Vem do nada? A esquizofrenia pode ter alguma causa específica?


  • +A
  • -A

Não é conhecido ainda com exatidão o processo que resulta em um quadro de esquizofrenia, mas sabe-se que a doença é fruto de alterações em estruturas cerebrais, com destaque para o papel dos neurotransmissores. Essas alterações são provocadas por diversos fatores, os quais funcionam como “gatilhos” para que a esquizofrenia se manifeste.

 

Influência genética aumenta em até 10 vezes chance de desenvolver esquizofrenia

 

Esses fatores podem ser tanto hereditários, ou seja, passados pelos genes da família, quanto ambientais (influências externas). “Assim como em outros transtornos mentais, fatores genéticos e ambientais parecem desempenhar um papel na etiologia da esquizofrenia”, afirma a psiquiatra Erika Mendonça.

Segundo a especialista, pessoas com um familiar de primeiro grau (irmãos ou pais) que tenham o diagnóstico de esquizofrenia possuem uma chance 10 vezes maior de terem o transtorno. “Parece que há uma combinação de vários genes que predispõem a esquizofrenia, sendo apenas alguns conhecidos. É importante ressaltar que são genes associados a doença e não causadores dela”, explica a psiquiatra.

 

Fatores ambientais que aumentam risco de esquizofrenia

 

Alguns fatores ambientais também parecem aumentar as causas de esquizofrenia, mas especificamente nas pessoas predispostas. Seriam eles: uso de cigarro durante a gestação, baixo peso ao nascer e hipóxia (falta de oxigênio) durante o parto. Más condições socioeconômicas também parecem predispor à esquizofrenia, assim como viver em áreas urbanas.

“Os mecanismos através dos quais estes fatores ambientais aumentam o risco de esquizofrenia ainda não foram esclarecidos. Mesmo assim, investir em pré-natal adequado, boas condições de parto e melhores condições socioeconômicas são estratégias que diminuem a chance de ocorrência deste transtorno”, conclui Erika.

 

Dra. Erika Mendonça de Morais é psiquiatra formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e atua em São Paulo. CRM-SP: 124933

Foto: Shutterstock

TAGS
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

18 comentários para "Vem do nada? A esquizofrenia pode ter alguma causa específica?"

Hiram Portela da Costa

Tenho um filho; Thales, hoje com 37 anos, quase 38, pois é de 27/12/80. De 16 pra 17 anos teve o chamado gatilho em se apaixonar por uma tia e sua madrinha, minha irmã. Embora medicado com : roxetim de 30mg, melleril de 100mg e Aristab de 10mg atualmente tem surtos quase que diariamente que demandam, ocasionados por qualquer fato que nao seja sua vontade, que duram, até horas. Suas ilações vão de querer respostas improváveis para seus pensamentos revoltos, como: seu tio assassinado há dois anos, que está vivo e não aparece pra ele e todos os outros familiares conspiram para que o mesmo não apareça pra ele; culminando por culpar a tia/madrinha e apontar amantes a ela e tecer os mais diversos comentários, como: prostituta de todos que ele conhece, parentes, amigos, jogadores do time que torce, etc, etc. Além disso, se manifesta como não sendo idiota e querendo que lhe dê essas respostas. Fica agressivo, ameaça quebrar tudo e dependendo com o lhes respondam sua irritação vai alimentando e ficando incontrolável. Outra situação é acontecendo quando está fora de casa, onde notando que duas pessoas conversam; estás estão falando dele e chegando em casa que saber os porquês? E é motivo de desencadear tudo de novo. Detalhes: não vai as suas consultas e nem participa de quaisquer outro tipo de psicoterapia.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Hiram, é importante que ele mantenha um acompanhamento periódico com o especialista para que ele possa acompanhar a evolução e fazer as alterações necessárias no tratamento. Abraços.

