Esquizofrenia tem cura? É possível se recuperar totalmente da doença?


  • +A
  • -A
Imagem do post Esquizofrenia tem cura? É possível se recuperar totalmente da doença?

O tratamento da esquizofrenia deve ser levado à risca pelo paciente. A família tem papel importante por incentivar a adoção das medidas e na vigilância do uso de medicamentos indicados. A doença pode provocar alterações profundas no dia a dia da família e impedir que o paciente mantenha relações com amigos e com colegas de trabalho.

Como aliviar os sintomas da esquizofrenia?

 

A esquizofrenia não tem cura, mas segundo o psiquiatra Jorge Henna, é possível minimizar os sintomas. “Se diagnosticados em tempo hábil, há muito o que fazer para preservar o afeto, o humor, a cognição e impedir os sintomas mais graves, como alucinações e delírios”, explica o especialista. A doença também costuma deixar o pensamento desorganizado e os pacientes podem ter dificuldade de se comunicar.

Tanto do ponto de vista pessoal, quanto do social e profissional, são muitos os desafios que uma pessoa com esquizofrenia terá que enfrentar ao longo da vida. No entanto, o tratamento disponível atualmente tem sido capaz de devolver a qualidade de vida. “O paciente não deixará de ter resíduos da doença nem os sintomas, mas a interferência no dia a dia pode ser reduzida bastante”, ressalta o médico.

Relação entre médico e paciente ajuda no tratamento da esquizofrenia

 

O tratamento deve ser realizado pelo resto da vida do paciente, sem interrupções. De acordo com o Dr. Henna Neto, haverá momentos de maior ou menor uso de medicamentos. Essa variação dependerá do bom relacionamento entre o médico e o paciente e da sensibilidade do profissional quanto às necessidades particulares do esquizofrênico.

O paciente deverá utilizar medicamentos antipsicóticos para controlar as alucinações e delírios, além de ser auxiliado por terapeutas ocupacionais e psicoterapeutas, para que seja capaz de retomar sua rotina. Quem não segue as medidas recomendadas para o tratamento podem sofrer recaídas e ter os sintomas exacerbados.

Dr. Jorge Henna Neto é psiquiatra, graduado pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e professor de Psiquiatria da PUC-SP. CRM-SP: 67335

TAGS
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

10 comentários para "Esquizofrenia tem cura? É possível se recuperar totalmente da doença?"

David antonio carlos cruz

meu filho tem esquisofrenia foi decoberto a 4 anos so que ele tem crise e quebra tudo o que ve pela frente e agride familiares ele tem 18 anos o que devo fazer quando isso aconteçe

eu sou esquisofrenico

lendo sobre a esquisofrenia e analisando fatos que ocorrem em minha vida, cheguei a coclusão que sou esquisofrenico pois tenho um tio que morrreu com esta doença e me analisando diante de vários fatos ocorridos tb sou um portador desta doença como faço para me curar pois hoje tenho 53 anos de idade e venho sofrendo com esta doença a muitos anos sou casado tenho 04 filhos, até agora nem um apareceu com os sintomas desta doença peço como fazer pra me ajudar.

Amanda

Boa tarde gente!Eu tenho um tio que tem esquizofrenia paranoide há muitos anos desde quando ele tinha 19 anosE tem sido um sofrimento para meus avós. Quando ele fica irritado ele quer bater nos outros,ele escuta vozes do tipo ele escuta vozes que fica xingando ele e ele acha que é nós, sem nós ter falado nada para eleEle não para quietoGente! Ele toma remédio mas eu não vejo a curaGente só Jesus na nossa causa.

