Esquizofrenia sob controle: Existem eventos que podem engatilhar novas crises da doença?


  • +A
  • -A

A esquizofrenia é uma doença crônica que exige a adoção de tratamento adequado por toda a vida, com destaque para o uso de medicamento, que é crucial para que os sintomas da doença sejam controlados. Porém, mesmo um paciente estabilizado que segue à risca o tratamento pode vir a ter novas crises, caso algum fator externo atue nesse sentido.  

 

Novos surtos podem ocorrer mesmo sem ocorrência de eventos estressores

 

“Sim, há um consenso sobre a existência de riscos de recaída relacionados a eventos de vida estressantes no caso de pacientes com esquizofrenia”, afirma o psiquiatra Ivan Mario Braun. “Contudo, os riscos parecem ser diferentes para subgrupos de pacientes e há resultados conflitantes sobre esta correlação”, ressalta.

A esquizofrenia pode acabar resultando em recaídas por si só, mesmo sem a ocorrência de nenhum evento que piore o quadro e mesmo que o tratamento esteja sendo seguido adequadamente. Quando eventos estressantes ocorrem, situações traumáticas, que agitam, irritam e abalam o paciente, o risco em potencial para uma recaída aumenta ainda mais.

 

Formas de evitar ocorrência de novas crises de esquizofrenia

 

Para evitar as recaídas, ou seja, a ocorrência de novos surtos, é crucial que os familiares e cuidadores estejam atentos ao comportamento do paciente. Caso ele volte a apresentar os sintomas clássicos da doença (isolamento, discursos desconexo, movimentos estranhos, etc.), deve-se voltar imediatamente ao médico para buscar novas abordagens para o tratamento.

“Apesar de algumas evidências apontarem que treinamento de habilidades sociais e terapia de suporte possam ter utilidade no controle da esquizofrenia, a base para prevenção de recaída é a adesão ao tratamento medicamentoso”, conclui Braun.

 

Dr. Ivan Mario Braun é psiquiatra, doutor em medicina pela faculdade de medicina da Universidade de São Paulo (USP). CRM: 57449 – Site oficial

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Ivan Mario Braun

Dr. Ivan Mario Braun

Psiquiatria

CRM: 57449 / SP

TAGS
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

10 comentários para "Esquizofrenia sob controle: Existem eventos que podem engatilhar novas crises da doença?"

Linda Helena

Se o paciente esquizofrenico está sob controle e deixa de tomar a medicação por um ou dois dias referindo que tem uma festa e quer beber cervejas, isso pode ocasionar recaidas? ou ter crises …

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Linda, o paciente que está em tratamento não deve interromper o uso de medicamentos e deve evitar o consumo de bebidas alcoólicas. Como informa o psiquiatra Dr. Alexandre Proença: “O álcool não é indicado em nenhuma quantidade por pessoas esquizofrênicas”. Abraços.

Leide da silva

Criança pode ter esquizofrenia .por exemplo crise pode ser que ele crie uma briga como se personagem fosse tudo real e que ver pessoas e peserguindo vendo disco voador dentro de casa ou e diferente as crisesDesde janeiro agradeço atenção.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Leide, a esquizofrenia é um transtorno mental grave no qual as pessoas interpretam a realidade de forma distorcida. Para diagnostico correto é necessário alguns exames, converse com a psiquiatra, ela pode te orientar quanto a sinais que possam te ajudar a indentificar a doença. Abraços para você e seu filho.

Denise Borges

Meu filho tem 18 anos a esquizofrenia começou a desenvolver aos 12 anos e todas as medicações até hoje sempre engordaram ele, hoje ele está com 143 k não sei mais o que fazer?

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Denise, você já comentou isso com o médico que trata do seu filho?talvez uma nutricionista ou a inclusão de uma atividade física que ele goste e o médico aprove possam ajudar. Abraços

Ana

Infelizmente adotaram políticas públicas na seara mental, baseados na experiência italiana de Franco Besaglia. Tudo muito bonito e utópico… Só que não funciona! Acabaram com as internações, deixaram só o Caps. Fecharem leitos. Dêem um Google de quantos esquizofrênicos matam familiares, inocentes nas ruas como recentemente em MG com a menina Ieda Izabel Peres. Existe um tipo de doente que não pode e não deve viver em sociedade! Tenho esquizofrênico na família, não se reconhece doente, não tem senso crítico algum, agride as pessoas fisicamente, inclusive os pais que são idosos, faz inferno na vida de todos por onde passa… Temo que em breve estará nas páginas policiais como causador de alguma tragédia! Como tão bem disse Ferreira Gullar o saudoso poeta que teve dois filhos esquizofrênicos: uma lei muito errada essa antimanicomial. Não deu certo na Itália, não deu certo na França, não deu certo nos EUA, e aqui é um flagelo…

Elainelima

Gostaria de saber se existe tratamento domiciliar? A família deve concordar com delírios e alucinações? Qual momento para dizer que pessoa está doente? Existem alguma técnica para concietizacao ? Quais primeiros passos que família deve fazer na recusa do paciente não acreditar q está doente?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Elainelima. Segundo comentam os especialistas, durante as crises, deve-se tentar tranquilizá-lo e procurar o atendimento médico rapidamente. Devido à perda da noção de realidade, é importante que amigos, familiares e pessoas que estiverem próximas não confrontem o paciente. O Dr. Jorge de La Rocque, também psiquiatra, segue o discurso que apoia a associação de diversas especialidades no tratamento da esquizofrenia. Para ele, o ideal é que, para além da abordagem farmacológica, haja o acompanhamento psicossocial familiar e, dependendo das características da patologia e da família, a prática e ações lúdicas nas suas diversas modalidades. Recomendamos a leitura destas matérias para mais informações: https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/beneficios-terapia-esquizofrenia e https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/esquizofrenia-especialidades-medicas-tratamento. Torcemos pelo sucesso no tratamento.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.