Catarina de Medeiros Periotto. Apesar dos efeitos ocorrerem ao longo dos anos, estas complicações podem surgir subitamente.

A melhor forma de prevenir as complicações da hipertensão não tratada, que pode ser considerada uma bomba relógio, é seguir as medidas prescritas pelo médico. Caso o paciente esteja se sentindo desconfortável com o tratamento, é essencial conversar com um profissional para que possa ser orientado adequadamente sobre outras possibilidades antes de tomar qualquer decisão por conta própria.

Dr. Francisco Flávio Costa Filho é cardiologista formado pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e atua em São José dos Campos (SP). CRM-SP: 141903

Dra. Ana Catarina de Medeiros Periotto é cardiologista, formada em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande e com residência em Cardiologia pelo Hospital Federal dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro. CRM-SP: 141696 – www.anacatarinacardio.com.br

Foto: Shutterstock

TAGS
cardiovascular
pressao-alta

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

9 comentários para "Hipertensão: pode voltar a tomar remédio após interrupção do tratamento?"

Neuza Maria Freitas boim

Minha pressão costuma aumentar em alguns casos.Principalmente quando estou anciosa e preocupada Isto procede?

Cuidados Pela Vida

Olá Neuza. É normal quando nossos batimentos cardíacos variam de acordo com nossas emoções, quando estamos eufóricos, ansiosos, com medo ou até mesmo quando estamos muito felizes. Abraços

Denise Geraldo

Tomo 7 comprimido de manhã todos os dias isso pode prejudicar o meu figado corro o risco de ter uma cirrose?

Luciana Mestre

Bom diaGostaria de saber quem é hipertenso e usa medicação para controlar a pressão pode usar omega 3?

Cuidados Pela Vida

Oi Luciana, há fortes evidências de que o ômega-3 seja responsável pela diminuição da pressão sanguínea. O efeito é pequeno, mas para quem tem pressão alta comer peixe pode ajudar, junto com medicamentos e outras mudanças na dieta, é claro. Uma estratégia é substituir carne vermelha por peixe nas refeições, mas é melhor evitar as versões mais salgadas.

Marcio Santos

Tenho 36 anos e em setembro de 2015 fui tomar uma simples vacina atrasada, e vieram medir minha pressão e estava 18 por 11, tive que ficar em observação, a ultima vez que tinha medido tinha dado 13 por 8 mas fazia mais de um ano, mas eu me sentia bem e estava tranquilo, deram um comprimido, depois uma injeção e nada de baixar, chegou em 15 por 10 e não saia disso, tive que marcar consulta, fazer exames e me receitaram o Clorana 25 mg de início, mas além de ele me dar muitas caimbras eu passei a ficar ansioso por causa daquele rotina por que até então não tomava remédio pra nada, e a pressão sempre alta, era 19 por 11, 18 por 12, e eu estava com 122 quilos na época e tenho 1,85, meu eletrocardiograma e o exame de sangue estavam normais, aí eu desanimei de tomar o remédio, ter até efeitos colaterais, ter cortado o sal e outras coisas, e todo aquele esforço não resolver nada, aí abandonei tudo e não fui mais medir a pressão e não tomei mais remédio por mais de um ano, não marquei mais consultar também e doei os remédios para uma pessoa que usava do mesmo, mas há um ano comecei a tomar por conta própria o propranolol de 40 Mg, minha toma ele faz anos já e sempre sobra, passei a tomar um por dia de manhã e a pressão parou em 13 por 8, estou pensando em seguir por conta própria, perder peso por e ficar tomando o propranolol e eu mesmo medir a pressão em casa, sempre caminho a tarde, cortei refrigerantes, como verduras, evito trabalhar até a noite como fazia antes, e procuro dormir bem a noite, posso”seguir”assim eu mesmo me monitorando sem precisar voltar no médico?

Marcio Oliveira

Bom, uma coisa que percebi que toda aquela rotina de marcar consultas, horas em fila, me deixa muito estressado.

Cuidados Pela Vida

Oi Marcio, não é indicado interromper o tratamento sem autorização do médico; assim como não é indicado fazer uso de medicamentos sem a devida prescrição médica. Pelo seu relato, você já demonstra estar em busca de ter uma maior qualidade de vida, mas é essencial que você realize uma consulta com o cardiologista para que ele possa prescrever o produto adequado para o seu caso. Abraços.

Cuidados Pela Vida

Olá Marcio, essa rotina pode ser um pouco cansativa, porém o acompanhamento médico é um dos pilares importantes para o sucesso do tratamento.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.