Cuidados Pela Vida

Olá Roberson,
Você não deve tomar conclusões por conta própria. Se você estiver desconfiado recomendo que procure um médico para que ele, através de exames específicos, faça uma avaliação mais detalhada do seu caso e tenha um diagnóstico mais preciso.
Abraços

Sonia weiss pereira

Oi tenho um sobrinho que tem esquizofrenia psicótica,ele tem 34 anos,teve que parar com a faculdade pois não estava conseguindo mais se concentrar,tem surtos horríveis,houve vozes, e faz ameaças as pessoas da familia com quem mora e contra sua vida,é muito doloroso ver ele assim.

um esquizofrênico desconhecido

Psiquiatras me deram diagnóstico de esquizofrenia. Esse diagnóstico é uma gaiola para mim. Uma corrente que me prende o pé e me impede de seguir adiante. Falaram que sou esquizofrênico e que isso não tem cura.Isso me fere e faz com que eu não acredite em mim mesmo. Quando consigo algum progresso no meu equilíbrio mental e emocional, muitas vezes o que me desestabiliza é lembrar que “sou esquizofrênico “.Isso me leva a pensar que meu bem estar é um delírio e me encontro novamente acorrentado aos diagnósticos dos médicos e aos meus conflitos.Minha imaginação era perturbada pelo terror,medo e culpa.Consegui me libertar do medo e da culpa e vi a possibilidade de ter uma vida de paz e harmonia,sem ser perturbado pela imaginação conturbada.Outro dia estava muito bem,até o momento em que fui na médica da empresa e ela me perguntou se eu estava indo no psiquiatra. Disse que eu deveria ser acompanhado constantemente porque minha doença não tem cura. Não tem como ouvir uma coisa dessas de alguém que estudou e não ficar pra baixo,não sofrer,não sentir-se escravizado por um diagnóstico.Gostaria que os psiquiatras me libertassem disso,mesmo que eu seja um esquizofrênico e que isso não tenha cura. Que dissessem para mim que eu não sou esquizofrênico e que posso ter uma vida livre de conflitos como uma pessoa normal. Que mentissem para mim dizendo isso,para que pelo menos eu pudesse me sentir livre e confiante para agir conforme os princípios e ideais que aprendi, começar uma nova vida sendo um novo homem.Gostaria de dizer isso para minha psiquiatra. Gostaria de pedir que ela me libertasse. Gostaria que alguém me ouvisse somente neste ponto,já que é somente essa a minha dor,as outras dores são as alheias.Seria em vão querer falar isso para a médica. Ela diria que não tem o que fazer, que sou esquizofrênico.Anotaria alguma coisa em um bloco que depois guardaria na gaveta, me daria as receitas e diria tudo de bom. No final disso tudo, quando eu mesmo ferir o meu coração,ela diria apenas que perdeu um paciente. Não digo que sofro porque ninguém me compreende ou que o mundo é quem me faz sofrer. Apenas não estou conseguindo seguir adiante com esse diagnóstico. Estou pedindo apenas a libertação. Se alguém vai ler o que escrevi aqui,não sei. Mas tenho isso entalado na garganta faz muito tempo.Seja feita a vontade de Deus, no homem e na humanidade!!

Cuidados Pela Vida

Olá Sonia, a esquizofrenia é caracterizada pela dificuldade de percepção do que é real e do que é apenas parte da imaginação. O psiquiatra Eduardo Aratangy esclarece: “O paciente em um quadro psicótico, não apenas o esquizofrênico, pode colocar outros em risco sim, mas costuma ser muito mais vítima do que autor de violência. Durante as crises, especialmente naquelas em que o paciente se sente perseguido, pode haver comportamento agressivo, mas na maior parte das vezes, o esquizofrênico não oferece risco aos outro.” Por isso é fundamental que a família acompanhe o indivíduo ao tratamento e o apoie ao longo do processo para evitar a ocorrência de novas crise. Abraços.

Cuidados Pela Vida

Olá, é difícil aceitar que estamos doente, no entanto essa aceitação é imprescindível para o sucesso do tratamento. A esquizofrenia não impede o convívio social, bem como a realização das atividades cotidianas. Temos em nosso site o depoimento de um paciente que convive com a doença http://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/mineiro-enfrenta-esquizofrenia
Caso se interesse, temos também uma central de enfermeiros que atende 24h via telefone para esclarecimento de dúvidas sobre saúde, doenças e tratamento. Você pode contatá-los através do número 0300 118 1006 para verificar informações a respeito do tratamento. Abraços.

