A esquizofrenia fica mais grave com o passar do tempo?


  • +A
  • -A
Imagem do post A esquizofrenia fica mais grave com o passar do tempo?

A esquizofrenia é uma doença crônica capaz de deixar o paciente isolado, provocar pensamento desorganizado e dificuldade para falar.  É imprescindível que pessoas com o distúrbio realizem tratamento para manter os sintomas sob controle. “A esquizofrenia tende a ficar mais grave com o passar do tempo. Este agravamento é mais intenso se o paciente não faz o tratamento corretamente”, afirma a psiquiatra Luciana Staut.

 

Sem tratamento, esquizofrenia piora a cada crise

 


Cada surto provocado pela doença leva a uma piora dos sintomas e à necessidade de doses maiores da medicação para obter o controle da patologia. O tratamento adequado tende a diminuir o risco de outras crises, reduzindo também o risco da esquizofrenia se agravar com o tempo e do desenvolvimento de outros transtornos psiquiátricos, como fobias e depressão.

A esquizofrenia tem início geralmente a partir do fim da adolescência, entre os 20 e 30 anos de idade. “É caracterizada, principalmente, pelo que chamamos de sintomas psicóticos, como alucinações visuais e auditivas, sensação de ser constantemente perseguido ou ameaçado por outras pessoas”, explica a profissional. A falta de cuidados pessoais também é um sintoma bastante comum.

 

Como casos graves de esquizofrenia são tratados

 


O tratamento da esquizofrenia é dividido entre o tratamento farmacológico e não farmacológico. Os medicamentos mais utilizados são os antipsicóticos que atuam para reduzir os sintomas da doença. O uso da medicação é necessária em todos os casos para evitar a progressão do transtorno, independentemente da gravidade do quadro.

“Nos casos graves, pode ser necessária a associação de mais de uma medicação antipsicótica, o ajuste da dose ou até mesmo a substituição em casos em que a resposta da medicação não é adequada”, diz Luciana. Já o tratamento não farmacológico consiste em atividades terapêuticas, como psicoterapia, ocupacionais, físicas e participação em grupos terapêuticos.

 

Dra. Luciana Cristina Gulelmo Staut é psiquiatra, formada pela Universidade Federal de Mato Grosso, membro da Sociedade Brasileira de Psiquiatria e atende em Cuiabá (MT). CRM-MT: 6734

Foto: Shutterstock

TAGS
depressao
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

3 comentários para "A esquizofrenia fica mais grave com o passar do tempo?"

Alexandra simao dos santos

Meu esposo temm personalidades diferentes. …temm crises ….agrecIvTenho certeza escrito fonia

Alessandra dos santos

Bom, minha mãe possui essa doença, mas nunca fez acompanhamento, e hj ela está com 60 anos de idade e por essa situação dividi a casa no meio uma forma de está por perto, sou casada tenho filhos, mas já não sei mas o que fazer esta cada dia pior é não encontro uma forma de ajuda la já que não aceita o tratamento, peço conselhos aos especialistas e o que posso fazer para mim ter um pouco de paz, porque quem conhece a doença sabe que o convívio não é fácil. Peço sos.

Cuidados Pela Vida

Oi Alessandra, no curso da esquizofrenia, há períodos de exacerbações e remissões. Após cada recaída (novo surto psicótico), a deterioração do funcionamento basal é cada vez maior. Ou seja, o ideal é evitar a repetição desses surtos. O uso correto das medicações ajuda nesse sentido e, por isso, deve ser uma prioridade. Leve suas mãe nas consultas, e peça para que o profissional a ajude para que sua mãe siga as orientações. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.