Tratamento para herpes-zóster: conheça as medidas indicadas pelos especialistas!

  • +A
  • -A

O herpes-zóster, apesar do nome semelhante, é uma doença diferente do herpes simples, com sintomas e vírus causador diferentes. Mas, será que o tratamento para herpes-zóster também é diferente? Quem esclarece essa dúvida é a dermatologista Cristiane Simões, que explica que é preciso, antes, entender as principais características dessa infecção. 

“Herpes-zóster é uma doença infecciosa que acomete indivíduos que previamente tenham sido contaminados e tenham desenvolvido varicela (catapora) em alguma fase da vida. É causado pelo herpesvírus humano tipo 3 e surge por reativação deste. Suas lesões consistem em vesículas dispostas em trajeto linear, acometendo frequentemente o tronco, a face e membros, além de manifestar-se com dor neuropática de média a grande intensidade”, afirma a médica.

Antivirais e analgésicos são usados no tratamento para herpes-zóster

Segundo a profissional, o tratamento para herpes-zóster é feito com uma associação de medicamentos: “O tratamento precisa abordar o controle de carga viral com uso de drogas antivirais, analgésicos de potência compatível à queixa de dor referida pelo paciente, além de associações vitamínicas indicadas pelo seu dermatologista”. 

Além do uso de analgésicos para tratar a dor, que é frequentemente intensa, segundo Dra. Cristiane, o tratamento para herpes-zóster também pode envolver o uso de radiofrequência pulsada e toxina botulínica (botox) para aliviar o paciente desse sintoma.

Tratamento do herpes-zóster é diferente do herpes simples?

“Apesar de serem doenças virais de nomes parecidos, são causadas por microrganismos diferentes, o que nos leva à necessidade de abordagem terapêutica própria para cada uma delas. O tratamento difere nos grupos de antivirais escolhidos, em suas posologias, frequência de tomada e combinações com outras medicações que precisarão dar conta de conjunto próprio de sintomas característicos ao herpes-zóster”, afirma a especialista. 

Falta de tratamento para herpes-zóster gera complicações?

A demora para buscar ajuda médica pode contribuir para o surgimento de complicações. Mas, a dermatologista explica que, mesmo quem procura e recebe tratamento adequado pode ter problemas. “A depender da localização da doença, da situação imunológica e da saúde geral do paciente, estas complicações (passíveis de se tornarem sequelas permanentes), podem ser ainda mais sofridas, com quadro de dor intensa e duradoura, meningite e cegueira”, alerta a profissional. Por isso, além do diagnóstico correto, é fundamental ter acompanhamento médico para manter bons cuidados com a saúde. 

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Cristiane Simões

Dra. Cristiane Simões

Dermatologia

CRM: 52-811254 / RJ

TAGS
herpes

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

11 comentários para "Tratamento para herpes-zóster: conheça as medidas indicadas pelos especialistas!"
Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.