Gessé Cazuza

Sou funcionário de uma empresa pública. Atendo clientes que vem retirar o auxílio doença diariamente. Acompanho dezenas de casos semanais de diagnósticos de esquizofrenia. Os sintomas são sempre os mesmos e a esperança de cura é quase zero. A ciência afirma que essa doença não tem cura e, verdadeiramente não se consegue solução, pois a mesma sempre se utilizará de métodos científicos. Nasci num berço cristão e prontifiquei-me gratuitamente a ajudar essas vidas escravizadas nessa prisão espiritual. Para esse e outros males psicóticos eu vos afirmo: há cura sim. Tenho acompanhado de perto pessoas que decidiram libertar-se dessa vida tão sofrida e estão conseguindo. Não se trata enfermidades na alma com métodos naturais. Enquanto o próprio paciente ou a família do enfermo não aceitar a natureza deste distúrbio sofrerá com o mesmo muito provavelmente até o fim de seus dias. Aos que sofrem com essa doença que se alastra nessa geração lhes dou um conselho: não perca a esperança! Busque sua cura, pois para Deus nada é impossível.

Francisco

realmente essa enfermidade causa muita tristeza na família, infelizmente a única coisa que a medicina pode fazer é medicar com remédios de controle, pegando a carona no que disse Gesse Cazuza, nós sabemos que Deus não mudou ele é o mesmo, apesar do nosso amigo falar em aceitar a enfermidade e denotar falte de Fé, eu creio que essa enfermidade não seja impossível de cura, mesmo porque Deus tem curado de enfermidades piores como o câncer, a duvida maior que todos nós temos é sobre a nossa fé, como agir de forma a crer no milagre, mesmo porque nem todo mundo tem fé , se perguntar ao medico se ele acredita que Deus cura é complicado, a maioria vai negar a fé e acreditar só na medicação, então diante de tudo nós temos que viver pela fé , ou acreditamos que existe um Deus no céu ou iremos continuar dependente da medicação pelo resto da vida, então temos um grito diante do impossível,e Jesus liberta de tal maneira que a única voz que você vai ouvir é a do Espirito Santo de Deus que passa a habitar em nós quando confessamos Jesus como nosso salvador e se necessário Deus envia um anjo para comunicar-nos o milagre, o conselho que eu dou é que busque uma igreja que ministre a libertação , e que a sua fé já crendo é que vai mover o coração de Deus na sua direção para que o milagre seja efetivado , porque sem fé é impossível o homem agradar a Deus. fica ai o conselho, se você anda tem duvida peça confirmação a Deus no dia da oração por libertação, que Deus vai comunicar ou através do ministro do evangelho ou da própria pessoa que recebeu o milagre, e ela vai contar o que viu e ouviu no dia da oração, e se lembre quando é Deus que esta no negocio o ouvir e ver será de coisas celestiais, anjos e a visão do céu repleto de anjos celestiais, são coisas sobrenaturais e não resultado de desiquilíbrio neuronal da dopamina , pois quando é desequilíbrio a pessoa perde toda a noção da realidade e surta , e quando é de Deus a pessoa esta nos seu perfeito estado de juízo, e esta em paz, é logico com um pouquinho de temor que é normal quando tem uma presença sobrenatural, e lembrem que os anjos curam as enfermidades, falando de anjos 2/3 pertencem a Deus e 1/3 a satanás, e como são milhares vale ressaltar que cada um tem um nome. mais todos terminam com as letras (EL) como exemplo; Miguel, Rafael , eu só dei um exemplo pode ser ate que Deus confirme o milagre de outra maneira, com cada um de nós ele trabalha de um jeito, fica ai o conselho de alguém que prega o evangelho, mais antes de suspender qualquer medicação tenha certeza da confirmação da parte de Deus , como eu disse quem vai determinar a cura é a sua fé, o ministro pode ate orar por libertação mais se você não tem fé fica difícil, a confirmação pode ser ou através do ministro, do enfermo , ou através de você , através de profecia, eu falo de profecia não profetada , ou Deus comunica através dos seus servos anjos de Deus, agora eu chamo a atenção mais uma vês não suspenda a medicação se não tiver convicção plena da confirmação do milagre , eu não quero ser responsabilizado por seu engano de bater na porta da igreja errada, porque o que tem de falsos profetas nas igrejas não é brincadeira , todo cuidado é pouco.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.