Como reduzir o risco de transmissão do herpes para o bebê durante a gravidez?

  • +A
  • -A

O herpes simples é uma infecção muito comum, sendo que, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, cerca de 99% das pessoas já adquiriram imunidade na infância ou adolescência. Contudo, a transmissão do vírus da mãe para o bebê durante a gravidez pode ser mais grave, o que exige esforço maior para reduzir o risco. 

Perigos do herpes neonatal


“O herpes neonatal é uma
condição rara mas que pode ser muito grave. Esta infecção pode ocorrer pela infecção do bebê no canal do parto. Ou seja, a gestante sempre deve avisar o obstetra se apresentou ou apresenta esta condição (herpes), pois se houver lesão local, o obstetra poderá considerar cesárea como escolha do parto para proteção do bebê”, informa a dermatologista Alexandra Bononi. 

É importante destacar que o herpes neonatal pode causar danos neurológicos permanentes ou até mesmo a morte do bebê recém-nascido. A gravidade deste vírus é tão grande nos primeiros momentos da vida porque o sistema imunológico nesse momento ainda não é desenvolvido o suficiente para combater a infecção – a mesma que, em adultos é inofensiva.

Ainda segundo a especialista, o quadro se torna mais perigoso se a gestante teve infecção viral genital nas últimas seis semanas da gestação. Nesse sentido, é indicado o uso de preservativo nas relação sexuais no final da  gravidez. “Após o bebê nascer, é mandatório evitar ficar beijando sua boca e mãozinhas, principalmente quando há algum sinal de infecção herpética oral no adulto. Higienizar muito bem as mãos antes de pegar o bebê também é fundamental”, ressalta a médica.

Tratamento com lisina é mais eficaz


Independente da idade do paciente, o tratamento do herpes é sempre importante, especialmente se há ocorrência de crises com certa frequência. O processo se baseia no uso de medicamento específico, o qual deve seguir com rigor a indicação do médico especialista. Os produtos contendo lisina merecem destaque, já que este aminoácido reduz as infecções de repetição causadas pelo herpes simples. 

 

Dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia: 

https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/herpes/68/

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Alexandra Bononi

Dra. Alexandra Bononi

Dermatologia

CRM: 97012 / SP

TAGS
gravidez
herpes
herpes-genital
pele

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Como reduzir o risco de transmissão do herpes para o bebê durante a gravidez?"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.