Por que o estresse é associado a crises de herpes?


  • +A
  • -A

O estresse está associado diretamente à imunidade, ou seja, quando o corpo e a mente experimentam sensações estressantes, as defesas do organismo tendem a enfraquecer. Com a imunidade mais baixa, o vírus do herpes já presente, e que poderia estar latente (“adormecido”), se manifesta de forma acentuada e os sintomas começam a surgir.

 

Formas de evitar crises de herpes por estresse

 

“O herpes é um vírus que, no período entre as crises, fica ‘guardado’ nos gânglios nervosos, aguardando um momento ideal para desencadear a crise. O estresse está associado a crises de herpes, pois atua no sistema imunológico, diminuindo nossas defesas. É nesse momento que o vírus tem a oportunidade de ser ativado nos gânglios nervosos”, explica a dermatologista Daniela Costa.

Para evitar que esse fator estimule o surgimento do herpes, é essencial adotar hábitos saudáveis de vida. “Manter um estilo de vida saudável ajuda a evitar o surgimento de crises de herpes. Dormir bem, ter uma boa alimentação, beber muita água, manter os lábios hidratados, evitar o sol excessivo, evitar cigarro e álcool e tentar manter, na medida do possível, o estresse sob controle, são exemplos importantes”, afirma Daniela.

 

Tratamento das crises de herpes

 

Nos primeiros sinais da crise de herpes, o tratamento já é indicado. Quando ele já está em andamento, é ainda melhor. Nesse contexto, o uso de medicamentos é fundamental. “Os antivirais de via oral são exemplos importantes”, destaca a Dra. Daniela. Ela ressalta também que o tratamento feito de maneira correta, além de encurtar a crise e reduzir a transmissão, ajuda a evitar recorrências próximas.

“Quando o paciente está passando por um período importante de estresse, podem ocorrer crises recorrentes, pela baixa do sistema imune. Em alguns casos, pode ser necessária a terapia supressiva ou profilática com medicamentos via oral”. Vale destacar ainda os medicamentos ricos em lisina, que é um aminoácido importante por sua capacidade de reduzir infecções de repetição.  

 

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Daniela Aidar

Dra. Daniela Aidar

Dermatologia

CRM: 156459 / SP

TAGS
herpes
herpes-genital
pele

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Por que o estresse é associado a crises de herpes?"

Elisabete

Verdade essa matéria. Aconteceu comigo. Muito difícil tentar se levantar sozinha. Essa herpes judia demais e ficam marcas terríveis de um momento ruim

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Elisabete, converse com o dermatologista, ele pode indicar um tratamento preventivo e prescrever uma ajuda para os momentos de crises com a doença. Um grande abraço.

Ivonete da Silva Melo

Tenho problemas de aflitas a muitos anos faço tratamento nas Clínicas sem solução.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Ivonete, Primeiramente, deve-se ficar atento se os sintomas permanecerem por mais de 14 dias. Caso isto ocorra, deve-se procurar atendimento médico, para uma avaliação adequada e individualizada.No entanto, existem alguns cuidados simples que podem ser realizados em casa, quando já se sabe que a ferida se trata de afta. Deve-se realizar uma higiene bucal adequada, usando enxaguante bucal sem álcool; manter uma alimentação menos ácida e mais saudável, para manter o sistema imunológico em níveis adequados, e; utilizar uma pomada ou creme analgésico específicos para o tratamento de aftas, prescrita pelo dentista ou médico. Até logo.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.