Tais

Eu tenho um menino de 13 anos desde os onze ele mudou o jeito dele.começou na escola na sala de aula ele fazia jestos estranho e foi chegando reclamação até então teve que afasta ele dá escola.hj ele faz tratamento com medicamentos e ainda não quer ir pra escola e não quer sair de dentro de casa pra nada.

MARIA EDI DA SILVA PORDEUS

Sou bipolar. Meus tios de sete irmãos, quatro se suicidaram. Pensei que era por fatores de infância difícil, pois perderam a mãe e de ricos ficaram pobres. Meu irmão com vinte anos pegou esquizofrenia, que o psiquiatra gaúcho, denominou galopante. Dois anos depois suicidou-se. Meu irmão, mais moço é aposentado por esquizofrenia e não vai a médico e nem aceita medicação. Este vive em constante delírios, consegue dirigir sua vida com bravura, é independente. Um milagre. Eu em dez anos, cheguei a ter duas crises por ano. Graças a uma boa psiquiatra estou sob controle, a mais de dez anos. Minha doença mental foi tão forte que fiquei interditada por onze anos. A doença mental existe, mas tem medicamentos poderosos que podem fazer o paciente feliz dizer: sou saudável, mas poço ficar doente se não tomar os remédios prescritos no horário determinado. Hoje, viver na loucura mental, é opção. Se o paciente não quer, tente dar rispiridona líquida na comida e levá-lo ao tratamento. O tratamento forçado é horrível e deixa marcas, que o tempo apaga. Até por isso eu passei. Fui internada pela polícia com direito a algema. Sou um milagre da vida, pois voltei para a minha religião e não tem espírito maligno que se aproxime. Não sou espírita e tenho medo de almas de outras dimensões, já tenho muito trabalho lidando com os vivos. Acredito que espíritos malignos se encarnam em pessoas fragilizadas. Saí da doença mental, porque lutei com todas as armas e sou forte de espírito. Procuro ser boa comigo e com todas as pessoas, principalmente, as mais próxima. Quem está com Deus, está com tudo.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Maria Edi, obrigada por compartilhar sua história conosco! Parabéns pelo empenho na busca de uma maior qualidade de vida. Abraços.

Elenice

Meu filho hj com 30 anos, foi diagnosticado com esquizofrenia, muito difícil para os familiares aceitar e apoiar essa doença, falta de informações adequadas e demora no diagnóstico . Mas estamos indo, após 2 anos de tratamento enfim está dando início para voltar a ter uma vida normal, com algumas ressalvas mas agora estamos bem, ele teve um surto onde ouvia vozes e imaginava estar sendo seguido o tempo todo em todos os lugares, nunca ficou agressivo, mas uma tristeza, medo, falta de concentração e desinteresse por Td e por todos, após uns dias de uso de medicamentos, ficou dependente de Td, não ficava sozinho nem no seu quarto, eu já estava muito cansada qdo decidi levá-lo ao caps da minha cidade, agora está motivado e a cada dia aumenta suas atividades e se Deus permitir ele sempre estará superando esta doença Obgda por trazer informações coerentes pra gente, Deus abençoe!!

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Elenice, ficamos felizes que tenha gostado! Nossa intenção é que todos tenham acesso a informação e possam assim cuidar da saúde. Continue por aqui para ter acesso a essas e outras informações. Desejamos sucesso no tratamento do seu filho. Abraços.

vanilda

Minha irmã foi consultada por uns 6 neuros e psiquiatra , agora está sendo em tratamento com Doutor Leonildo de Cacoal Rondônia, ele atende pessoas de todo Brasil, agora ela está curada, não sei todos mas um de seus medicamentos é o Meleril

Solange lima

Então minha mãe sempre teve um ciúme doentio pelo meu pai, ela sempre falava q ele tinha amantes, tinha ciúmes da irmã dela com ele e tudo ela sempre imaginava q ele estava olhando p mulheres. Depois fui eu q comecei com isso igual o da minha mãe, só que busquei ajuda psicanalista e acabou com tudo isso! Isso é esquizofrenia??

