Esquizofrenia: qual é a diferença entre delírio e alucinação?

  • +A
  • -A

Em um quadro de esquizofrenia, fala-se muito em delírio e alucinação, tendo em vista que são dois dos principais sintomas envolvidos na doença. Como normalmente aparecem juntos, é comum pensar que são a mesma coisa, sinônimos, mas na verdade são sintomas psicóticos distintos, cada um com uma definição específica.

Delírio e alucinação: veja alguns exemplos


Segundo a psiquiatra Erika Mendonça, delírios são crenças exageradas, irrefutáveis. O paciente tem certeza de algo, mesmo sem nenhuma evidência real disso. Já
as alucinações são percepções de coisas que não estão lá, sejam elas imagens e/ou sons, mas que o paciente acredita com convicção de que são reais.

“Alguns exemplos de delírio: o paciente acredita que um chip foi instalado em seu cérebro e que está sendo monitorado, mesmo sem nenhuma evidência de que isso tenha acontecido. Ou então imagina que está sendo perseguido pela polícia, mesmo sem nenhuma justificativa para isso. Já no caso da alucinação, ele ouve pessoas falando, mas não há ninguém (alucinações auditivas). Também há alucinações visuais, olfativas e táteis”, esclarece a profissional.

Saiba como os sintomas da esquizofrenia impactam a vida do paciente


Delírios e alucinações podem ocorrer juntos e estar até mesmo relacionados, mas não necessariamente. Podem ocorrer separadamente também. Independentemente disso, os dois são considerados sintomas graves, pois causam um comprometimento significativo da vida do paciente. Também por isso o
tratamento adequado da esquizofrenia é tão importante.

“Estes sintomas trazem sofrimento, angústia, desorganização do comportamento. Pessoas com que vivem com delírios e alucinações não controlados geralmente tem dificuldade para se relacionar, trabalhar, estudar e se divertir. Praticamente todas as áreas da vida do paciente são afetadas”.

Dra. Erika Mendonça de Morais é psiquiatra formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e atua em São Paulo. CRM-SP: 124933

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Érika Mendonça de Morais

Dra. Érika Mendonça de Morais

Psiquiatria

CRM: 124933 / SP

TAGS
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

12 comentários para "Esquizofrenia: qual é a diferença entre delírio e alucinação?"

Marcelo Rosa Batista

Esta matéria me ajudou muito ,pois meu enteado está com esses sintomas e ficou mais fácil entender as atitudes dele

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Marcelo, ficamos felizes que tenha gostado! Continue por aqui para continuar tendo acesso a essas e outras informações. Abraços.

Ronaldo Abreu

Dra. Érika, minha esposa sofre de bipolaridade a mais de 15 anos e já tive que interna-la por três vezes. Acontece que recentemente ela teve um intoxicação por lítio, chegando a 2,8 Então, depois que ela saiu desse quadro, ela está resistente a medicação, e evita tomar os seus remédios para pressão alta e também o do humor que a psiquiatra passou.A minha pergunta é a seguinte, o que pode acontecer com ela, evitando a medição, ela pode contrair uma esquizofrenia.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Ronaldo, não é conhecido ainda com exatidão o processo que resulta em um quadro de esquizofrenia, mas sabe-se que a doença é fruto de alterações em estruturas cerebrais, com destaque para o papel dos neurotransmissores. Essas alterações são provocadas por diversos fatores, os quais funcionam como “gatilhos” para que a esquizofrenia se manifeste.
Segue o link de uma de nossas matérias com informações para você: https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/esquizofrenia-causa-especifica
Abraços.

thaline

Tenho 16 anos, tenho alucinações e delírios, as vezes juntos..Alucinações auditivas..Alguém me vigiando falando comigo. É isso faz com que eu acabe entrando em pânico. É normal na minha idade ?

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Thailine, peça que seus pais a acompanhem em uma consulta com o médico especialista, ele poderá te avaliar, esclarecer suas dúvidas e passar as orientações necessárias. Abraços.

Meu pai escuta vozes fala q se ele morrer o mundo acaba e fica falando coisas com coisa qual o problema dele

undefined

CUIDADOS PELA VIDA

Olá. O fato de ouvir vozes é uma alucinação que pode estar relacionado à transtornos psiquiátricos. Para que você tenha uma diagnóstico adequado sobre o seu pai, recomendamos que leve-o em uma consulta com um psiquiatra. Torcemos para que seja identificado o que ele tem o quanto antes. Abraços!

Flávia

Olá, boa noiteOuço todos os dias dentro da mente, sons e vozes de todos os tipos que são tanto familiares quanto desconhecidos por mim. Mas o mais curioso, é que ouço só quando me deito e fecho os olhos. Escuto principalmente antes de dormir e depois de acordar. De uma forma geral, essas vozes não me incomodam, mas me intrigam, porque não sei a causa disso.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Flávia. O fato de ouvir vozes pode estar relacionado a algum transtorno mental, mas pode ser também um sintoma de epilepsia, surdez, distúrbios do sono ou lesões cerebrais. É muito importante que passe por uma avaliação médica para que tenha um diagnóstico correto sobre os sintomas que você relata. Abraços!

Lorrayne

Meu filho tem 9 anos e aos 3 anos foi diagnosticado com autismo. De algumas semanas para cá está se comportando de uma forma atípica,falou que fica imaginando a faca flutuar e acertar ele, que fica pensando só coisa ruim, que pensa em pegar a faca e matar eu e o irmãozinho dele, que fica pensando que o demônio está dentro dele e que é pra ele fazer ou falar coisa ruim para mim. Ele está sofrendo muito, fica uma conflito dentro dele e eu fico muito desesperada sem saber o que fazer. Devo procurar um psiquiatra infantil ? Obrigada.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Lorrayne. O autismo por vezes é confundido com esquizofrenia, conforme explica o Dr. Miguel Angelo Boarati: “O termo autismo foi primeiramente utilizado para designar a esquizofrenia em estágio inicial na infância, mas hoje é utilizado apenas para os quadros de esquizofrenia mesmo. Demorou alguns anos de estudos para ocorrer a diferenciação clínica entre quadros de autismo de baixo funcionamento e esquizofrenia”. Sugerimos que seu filho passe pela avaliação de um especialista para melhor investigação do caso. Recomendamos esta leitura: https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/possivel-sinais-esquizofrenia-infancia. Torcemos pela melhora de seu filho.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.