Esquizofrenia é hereditário? O que fazer caso exista casos na família?


  • +A
  • -A

Um dos principais sinais que indicam o desenvolvimento da esquizofrenia é o aparecimento de sintomas psicóticos, como alucinações auditivas e visuais. É comum ver pessoas ou animais que não existem, ouvir vozes e ruídos que ninguém mais consegue ouvir e até ter a sensação de estar sendo monitorado o tempo inteiro. Nestes quadros, o fator genético exerce forte influência.

Hereditariedade é um fator de risco para esquizofrenia


“Isso significa que o fato de ter algum familiar com esquizofrenia aumenta o risco para o desenvolvimento do quadro em outros familiares”, afirma a psiquiatra Luciana Staut. No entanto, a médica acredita que é muito importante frisar que ter um parente com este transtorno não faz com que outro familiar, necessariamente, tenha a doença.

Apesar de o fator genético ser um dos componentes envolvidos no surgimento da esquizofrenia, existem também outros fatores que devem ser considerados. Os principais são a exposição pré-natal a infecções ou injúrias, complicações durante o parto ou na gestação, alterações nutricionais, principalmente na infância, e até o uso de drogas, como a maconha.

Há como detectar a esquizofrenia precocemente?


Segundo a especialista, não existem exames capazes de detectar precocemente o risco de uma pessoa
desenvolver a esquizofrenia quando outro membro da família já apresenta a doença. “Nesses casos, os parentes devem ficar muito atentos, principalmente, em casos de mudanças abruptas de comportamento. Isso inclui episódios de agressividade, isolamento social e desconfiança excessiva, inclusive com pessoas próximas”, alerta a profissional.

Desleixo com a própria saúde, com a higiene e outros tipos de cuidados também podem indicar que algo está errado e devem chamar atenção dos familiares. Caso estes aspectos sejam notados, é importante procurar o atendimento médico com rapidez para avaliar as causas, fazer o diagnóstico da doença e iniciar o tratamento de forma adequada, que poderá ser feito com terapias e medicações antipsicóticas.

Dra. Luciana Cristina Gulelmo Staut é psiquiatra, formada pela Universidade Federal de Mato Grosso, membro da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e atende em Cuiabá (MT). CRM-MT: 6734

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Luciana Staut

Dra. Luciana Staut

Psiquiatria

CRM: 6734 / MT

TAGS
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

6 comentários para "Esquizofrenia é hereditário? O que fazer caso exista casos na família?"

Benedita

Meu filho tem esquizofrenia e seu primo tambem

Wedislei Soares Gomes

Olha um dia eu era perfeito porque não conhecia os limites da maldade então conlhece a doença mas não sabia só tinha cinco anos e meio quando um espírito maligno min maudissuol min deixando no vaco .toda doença e obra do maligno e rosto e a única coisa que eu aprendi a vida não tá doendo fassio eu tenho 34 anos e nunca passei suco anos nomais nessa minha vida soufelis com pequenas coisas mas eu minfortalesso quando eu consigo testemunha as maravilhosas coisas que o santo Deus fez é fãs na minlha vida acredito que fãs na de vocês ei nigem base com esquizofrenia e jenetico jusus cura e tudo a-tem obrigado abraço 🤙

Nelyan py eyer

Meu ex cunhado é esquizofrênico.E ultimamente,o irmão dele,meu ex marido vem apresentando um comportamento diferente.Ele se tornou muito agressivo, não liga mais para as filhas.Entrou para uma igreja e desde então vive nos ameaçando, inclusive de morte.Nao sei se é doença ou caso de polícia.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Nelyan, caso algum aspecto da doença seja notado, é importante procurar o atendimento médico com rapidez para avaliar as causas, fazer o diagnóstico da doença e iniciar o tratamento de forma adequada. Abraços.

Emily

Meu pai tem quais são as chances de eu ter? Não jejum exame que possa indentificar o gene ? Outra pergunta! MEu avô tinha uma Irma gêmea que desenvolveu auzhaime, quais são as chances de eu ter ? Lembrando que fiz tratamento por mt tempo com corticoide em alta dosagem dos 6 aos 18 anos

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Emily, ter um parente com este transtorno não faz com que outro familiar, necessariamente, tenha a doença. Apesar de o fator genético ser um dos componentes envolvidos no surgimento da esquizofrenia, existem também outros fatores que devem ser considerados. Os principais são a exposição pré-natal a infecções ou injúrias, complicações durante o parto ou na gestação, alterações nutricionais, principalmente na infância, e até o uso de drogas, como a maconha.
Segue o link de uma de nossas matérias com informações para você:
https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/alzheimer/alzheimer-genetico-risco
Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.