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Solange, é complicado diagnosticá-la apenas com essas informações. É necessário realizar avaliação com o médico especialista para que ele possa realizar o diagnóstico e, caso seja necessário, prescrever um tratamento. Abraços.

Ormi

Olá . Tenho um irmão com esta doença , diagnosticada quando ele Tina 16 anos hoje com 55 anos . Há exatamente 10 anos que meus pais morreram e eu cuido dele . No início foi muito difícil , mas com passar do tempo eu consegui controlar ele . No início com meus pais ele era agressivo e quebrava tudo , Eu controlo ele hoje com medicamentos , muitas vezes não querem tomar , com pessoas assim o ambiente tem que ser sem problemas , calmo , jamais grite ou agride , nunca coloque alto eles não gostam e ficam mais perturbados , eles são donominadores , não pode deixar tem que dizer que vc é que manda . Nunca fiz uma internação , faço psicologia o tempo todo . Agora ele engasga o tempo todo , e eu faço os primeiros socorros . Não é fácil , mas estou levando .,

Julia

Meu pai tem essa doença. A pessoa “alvo” dos surtos era minha mãe. Apanhava dele constantemente pois ele achava que ela tinha amantes. Na cabeça dele era meus tios, primos, patrões dela qualquer um. Hoje ela separou dele. Quando casados a medicação era dada escondida na comida porque ele não aceitava que dissesem que era doente. Hoje tem mais surtos mas o “alvo” passou a ser minha avó. Ele não toma os remedios. É um homem grande e forte não conseguimos dar a força. Ele suspeita da comida e não come. Só oq ele tem certeza q não tem remédio. Oque devemos fazer?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Julia! Caso queira conhecer um pouco mais sobre a esquizofrenia e seus tratamentos segue alguns links que podem ser interessantes:
(https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/esquizofrenia-sintomas-causas-tratamento);
(https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/tratamento-tipos-esquizofrenia);
Já sobre as questões de auxilio de como ministrar os medicamentos, recomendamos que procure o médico especialista. Ele poderá dar maiores informações de como proceder. Abraços.

Rosiane

Boa noite tenho uma filha de 25 anos sempre foi muito saudavel mais essa semana ela teve um problema passou muito mal dores de cabeça muito forte desmaiou isso nunca aconteceu logo q chegou ao medico me disseram q ela tinha tido uma convulsao ja o segundo disse q ñ tinha sido isso q ela estava numa crise tensional nervosa mais ela esta com dores musculares pelo corpo todo o q pode ser isso realmente.. ?

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Rosiane! Os sintomas listados são bem abrangentes, recomendo que procure um médico para uma melhor avaliação. Abraços.

Vanessa

Nós somos corpo e espírito, essa doença tem haver com o físico e o espíritual também, mesmo não sendo espírita não vai deixar de fazer parte , a vozes são espirituais sim , tem que fazer o tratamento físico com os remédios e com o tratamento espiritual de desobssecao que uma casa evangélica não sabe fazer , como no físico que só um psiquiatra entende. Meu filho dei aos 19 anos ficou bem grave com o uso de drogas , hoje ele não usa mais , graças ao tratamento espiritual de desobssecao,melhorou muito , está sem vozes sem alucinações. A pessoa que não quer buscar o kardecismo para fazer o tratamento, recomendo ,fazer trabalhos voluntários em creches , azilos ,sopas , esse tipo de trabalho ajuda muito a afastar Espieitos de baixa vibração.

Juliana silva

Meu filho tem esse problema des de da quinta serie porem eu nso sabia procurei medico hj ele faz tratamento psiquiatra e esta bem mas as vezes exita em tomar medicaçao ele tmbm nao gosta de ficar onde tem muita gente mania de dizer q alguem esta falando dele nao gosta q o repare mto obgd.boa noite (medicaçao acido valproicoe risperidona

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Juliana, obrigado por compartilhar sua história. Bom exemplo de que devemos buscar a melhoria de nossa saúde ou a dos filhos. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.